Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Introdução Sistemas Operacionais

1ª aula
by

Humberto Moraes

on 13 February 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Introdução Sistemas Operacionais

SISTEMAS OPERACIONAIS
photo credit Nasa / Goddard Space Flight Center / Reto Stöckli
SISTEMAS OPERACIONAIS
Fim do Windows XP se aproxima, e usuários são aconselhados a migrar o quanto antes.
E já que mudar é preciso, que tal considerar algumas alternativas ?
Com um Mac você pode continuar a rodar o Windows, seja em uma configuração “dual-boot” (você escolhe o sistema ao ligar o computador) ou usando uma máquina virtual como software como o Parallels ou o VMWare Workstation, que podem rodar o Windows em uma “janela”, isolado do sistema, ou integrar seus apps em janelas próprias lado a lado com os apps do Mac OS X.
Linux
Se você quer instalar um novo SO em hardware que já tem, o Linux é a alternativa óbvia. Este sistema operacional Open Source tem muitas variantes, e uma das mais usadas é o
Ubuntu
. Em termos gerais o Linux exige menos recursos de hardware, o que lhe dá melhor desempenho em PCs mais antigos. No exterior é possível encontrar notebooks da Acer, ASUS e Dell com alguma versão de Linux pré-instalada. No Brasil o sistema é comumente encontrado em PCs e Desktops de baixo custo.
A marinha dos Estados Unidos decidiu trocar o sistema operacional que controla seus aviões e helicópteros não tripulados com o objetivo de evitar ataques de software maliciosos. O primeiro helicóptero autônomo a usar Linux é o Northrop Grumman MQ-8 Fire Scout.
Android é o sistema mais consumido no mercado global de tablets
Google conta com 67% de presença mundial, enquanto a Apple e o iOS ficam em segundo lugar, com 28%.

Os números obtidos levam em consideração as vendas do segundo trimestre deste ano e dizem respeito ao sistema operacional mais utilizado em todo o mundo. Dessa maneira, ficou constatado que a Google é a líder global, já que o Android é o sistema mais vendido através dos tablets, com o iOS em segundo lugar no pódio.

De acordo com a pesquisa, o Android foi comprado em 34,6 milhões de unidades de tablets, número que não passou de 19 milhões no ano anterior. Por conta disso, a presença da Google no mercado mundial é de 67%. Enquanto isso, as vendas do iPad caíram, comercializando "apenas" 14 milhões de aparelho e alcançando a marca de 28%.

Fonte: tecmundo

Conheça o Ubuntu Edge – um Computador disfarçado de Celular
A idéia de criar um smartphone de alto desempenho que pode ser “dockado” a monitor+mouse+teclado para uma experiência de desktop já não é mais novidade. A Canonical, desenvolvedora do Ubuntu, acredita que isso está prestes a mudar, e que o Ubuntu Edge dará início a nova geração de smartphones e PC. A empresa está procurando auxílio via crowdfunding (ou financiamento coletivo) para introduzir ao mercado mais um aparelho que promete se tornar tendência. Será apenas mais um?

Mac OS X

Há um motivo pelo qual as pessoas dizem que “depois que você usa um Mac, nunca mais volta atrás”. A Apple definiu a interface gráfica como a conhecemos hoje, e estabeleceu novos patamares para computação “amigável”.

Lançado o Debian 7.0 "Wheezy"

4 de Maio de 2013

Após muitos meses de constante desenvolvimento, o projeto Debian tem o prazer de apresentar sua nova versão estável 7.0 (codinome "Wheezy").
Esta nova versão do Debian inclui vários recursos interessantes tais como suporte à multiarquitetura, várias ferramentas específicas para implantar nuvens privadas, um instalador melhorado, e um conjunto completo de codecs de multimídia e front-ends que eliminam a necessidade de repositórios de terceiros.

