Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Influência dos Economistas Liberais

No description
by

Márcio Cunha

on 4 September 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Influência dos Economistas Liberais

A Influência dos Economistas Liberais - Antencedentes históricos da Administração
design by Dóri Sirály for Prezi
O início
O liberalismo econômico surgiu na Europa juntamente com a Revolução industrial, e na América no final do sec. XVIII;
Para os adeptos do liberalismo econômico todos os agentes são movidos por um impulso de crescimento e desenvolvimento econômico, sendo confundido com ambição ou ganância individual, mas que em um contexto maior traria benefícios para toda a sociedade, visto que a soma desses interesses particulares proveria a "evolução generalizada".
Os pensadores
Os principais teóricos foram:
Adam Smith foi um economista e filósofo escocês, nascido em 1723. É considerado como aquele que mais contribuiu para a moderna percepção da economia de livre mercado. Segundo seu livro mais importante, “Uma investigação sobre a natureza e a causa da riqueza das nações”, a riqueza das nações e dos indivíduos em geral eram frutos de seus interesses próprios . O trabalho de Smith ajudou a construir a fundação de disciplinas modernas acadêmicas de livre mercado e providenciou um dos melhores tratados intelectuais sobre capitalismo e liberalismo;
Finalizando...
Suas características mais marcantes: defesa da livre concorrência, do livre cambismo e da lei da procura e oferta como mecanismo de regulação do mercado;
Karl Marx (1818–1883) foi filósofo e revolucionário alemão. Criou as bases da doutrina comunista, onde criticou o capitalismo. Sua filosofia exerceu influência em várias áreas do conhecimento, tais como Sociologia, Política, Direito, Teologia, Filosofia, Economia, entre outras.
Friedrich Engels foi um importante filósofo alemão. Nasceu em 28 de novembro de 1820, na cidade alemã de Wuppertal. Morreu em Londres, no dia 5 de agosto de 1895. Junto com o filósofo alemão Karl Marx, criou o marxismo (socialismo científico).
No ano de 1848, junto com Marx, publicou a obra “O Manifesto Comunista”, onde foi estabelecida as bases da doutrina comunista. Neste mesmo ano, Engels participou das Revoluções de 1848, na Alemanha, Bélgica e França. Em 1850, retornou para a Inglaterra.
Na década de 1850, Engels forneceu apoio financeiro para Marx escrever o primeiro volume da principal obra socialista “O Capital”. Após a morte de Marx (1883),

Mais valia
termo usado para designar diparidade entre o salário pago e valor do trabalho produzido;
Para Smith, o valor do trabalho agregado ao produto é menor do que o valor que a mercadoria poderia ser vendida.
David Ricardo: a questão salarial esta ligada às necessidades fisiológicas, isto é, o valor pago gira em torno das condições mínimas de sobrevivência, ou seja cobre somente o básico;
Para Werner Sombart, o capitalismo não se encontrava aliado somente à economia, mas também à essência das burguesia que emergiu no fim da Idade Média na Europa. Que para essa burguesia acumular riquesa não era o mesmo que acumular capital;
Participantes
Alessandro Silva
Daiane Alves
Daniela
Lidiane
Jessica Costa
Marcio Cunha
saulo lima
Shirlene Costa
Valeria Freitas
Burguesia
Nos séculos XVII e XVIII a burguesia teve grande importância no declínio do sistema absolutista apoiando diversas revoluções, que ficariam conhecidas como revoluções burguesas, como, por exemplo, a Revolução Inglesa e a Revolução Francesa, deixando assim, o caminho livre para a expansão do capitalismo e para a propagação da “filosofia burguesa”, da qual se originaram os conceitos de livre comércio, liberdade pessoal, direitos religiosos e civis.
Conforme o comércio e a economia se expandiam, crescia também o poder e o domínio desta classe, fato que foi consolidado com a Revolução Industrial no século XVIII; a partir deste ponto o capitalismo industrial se afirma como sistema econômico mundial e a divisão da sociedade entre burguesia e proletariado se torna ainda mais evidente.

Segunda Fase: Capitalismo Industrial


No século XVIII, a Europa passa por uma mudança significativa no que se refere ao sistema de produção. A Revolução Industrial, iniciada na Inglaterra, fortalece o sistema capitalista e solidifica suas raízes na Europa e em outras regiões do mundo. A Revolução Industrial modificou o sistema de produção, pois colocou a máquina para fazer o trabalho que antes era realizado pelos artesãos. O dono da fábrica conseguiu, desta forma, aumentar sua margem de lucro, pois a produção acontecia com mais rapidez. Se por um lado esta mudança trouxe benefícios ( queda no preço das mercadorias), por outro a população perdeu muito. O desemprego, baixos salários, péssimas condições de trabalho, poluição do ar e rios e acidentes nas máquinas foram problemas enfrentados pelos trabalhadores deste período.

O liberalismo econômico ATUAL mantém-se mais no nível da retórica, pois, na prática, há muito dirigismo econômico na sociedade capitalista moderna. Também as diretrizes dos mais importantes organismos econômico-finaceiros internacionais, como o FMI e a OMC, contradizem os princípios do Liberalismo clássico;
Full transcript