Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Sistemas Animais

No description
by

Carlos Gallo

on 10 September 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Sistemas Animais

Gânglios mais aglomerados
mancha ocular
(recepção visual)
sistema
nervoso

1. Sistema Nervoso nos invertebrados
700 milhoes de anos, celenterados
2.1 celenterados
fossas sensitivas
células sensoriais tácteis
estatocistos
(detectar a gravidade)
(redes de células nervosas)
Não há sistema nervoso central
2.2platelmintos
http://cyberself-neurofilosofia.blogspot.com.br/2007/09/evoluo-do-sistema-nervoso.html?view=flipcard

Sistema Tegumentar
Sistema Circulatório
um aglomerado de células nervosas no extremo da cabeça
bandas de fibras musculares que correm de um modo longitudinal ou circular
movimentos simples, como, por exemplo, arrastar-se e nadar.
origem de um sistema nervoso central
2.3 Anelídeos
Moluscos
1º a desenvolver sistema circulatório
Circulação aberta (na maioria) e líquido circulante é a Hemolinfa
Hemolinfa saí do coração através dos batimentos cardíacos e circula, fora dos vasos, nutrindo todos tecidos diretamente para depois retornar ao coração






Classe Cephalopada
Mesmo Filo
Circulação Fechada
Porém
Anelídeos

Problemas da Circulação aberta:
•Não tão efeciente quanto a fechada
• Baixa pressão sanguínea que leva ao limite de tamanho
Circulação fechada
• Auxiliada por vasos contráteis, além do coração
• Participa diretamente da troca gasosa, sem a necessidade de um outro orgão específico devido a respiração cutânea
Agora o sangue não sai dos vasos e torna todo transporte intercelular mais eficiente
Nos Anelídeos:
Artrópoda
Circulação aberta do tipo lacunar, na qual o líquido circurlante não possue função na troca gasosa
Sistema Respiratório
estrutura que envolve todo o organismo humano, exercendo a importante função de proteção e adaptação ao meio externo.


Poríferos

A parte externa do corpo das esponjas apresenta muitos poros e é formada por células achatadas denominadas pinacócitos, formando a pinacoderme. Os coanócitos também participam desse revestimento.
Na mesogléia existem espículas, estruturas de sustentação que podem ser de calcário ou sílica. As espículas se assemelham com agulhas. Pode possuir também uma rede de proteína, chamada espongina.

Cnidários
Possuem três camadas que constituem o corpo: epiderme (camada mais externa, com células sensoriais e cnidócitos), mesogléia (camada gelatinosa que possui células nervosas formando um sistema nervoso difuso) e gastroderme (revestimento da cavidade gastrovascular). A mesogléia é muito mais desenvolvida nas medusas, o que confere aspecto gelatinoso.
Platelmintos
Os platelmintos possuem um epitélio simples, sendo a epiderme formada por uma camada simples de células. As espécies parasitas apresentam uma cutícula de proteção e, em alguns casos, ventosas para fixação. Alguns apresentam cílios na região ventral, para fins de locomoção. Podem possuir células mucosas, que produzem lubrificação para facilitar a locomoção.
Nematelmintos
O corpo desses vermes é coberto por uma cutícula protetora muito resistente, produzida pela epiderme, composta principalmente de colágeno. Essa cutícula protege contra as enzimas produzidas pelo sistema digestório do organismo hospedeiro. A epiderme é composta por uma camada de células simples.
Anelídios
Apresentam o corpo revestido por uma epiderme simples ou uniestratificada contendo glândulas mucosas e células sensoriais, recoberta por uma cutícula delgada e muito permeável.
Moluscos
O corpo dos moluscos é divido em cabeça, pé e massa visceral. Na massa visceral encontramos as vísceras. Na epiderme existe uma dobra chamada manto, que secreta a concha. O manto envolve o corpo do animal. Entre a parede do corpo e o manto encontramos a cavidade do manto. A concha secretada é um exoesqueleto calcário.
Mecanismo responsável pela troca gasosa com o meio, assegurando uma concentração permanente de Oxigênio necessária para reações metabólicas, chamada

RESPIRAÇÃO
Equinodermos
Os animais marinhos invertebrados são cobertos por espinhos, ou por um endoesqueleto calcário. Os Esqueletos e espinhos são protegidos pela epiderme. Os espinhos (quando existentes) servem de proteção, são longos e às vezes providos de veneno. Algumas espécies de equinodermos possuem um tipo de pinça, que é usado como defesa e limpeza de seu corpo.


