Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Os Lusíadas (seminário)

No description
by

Renan Oliveira

on 20 September 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Os Lusíadas (seminário)

Os Lusíadas
(Poesia épica de Camões) Canto I Contém a introdução, a invocação e o oferecimento. A narração tem início como os portugueses já no Oceano Índico. Enquanto isso, os deuses reúnem no Olimpo para decidir a sorte dos portugueses. Vênus e Marte são favoráveis ao empreendimento. Baco é contrário. Júpiter decide permitir a continuidade da viagem. Em Moçambique, os portugueses enfrentam uma cilada preparada por Baco. Canto II Canto III A pedido do rei de Melinde, Vasco da Gama começa a contar a história de Portugal. Nesse canto, narra-se a história de Inês de Castro, uma das mais conhecidas passagens de Os lusíadas. Canto IV Narram-se outros fatos importantes da história portuguesa, até chegar à época da viagem de Vasco da Gama. A narrativa retrocede para o início da viagem. Quando os portugueses vão sair do porto de Restelo, surge um velho que critica severamente as grandes navegações, acusando os portugueses de vaidade excessiva. É o episódio conhecido como "O velho do Restelo". Canto V A frota ainda está em Melinde. Vasco da Gama narra a viagem pela costa africana, o cruzamento do Equador e detém-se naquele que foi o mais difícil ponto da viagem: a travessia do Cabo das Tormentas, que aparece personificado na figura do gigante Adamastor. Canto VI A armada deixa Melinde com destino às Índias. Baco desce ao fundo do mar e pede aos deuses que liberem os ventos contra a fronteira portuguesa. Ocorre uma tempestade, abrandada com a chegada de Vênus e das Ninfas, que seduzem os ventos. Finalmente chega às Índias. Canto VII Narram-se o desembarque em Calicute
e os primeiros contatos com os mouros.
Descrevem-se as Índias. Canto VIII Os portugueses enfrentam novos problemas com os mouros. Alguns adivinhos dizem que os lusitanos vinham para escravizar os indianos. Baco aparece em sonho a um sacerdote muçulmano, inspirando-lhe sentimentos anticristãos. Canto IX Conseguindo livrar-se das dificuldades, Vasco da Gama apressa a partida. Inicia-se a viagem de volta a Portugal. Segue-se o episódio da Ilha dos Amores; Vênus e Cupido preparam uma recepção aos portugueses para compensar-lhes os sofrimentos. Enquanto Vasco da Gama ama a deusa Tétis, os marinheiros divertem-se com as Ninfas. Canto X Tétis oferece um banquete aos navegantes. Após o banquete, leva-os para o alto de um monte e descreve-lhes o mundo até então conhecido. Os navegantes partem da ilha e retornam a Lisboa. Introdução Principais personagens Baco: é o deus romano do vinho (Dionísio para os gregos), e principal vilão da historia.

Vasco da Gama: o principal personagem, herói e capitão da caravela lusitana.

Vênus: é a deusa romana do amor (Afrodite para os gregos), ela ajuda os portugueses em sua jornada.

Júpiter: Rei dos deuses e deus do universo (Zeus para os gregos).

Adamastor: Gigante mítico que representa as forças da natureza contra Vasco da Gama.

Inês de Castro: Nobre galega que teve um amor proibido com o príncipe português D. Pedro I. Publicado em 1572, Os lusíadas é considerado o maior poema épico da língua portuguesa.
O poema divide-se em dez cantos. Cantos são as partes que compõem os longos poemas. São 8.816 versos, distribuídos em 1.102 estrofes com o seguinte esquema de rimas: ab ab ab cc. Camões seguiu o modelo da Eneida, do escritor Virgílio, ao estruturar sua obra. Em Moçambique, outra cilada:
Baco, disfarçado de cristão, tenta
convencer os portugueses a
desembarcarem.
Vênus e as Nereidas intervêm,
impedindo que os portugueses
sejam derrotados pelos mouros.
A frota chega a Melinde, onde
é festivamente recebida.
Full transcript