O suporte à multiarquitetura, um dos principais objetivos de lançamento do "Wheezy", permitirá aos usuários do Debian instalarem pacotes de múltiplas arquiteturas na mesma máquina. Isso significa que você agora pode, pela primeira vez, instalar tanto programas de 32 quanto 64 bits na mesma máquina e ter todas as dependências relevantes corretamente resolvidas, automaticamente.
Android: 99% dos mobiles estão vulneráveis a software malicioso
O Trojan, que existe já há quatro anos, é capaz de alterar o código de aplicativos sem afetar a assinatura criptografada dos apps.
O bug 8219321 foi informado à Google em fevereiro deste ano. A solução apontada pelos pesquisadores parece simples: a ideia é fazer com que todas as fabricantes de dispositivos mobiles (e que utilizam, obviamente, o sistema Android) desenvolvam e disponibilizem firmwares capazes de consertar a tal vulnerabilidade.
Fonte: tecmundo

Deep Web – fonte de riscos para todos
A deep web, parte “desconhecida” da internet com conteúdos não indexados por buscadores e navegadores comuns, passou de um setor frequentado apenas por quem buscava atividades ilegais para um ambiente de desafio e curiosidade – e isso é bem mais perigoso do que você imagina.

Um hacker de 24 anos está desenvolvendo um sistema operacional para controlar o Google Glass sem a necessidade do sistema do próprio Google.

"Basicamente, o que eu estou construindo é um sistema operacional alternativo que funciona com os óculos, mas não é controlado pelo Google", diz Stephen Balaban ao site da NPR.
Especialistas dizem que a decisão da gigante das buscas para vender os primeiros protótipos dos óculos para hackers foi intencional, e que, assim, eles seriam responsáveis ​​por encontrar todas as vulnerabilidades do dispositivo ou pelo menos a maioria deles, antes de ser lançado.

Fonte: RT.com
O OS X também tem uma vantagem no preço: se você roda o Windows 7 ou uma versão anterior do sistema operacional, o upgrade para o Windows 8.1 custa a partir de R$ 410. No passado as atualizações do Mac OS X custavam cerca de US$ 20 a US$ 30 (R$ 45 a R$ 70), mas a versão mais recente, o OS X Mavericks, é grátis para qualquer Mac rodando o OS X Snow Leopard (lançado em 2009) ou mais recente.
O Linux também tende a consumir menos recursos de hardware, e roda de forma admirável em PCs mais antigos, exigindo menos RAM e espaço em disco que o Windows ou OS X. Também é infinitamente flexível: você pode escolher qual ambiente desktop irá usar (entre opções como o
KDE, Gnome e o Unity
do Ubuntu), criar algo quase idêntico ao Windows XP ou então adotar uma versão minimalista do sistema, abandonar o conceito de “desktop” e fazer tudo na web, como no
Chrome OS
.
Assim como o Mac OS X, você pode rodar o Linux e o Windows no mesmo PC, em um sistema de dual-boot, ou rodar o Windows dentro do Linux em uma máquina virtual como a VirtualBox (e adivinhe? ela é grátis para uso pessoal). Também é possível rodar aplicativos Windows “nativamente” dentro do Linux, com graus variados de compatibilidade, usando um software como o Wine, que converte as chamadas de sistema e bibliotecas do SO da Microsoft em comandos nativos do Linux.
O SUPORTE?
Chrome OS
Desenvolvido pela Google e tendo por base o GNU/Linux, o ChromeOS é o “garoto novo” no bairro. É uma plataforma baseada na web, que basicamente transforma o navegador no sistema operacional, e os milhares de serviços baseados na web em seus “apps”.
Vantagens: em uma máquina com o ChromeOS você terá menos preocupações de segurança que em um PC com Windows, em parte por causa da relativa obscuridade do sistema operacional, mas na maior parte devido ao fato de que o sistema não foi projetado para rodar software instalado localmente ou mesmo armazenar dados localmente, então a “superfície” exposta a um ataque é muito menor.
Como a maioria dos recursos do Chrome OS está amarrada a serviços e recursos na nuvem, a funcionalidade do sistema, e da máquina, é severamente limitada se você não tiver uma conexão à internet. A Google recentemente lançou versões de apps como o Gmail e Google Docs que funcionam offline, mas elas não oferecem os mesmos recursos que os aplicativos que você encontrará no Windows, Mac OS X e Linux.
Full transcript