Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Saúde da criança

No description
by

Helena Farias

on 27 September 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Saúde da criança

Saúde da criança
atenção básica
Conceitos
“ A família é entendida como uma unidade epidemiológica, social e administrativa de trabalho.”
(Costa e Carbone, 2004: 65)


As necessidades básicas da família estão relacionadas com o meio ambiente, a vida e a reprodução, alimentação, vestuário, habitação, educação, transporte, segurança, profissionalização, visão de mundo e saúde.


“A vida de uma criança nos dois primeiros anos de vida é determinada pelo ambiente doméstico. A vida da criança pequena é determinada pela escola e amigos. O adolescente é influenciado pelos amigos e pelo mundo.”
(Costa e Carbone, 2004: 65)
direitos da criança
Eca
copy and paste as needed and take advantage of an infinite canvas!
ECA
Conteúdo da Aula:
Conceituação sobre Pediatria, Enfermagem Pediátrica e Atenção na Saúde da criança e Adolescente e aspectos Bio-Psico-Sociais da Infância; Divisão da infância e suas características nas diversas faixas etárias; PAISC e ECA.

Classificação da infância em grupos etários:
Princípios norteadores do cuidado na saúde da criança
Linhas de cuidado da atenção integral da saúde da criança e redução da mortalidade infantil
Linhas de cuidado da atenção integral da saúde da criança e redução da mortalidade infantil
CONCEITOS BÁSICOS NA ASSISTÊNCIA À SAÚDE DA CRIANÇA:
É um campo de estudo e de prática da enfermagem dirigida à assistência à criança até a adolescência. Ou, ainda, é um campo da enfermagem que se dedica ao cuidado do ser humano em crescimento e desenvolvimento, desde o nascimento até a adolescência.
Enfermagem Pediátrica:

Pediatria
É o campo da Medicina que se dedica à assistência ao ser humano em crescimento e desenvolvimento, desde a fecundação até a adolescência.
É o ramo da Pediatria que atende o recém-nascido, desde a data do nascimento até completar 28 dias;
Neonatologia
Também denominada de Pediatria Preventiva, é o ramo da Pediatria que cuida da manutenção da saúde da criança e do acompanhamento de seu crescimento e desenvolvimento.
Puericultura
Hebiatria
É o ramo da Pediatria que atende as necessidades de saúde do adolescente.
- Neonatal: 0 a 28 dias
- Infância: de 29 dias a 10 anos
- Lactente: 29 dias a 2 anos
- Pré-escolar: 2 a 7 anos
- Escolar: 7 a 10 anos
- Adolescência: de 10 anos a 20 anos
Planejamento e desenvolvimento de ações intersetoriais
Acesso universal
Acolhimento
Responsabilização
Assistência integral
Assistência resolutiva
Equidade
Atuação em equipe
Desenvolvimento de ações coletivas com ênfase nas ações de promoção da saúde
Participação da família/controle social na gestão local
Avaliação permanente e sistematizada da assistência prestada
1- Ações da saúde da mulher: atenção humanizada e qualificada
2- Atenção humanizada e qualificada à gestante e ao recém- nascido
3 - Triagem neonatal: teste do pezinho
4 - Incentivo ao aleitamento materno
5 - Incentivo e qualificação do acompanhamento do crescimento e desenvolvimento (CD)
6 - Alimentação saudável e prevenção do sobrepeso e obesidade infantil

7 - Combate à desnutrição e anemias carenciais
8 - Imunização
9 - Atenção às doenças prevalentes (Destaque para as diarréias; sífilis e rubéola congênitas; tétano neonatal; HIV/ aids; doenças respiratórias/alergias)
10 - Atenção à saúde bucal
11 - Atenção à saúde mental
12 - Prevenção de acidentes, maus-tratos/violência e trabalho infantil
13 - Atenção à criança portadora de deficiência
O papel da equipe de atenção básica de saúde na atenção à criança
O foco de todos os profissionais nessa agenda é a criança, dentro do contexto da sua família e sociedade.

Atuação articulada com a equipe de saúde da família para supervisão sempre que necessário;
Estabelecimento de mecanismos de educação continuada da equipe em termos do conteúdo e da prática do cuidado em saúde com a criança;
Atuação como retaguarda para o atendimento das crianças referenciadas pela equipe.
Linhas de Cuidados Prioritárias
1 - PROMOÇÃO DO NASCIMENTO SAUDÁVEL;
2 - ACOMPANHAMENTO DO RECÉM-NASCIDO DE RISCO;
3 - ACOMPANHAMENTO DO CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO E IMUNIZAÇÃO;
4 - PROMOÇÃO DO ALEITAMENTO MATERNO E ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL: ATENÇÃO AOS DISTÚRBIOS NUTRICIONAIS E ANEMIAS CARENCIAIS;
5 - ABORDAGEM DAS DOENÇAS RESPIRATÓRIAS E INFECCIOSAS.
Profa Helena Farias
Direitos das Crianças
LEI Nº 8.069, DE 13 DE JULHO DE 1990 - Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências.