A respiração é imprescindível para todas as formas de vida no mundo. Portanto, naturalmente, ela se manifesta de diferentes formas, como:
Artrópodes
Os artrópodes possuem um exoesqueleto formado por quitina, que cobre o corpo todo. A cutícula é dividida em placas separadas, permitindo a movimentação do animal. O esqueleto é secretado pela hipoderme, que é a camada tegumentar subjacente. Normalmente a cutícula é dotada de poros (canais) por onde passam secreções glandulares.
Tegumentar, cutânea ou " por difusão"
Branquial
Traqueal
Filotraqueal / Pulmotraqueal
Pulmonar
não há estruturas especializadas, pois os seres são relativamente simples
trocas gasoas realizadas por difusão
verificada em protozoários, poríferos, celenterados, patelmintos, asquelmintos, anelídeos e cefalocordados.
Nos crustáceos ocorre uma deposição do carbonato de cálcio e fosfato de cálcio na formação do exoesqueleto.
Cordados
Aves
ocorre por meio de
brânquias
, projeções laterais da faringe
principalmente em crustáceos, peixes e anfíbios
O corpo das aves é recoberto por penas (anexos epidérmicos), e as pernas, por escamas córneas. A pele da maioria das aves não possui glândulas.
Répteis
Os répteis têm o corpo recoberto por uma pele seca e praticamente impermeável. As células mais superficiais da epiderme são ricas em queratina, o que protege o animal contra a desidratação e representa uma adaptação à vida em ambientes terrestres. A pele pode apresentar escamas (cobras), placas (jacarés, crocodilos) ou carapaças (tartarugas, jabutis).
realizada por meio da
traquéia
, finíssimos túbulos condutores originários dos espiráculos
nesse caso, o sistema circulatório não tem nenhum papel no processo de respiração
verifica-se em insetos no geral e miriápodes

vários tubos comunicam-se com capilares sanguíneos onde ocorre trocas gasosas
aranhas e escorpiões são exemplos de seres cuja respiração é filotraqueal
escamas
placas
carapaça
sistema respiratório próprio a tetrápodes em geral, bem como a alguns moluscos e peixes
O pulmão pode ser saculiforme (pequena superfície gasosa, presente nos anfíbios e répteis), parenquimatoso (superfície gasosa um pouco maior que o anterior, presente em répteis e aves), alveolar (grande superfície, encontrado nos mamíferos) ou pulmão de peixe fisóstomo.

Anfíbios
Não possuem pêlos nem escamas externas.
A pele fina, rica em vasos sanguíneos e glândulas, através da respiração, permite-lhes, a absorção de água, que funciona como defesa orgânica.
As glândulas em sua pele são de dois tipos: mucosas, que produzem muco, e serosas, que produzem veneno. Todo o anfíbio produz substâncias tóxicas

Peixes
Peixes Ósseos
epiderme lisa, coberta por escamas. Existem glândulas produtoras de muco, que lubrifica o corpo do peixe, que serve de proteção e facilita a locomoção na água.
Peixes Cartilaginosos
A epiderme é pluriestratificada (cerca de 4 a 6 camadas de células sobrepostas), mais delgada que a derme.
Apresentam escamas placóides, que é uma escama com estrutura parecida com a de um dente, pois é composta de esmalte, dentina, vasos e nervos.

Mamíferos
A superfície corporal é impermeável devido à grande quantidade de queratina.
Além disso, a pele caracteriza-se pela presença de anexos específicos, com destaque para os pelos. Outros anexos comuns são as unhas, garras, cascos, placas córneas, chifres e cornos.
Outra importantes característica é a presença de muitas glândulas, tais como as sudoríparas e as sebáceas.
• As glândulas sebáceas produzem sebo (ou óleos) que lubrificam a pelagem.
• As glândulas sudoríparas produzem o suor, secreção responsável pelo resfriamento da superfície corporal. Além disso, pelo suor também são excretados alguns sais minerais e ureia.

http://www.grupoescolar.com/biologia/
http://www.infoescola.com/biologia/
http://sobiologia.com.br/
http://pt.wikipedia.org/
Surgimento:
2.4 Artropodes
2.5. Moluscos
Insetos
Muito mais desenvolvidos
grandes e importantes centros de integração sensorial e de controle motor
formação de colônias ou de sociedades

