Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Os Maias - Capítulo XV

No description
by

Madalena Afonso

on 2 May 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Os Maias - Capítulo XV

Espaço Personagens Tempo Começa no final de setembro, "as últimas rosas do verão"
Acaba no início do inverno

Analepse Síntese Crítica de Costumes Analisa-se a situação do jornalismo em Portugal e compara-se o baixo nível dos jornais com a situação do país Trabalho realizado por:
Madalena Afonso, nº11
11º1A Os Maias
Capítulo XV Principais:
Carlos da Maia
João da Ega
Maria Eduarda
Rosa
Afonso da Maia Secundárias:
Alencar
Dâmaso Salcede
Cohen
Craft
Cruges
Steinbroken
Marquês de Sousela Personagens-tipo:
Palma Cavalão
Neves Diretor do jornal "A Tarde"
Influencia politicamente os leitores
Revela parcialidade na decisão de publicar ou rejeitar artigos Na "Toca" (casa nos Olivais):
representa simbolicamente o território de Carlos e de Maria Eduarda
realça o caráter animalesco da relação dominada pelo desejo e pela paixão Em Lisboa:
No jornal "A Corneta do Diabo"
Em casa do Dâmaso
No teatro
No jornal "A Tarde" Analepse:
Viena
Paris
Tours Consentimento de Rosa em relação ao casamento da mãe com Carlos Vida e educação de Maria Eduarda Nascera em Viena mas não se recordava muito da sua infância Não sabia nada do seu pai
Tivera uma irmã
A sua mãe não tolerava que lhe perguntassem coisas do passado A mãe pô-la num convento perto de Tours Foi viver para Paris, de onde já tem memórias mais nítidas Voltou para Paris O seu avô falecera
Tinha uma aia italiana que alevava todas as manhãs a brincar aos Campos Elísios
À noite via a mãe com um homem loiro No início, as visitas da mãe eram frequentes
As visitas deixaram de ser regulares
Passado um ano sem se ver, a mãe voltou coberta de luto
Na visita seguinte a mãe já estava mais feliz A casa da sua mãe tornara-se uma casa de jogo
Conheceu Mr. Trevernnes
Uma noite mudaram de casa
Conheceu Mac Gren
A partir daí, as três viveram uma vida difícil
A mãe de Maria morreu de uma doença de coração
Maria conheceu Castro Gomes Maria Eduarda acaba o seu relato dizendo que nunca amara e que o seu corpo permanecera sempre frio Preocupação de Carlos em contar ao avô que está noivo de Maria Eduarda Visitas dos amigos de Carlos à "Toca" Episódio da "Corneta do Diabo" Carlos recebe um carta de Ega com um artigo do jornal "Corneta do Diabo"
Decide ir a Lisboa para descobrir quem o escreveu
Palma Cavalão revela que foi Dâmaso
Carlos pede a Ega e a Cruges para falarem com Dâmaso,
Ao início, Dâmaso faz-se de inocente
Ega consegue convencer Dâmaso a escrever uma carta de arrependimento
Carlos entrega a carta a Ega Encontro de Maria Eduarda com Guimarães Episódio no jornal "A Tarde" Ega vê Dâmaso com Raquel Cohen e decide publicar a carta
Dirige-se ao jornal "A Tarde"
Neves primeiro recusa, mas quando se apercebe que é o Dâmaso Salcede, não hesita em publicar
Quando Dâmaso vê a sua carta publicada, vai de "férias" para Itália "A Corneta do Diabo" "A Tarde" "imundice e malandrice"
Publica um artigo contra Carlos mediante dinheiro
Publica folhetins de baixo nível Publica artigos de amigos políticos
Recusa publicar a carta de arrependimento de Dâmaso porque o confunde com um amigo político
Serve-se da carta para se vingar Critica-se a falta de ética dos jornalistas juntamente com a corrupção motivada por interesses económicos "tais jornais, tal país" Proprietário e redator do jornal "A Corneta do Diabo"
Jornalista corrupto
O nome de Cavalão foi-lhe atribuido para o distinguir de um benemérito chamado Palma Cavalinho
Sem caráter, publica artigos injuriosos ou retira-os
É baixo e gordo
Símbolo do jornalismo de escândalo, feito por jornalistas imorais e corruptos
Full transcript