Criado para proteger nossas crianças e adolescentes, garantindo aos mesmos todas as oportunidades e facilidades , a fim de lhes facultar o desenvolvimento físico, mental, moral, espiritual e social, em condições de liberdade e de dignidade.
Art. 1º Esta Lei dispõe sobre a proteção integral à criança e ao adolescente.
Art. 2º Considera-se criança, para os efeitos desta Lei, a pessoa até doze anos de idade incompletos, e adolescente aquela entre doze e dezoito anos de idade.
Parágrafo único. Nos casos expressos em lei, aplica-se excepcionalmente este Estatuto às pessoas entre dezoito e vinte e um anos de idade.
Art. 4º É dever da família, da comunidade, da sociedade em geral e do poder público assegurar, com absoluta prioridade, a efetivação dos direitos referentes à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao esporte, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária.
Parágrafo único. A garantia de prioridade compreende:

a) primazia de receber proteção e socorro em quaisquer circunstâncias;
b) precedência de atendimento nos serviços públicos ou de relevância pública;
c) preferência na formulação e na execução das políticas sociais públicas;
d) destinação privilegiada de recursos públicos nas áreas relacionadas com a proteção à infância e à juventude.
Art. 5º - Nenhuma criança ou adolescente será objeto de qualquer forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão, punido na forma da lei qualquer atentado, por ação ou omissão, aos seus direitos fundamentais.
Art. 6º - Na interpretação desta Lei levar-se-ão em conta os fins sociais a que ela se dirige, as exigências do bem comum, os direitos e deveres individuais e coletivos, e a condição peculiar da criança e do adolescente como pessoas em desenvolvimento.
Art. 7º - A criança e o adolescente têm direito a proteção à vida e à saúde, mediante a efetivação de políticas sociais públicas que permitam o nascimento e o desenvolvimento sadio e harmonioso, em condições dignas de existência.
Art. 9º - O poder público, as instituições e os empregadores propiciarão condições adequadas ao aleitamento materno, inclusive aos filhos de mães submetidas a medida privativa de liberdade.
Art. 11 - É assegurado atendimento integral à saúde da criança e do adolescente, por intermédio do Sistema Único de Saúde, garantido o acesso universal e igualitário às ações e serviços para promoção, proteção e recuperação da saúde. (Redação dada pela Lei nº 11.185, de 2005)

1º A criança e o adolescente portadores de deficiência receberão atendimento especializado.
§ 2º Incumbe ao poder público fornecer gratuitamente àqueles que necessitarem os medicamentos, próteses e outros recursos relativos ao tratamento, habilitação ou reabilitação.
Art. 12 - Os estabelecimentos de atendimento à saúde deverão proporcionar condições para a permanência em tempo integral de um dos pais ou responsável, nos casos de internação de criança ou adolescente.
Art. 13 - Os casos de suspeita ou confirmação de maus-tratos contra criança ou adolescente serão obrigatoriamente comunicados ao Conselho Tutelar da respectiva localidade, sem prejuízo de outras providências legais.
Art. 14 - O Sistema Único de Saúde promoverá programas de assistência médica e odontológica para a prevenção das enfermidades que ordinariamente afetam a população infantil, e campanhas de educação sanitária para pais, educadores e alunos.

Parágrafo único. É obrigatória a vacinação das crianças nos casos recomendados pelas autoridades sanitárias.
Art. 15 - A criança e o adolescente têm direito à liberdade, ao respeito e à dignidade como pessoas humanas em processo de desenvolvimento e como sujeitos de direitos civis, humanos e sociais garantidos na Constituição e nas leis
Art. 16 - O direito à liberdade compreende os seguintes aspectos:
I - ir, vir e estar nos logradouros públicos e espaços comunitários, ressalvadas as restrições legais;
II - opinião e expressão;
III - crença e culto religioso;
IV - brincar, praticar esportes e divertir-se;
V - participar da vida familiar e comunitária, sem discriminação;
VI - participar da vida política, na forma da lei;
VII - buscar refúgio, auxílio e orientação.
Art. 17 - O direito ao respeito consiste na inviolabilidade da integridade física, psíquica e moral da criança e do adolescente, abrangendo a preservação da imagem, da identidade, da autonomia, dos valores, ideias e crenças, dos espaços e objetos pessoais.
Art. 18 - É dever de todos zelar pela dignidade da criança e do adolescente, pondo-os a salvo de qualquer tratamento desumano, violento, aterrorizante, vexatório ou constrangedor.
Art. 22 - Aos pais incumbe o dever de sustento, guarda e educação dos filhos menores, cabendo-lhes ainda, no interesse destes, a obrigação de cumprir e fazer cumprir as determinações judiciais.
Art. 33 - A guarda obriga a prestação de assistência material, moral e educacional à criança ou adolescente, conferindo a seu detentor o direito de opor-se a terceiros, inclusive aos pais
Full transcript