1)Gastrópodes
2) Bivalves
3) Cefalópodes
verdadeiro sistema nervoso central
esboça o aparecimento de um cérebro na cabeça.
vários tipos de receptores especializados
sistema somato-sensorial, especializado na detecção da estimulação da superfície corporal
órgãos dos sentidos muito especializados situados na cabeça (olhos, órgãos auditivos e antenas).
dupla cadeia ventral de gânglios
relativa autonomia,
um artrópode pode realizar algumas atividades, como andar, mesmo após ser decaptado.
adaptações e mecanismos nervosos associados
Insetos sociais
(formigas, abelhas e vespas)
divisão do trabalho entre os indivíduos especializados,
(animais com pé grande e chato)
(animais formados por duas conchas)
gânglio cerebróide grande
(lembra o encéfalo dos vertebrados)
permanencia do sistema ganglionar
Importante:
Ganglios nervosos
Aglomerados de neurônios
(fora do sistema nervoso central, quando há um)
Sistema nervoso nos vertebrados
nervos e neurónios que não possuem vínculo com o sistema nervoso central.
Sistema nervoso central (SNC)
Sistema nervoso periférico (SNP).
cérebro e espinha dorsal.
1-Cérebro
3-Sistema Nervoso Dorsal
2-Sistema Nervoso Central
controlar a digestão, esófago, estômago, intestino delgado e cólon.
discernimento
julgamento
raciocínio lógico
Homem
pensar e a elaborar ações conscientes frente aos estímulos ambientais
máximo em complexidade
coordenação dos movimentos do corpo e perecepção de estímulos externos
O sistema nervoso somático
(controle consciente)
O sistema nervoso simpático
O sistema nervoso autónomo
O sistema nervoso parassimpático

aceleração do batimento cardíaco
pressão arterial
incremento de adrenalina no sistema
perigo iminente ou stress
constrição pupilar
redução dos batimentos cardíacos
dilatação dos vasos sanguíneos
estimula o sistema digestivo
descanso e relaxamento
o sistema nervoso entérico
Sistemas Animais
Carlos Gallo

Matheus Vasconcellos

Maria Paula Madruga
Augusto Bastos
Lucas Glufke
Betina Maia
Leonardo Scheinben

Poríferos
Animais sem tecido
Sem orgãos específicos
Digestão intracelular
Alimentos vindos do fluxo d'agua criada para o interior do porífero para atingir as células
Cnidários
Cavidade gastrular
Abertura simultanea para boca e ânus
Platelmintos
Nematelmintos
Sistema digestório completo
Anelídeos
Sistema Digestório
Sistema digestório incompleto
(digestão intra e intercelular)
Obs: As tênias são uma exceção, pois fazem a absorção de nutrientes através de sua vasta superfície corporal.
Começam com uma digestão extracelular e terminam no interior das células.
Ramificações do intestino
(distribuição dos alimentos)
Com canal de entrada
e canal de saída
Moluscos
Sistema digestório completo
Estrutura especializada para raspar os alimentos
Rádula
Obs: Concha: Se alimenta filtrando a água, caso algum corpo estranho como grão de areia penetrem no seu interior, é secretado carbonato de cálcio para proteger as viceras, formando assim, a perola
digestão mecânica
Moela
graças à moela, as minhocas (oligoquetas) tem grande papel ecológico na fertilização do solo porque quebram grandes partículas formando o húmus
armazenagem de alimentos
Papo
Artrópodes
Tubo Digestivo completo
compartimentos especializados
ingestão, trituração e armazenamento dos alimentos
Intestino Médio
absorção de água e preparação do material fecal.
Intestino Anterior
produção enzimas digestivas, digestão química e absorção.
Intestino Posterior
(cecos digestivos, fígado e hepatopâncreas)
Cordados
Urocordados (ascídias)
grande faringe perfurada está adaptada para a alimentação por filtração.
Cefalocordados (anfioxo)
faringe perfurada que filtra pequenas partículas

Equinodermas
boca, estômago, intestinos e ânus
Somente nos equinodermas carnívoros
Vertebrados
sistema digestivo é completo, ventral à coluna vertebral, com um fígado e pâncreas.
Chondrichthyes
O intestino apresenta válvula em espiral (para aumentar a área de absorção) e o fígado é grande e muito rico em óleo, o que confere grande flutuabilidade
Ostheichthyes
A boca grande éterminal e frontal, rodeada de maxilas e mandíbulas distintas, onde estão implantados dentes cônicos e finos
Amphibia
: a boca geralmente apresenta dentes finos e língua protráctil cuja base frontal é fixa.


Reptilia
Em cobras venenosas existem as presas, dentes longos e ocos, capazes de injetar peçonha ao picar
Aves
O tubo digestivo propriamente dito está dividido nos seguintes compartimentos: boca; esôfago; papo – dilatação a nível do esôfago, onde os alimentos são armazenados e amolecidos
mamíferos
Nos carnívoros o aparelho digestivo é simples pois as proteínas, lípidios e sais minerais que se encontram na carne não necessitam de digestão especializada.
Nos omnívoros o estômago é um saco de paredes musculosas e com glândulas produtoras de ácido clorídrico e enzimas. A parede do estômago não é destruída por estes fluidos devido à protecção da mucina, outra secreção gástrica.
nos herbívoros o intestino é proporcionalmente maior, pois os vegetais são menos nutritivos e de digestão difícil e como sabemos as plantas contêm glícidos complexos, como a celulose
Obrigado!
Desenvolvimento Embrionário
Gameta Feminino + Gameta Masculino
Zigoto = óvulo diplóide
composto pelos dois gametas

Blástula
Desenvolvimento do Zigoto
Bola de células com cavidade interna presente em todos os animallia, mostrando sua ancestralidade em comum
Gástrula: Desenvolvimento da Blástula
Ocorre de acordo com seus folhetos
Sem folheto
Diblásticos
Triblásticos
Sem Folheto
Poríferos
Não formam Gástrula
Diblásticos
Formam 2 folhetos
Ectoderma
Endoderma
Cnidários
Triblásticos
Três folhetos embrionários, os dois anteriores mais o mesoderma
Presente os demais filos
Arquêntero
Cavidade interna da Gástrula delimitada pelo endoderma, conectada ao exterior através de uma cavidade chamada blastóporo
Celoma
Acelomados
Pseudocelomados
Celomados
Mesoderma preenche o espaço entre o endoderma e o ectoderma
Não possui outra cavidade além da digestória
Exemplo: platelmintos
(vermes chatos)
O mesoderma cresce aderindo a parede do ectoderma deixando uma cavidade entre ele e o endoderma
O pseudoceloma é preenchido por líquido e nele se encontram os orgãos dos animais
Exemplo:
Nematelmintos
(vermes cilíndricos)

Apresentam uma cavidade corporal além da digestória, a qual é completamente revestida pelo mesoderma
Protostômios
Deuterostômios
Blastóporo origina a boca
Ex:Mollusca, Anellida Arthropoda
Blastóporo origina o ânus
Ex:Equinodermes e Cordados
Cordatos
Condrictes e Osteictes
Circulação fechada simples pelo coração bicavitário, no qual o sangue venoso passa 1 vez pelo coração
Anfíbios e Répteis não crocodilianos
Tricavitário, com circulação dupla fechada porém incompleta, ocorre a mistura entre os sangues, o que leva a um menor aproveitamento do O2
Répteis Crocodilianos
Coração tetracavitário, com circulação dupla fechada e completa, os sangues não se misturam
Permite uma maior agilidade, mas ainda não possuem desenvolvimento o bastante para controlar o metabolismo
Animais pecilotérmicos que dependem da temperatura do ambiente para o funcionamento correto do seu metabolismo
Aves e Mamíferos
Coração tetracavitário, com circulação dupla fechada e completa, com diferencial da homeotermia que permite o controle metabólico e manuntenção da temperatura corporal
Sistema Locomotor
1-Poríferos
O sistema locomotor é responsável pelas funções do movimento, locomoção e deslocamento dos seres vivos. O conjunto de ossos, músculos e elementos das articulações compreende a locomoção na espécie humana.
São animais sésseis.
Não possuem sistema locomotor.
2-Cnidários
Os cnidários apresentam movimentos de contração e de extensão do corpo, além de poderem apresentar deslocamentos. São, portanto, os primeiros animais a realizarem essas funções.
Nos pólipos, a capacidade de locomoção é reduzida, podendo ser do tipo "cambalhota". Nas medusas, a locomoção é mais ativa, sendo realizada por um mecanismo denominado jato propulsão: os bordos do corpo se contraem, e a água acumulada na fase oral da medusa é expulsa em jato, provocando o deslocamento do animal no sentido oposto.
3-Platelmintos
A locomoção dos platelmintos se dá por meio de cílios. Grande parte dos turbelários é ciliada; as espécies maiores movem-se através de cílios com o auxilio de ondulações musculares existentes na parte ventral do corpo.
4-Nematelmintos
O sistema locomotor dos nematelmintos é formado por camadas musculares longitudinais, que são encontradas logo abaixo da epiderme. Esses músculos são ativados pelas cadeias nervosas, sendo que a contração permite apenas movimentos de flexão dorsoventral, não sendo possível a realização de movimentos laterais.
5-Anelídeos
A locomoção é feita por contrações rítmicas da musculatura, auxiliada pelo esqueleto hidrostático. Nos oligoquetos, na face ventral do corpo, estão presentes estruturas quitinosas que auxiliam na locomoção – as cerdas. Nos poliquetos, as cerdas se inserem em expansões laterais, presentes um par delas em cada anel, denominadas parapódios, que também auxiliam na locomoção. Os hirudíneos são desprovidos de cerdas e parapódios, porém apresentam na face ventral do corpo um par de ventosas que utilizam para realizar movimentos de “mede palmos”.
6-Moluscos
A locomoção da maioria dos representantes é lenta devida ao pé musculoso. Os que são rápidos, como as lulas e os polvos, locomovem-se graças à expulsão de jatos de água que saem através de um sifão. Muitos, porém, são fixos ao substrato, como as ostras e os mariscos na fase adulta.
7-Artrópodes
Os artrópodes são animais invertebrados providos de órgãos locomotores articulados. As patas articuladas permitem que o animal possa realizar diversos movimentos, muito bem definidos e elaborados. Essa característica confere a esses animais não apenas uma locomoção eficiente, mas também auxiliam na sua defesa e na captura de alimentos.
Alguns artrópodes possuem asas, locomovendo-se através do vôo, como é o caso de alguns insetos.
8-Equinodermos
Estes animais possuem um complexo sistema de lâminas, canais e válvulas, que recebe o nome de ambulacrário e relaciona-se, além de outras funções, com a locomoção.
Os pés ambulacrais são formados por paredes musculares e ampolas que acumulam líquido, se distendendo e projetando para o exterior do corpo através de pequenos orifícios do esqueleto. Quando ocorre o relaxamento, o pé se contrai e expulsa a água do seu interior, retraindo-se. Ou seja, é essa variação de pressão do líquido no sistema que define a expansão ou retração dos pés, fato que faz com que o animal se movimente.

9-Cordados
9.1-Peixes
A locomoção dos peixes é feita a partir dos movimentos de suas nadadeiras. Estas podem ser peitorais, ventrais, dorsais, caudais e anais.
9.2-Anfíbios
A grande maioria dos anuros são saltadores, as salamandras caminham e as cobras-cegas arrastam-se.
Na água são nadadores. Quando larvas usam a cauda e quando adultos utilizam as patas, que possuem membranas interdigitais.
As pererecas apresentam discos adesivos nos dedos, chamados de ventosas.

9.3-Répteis
O nome répteis deriva do modo de locomoção: as quatro patas (ausentes nas cobras) situam-se no mesmo plano do corpo, determinando o rastejamento do ventre no solo. Para a realização desses movimentos, apresentam músculos bem desenvolvidos. O esqueleto dos répteis é totalmente ósseo.
9.4-Aves
As aves, em sua maioria, são voadoras e somente algumas, como o avestruz, o casuar ou o pingüim, não voam e estão adaptadas à corrida em terra firme ou à natação.
O deslocamento no ar impôs grande número de alterações na forma do esqueleto e dos músculos. Os ossos tornaram-se muito leves, numerosas peças ósseas do crânio e da coluna vertebral fundiram-se, de modo que o conjunto se transformou em excelente suporte para o vôo. No esterno da maioria das aves, desenvolveu-se um prolongamento em forma de quilha, que atua como suporte dos possantes músculos peitorais.
9.5-Mamíferos
Em todos os mamíferos, os dois pares de membros são adaptados à função de locomoção. Assim, os que foram viver na água desenvolveram membros que permitissem o deslocamento na água. A foca tem quatro nadadeiras e a baleia tem os membros posteriores atrofiados, e os anteriores permaneceram curtos, semelhantes a nadadeiras.
Full transcript