Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Commonplace Code-Switching at Home

No description
by

Camila Mombach

on 13 November 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Commonplace Code-Switching at Home

Alternância de Código Linguístico no Cotidiano de um Lar
Code Switching e Bilinguismo
Code-switching e Razões para
Alternância de Código
Alternância de Código (code-switching) é um termo utilizado pela linguística para explicar o uso de duas ou mais variedades linguísticas no ato da fala.
Procedimentos Metodológicos e
Organização dos Dados
Sujeto da pesquisa
Kat, uma guria de 16 anos, uma falante nativa de língua inglesa que veio para Brasil aos 11 anos de idade em companhia da sua mãe, tambem faltante nativa de língua inglesa, e do seu padrasto, brasileiro nato e fluente em língua inglesa.
Resultado e Conclusão
Code-switching por definição está ligado ao bilinguismo
Commonplace Code-Switching at Home
Conceito de Bilinguismo
Bilinguismo constitui-se no uso alternado de duas
ou mais línguas por um mesmo falante. (Mackey)
O indivíduo bilíngue é o que interage com o mundo atra-
vés de suas linguagens, ou seja, é aquele capaz de utilizar
mais de uma língua, em caráter funcional, e em diferentes
graus. (Grosjean)
Bilinguismo
video
Code-Switching
Razões para a Alternância
(segundo Grosjean)
Para que um indivíduo seja considerado bilíngue, é necessário
que estejam presentes em seu repertório linguístico pelo menos
duas línguas, muito embora não seja necessário que a habilidade
de uso dessas línguas tenha que ser necessariamente igual.
(Beardsmore)
* Bilinguismo individual
vs Bilinguismo social
* Bilinguismo familiar
* Bilinguismo equilibrado
vs Bilinguismo desequilibrado
Objetivo da pesquisa
Esta pesquisa teve como objetivo principal fazer uma análise das alternâncias de código produzidas por uma falante bilíngüe, inglês/português, nas conversações travadas no seio do lar com o seu então padrasto, bem como discutir os motivos que levaram a falante bilíngüe a alternar o seu código lingüístico.
Organização dos dados
Grupo A – Suprir necessidade de vocabulário e de marcador discursivo

Grupo B – Adágios, gírias e expressões sem tradução adequada na língua nativa

Grupo C – Continuar a conversa na última língua empregada

Grupo D - Citar alguém

Grupo E – Demonstrar intimidade, solidariedade e frustração

A alternância de código numa conversação normal ocorre numa média de 84% em nível da palavra, 10% em nível da frase e apenas 6% em nível da oração (Cook).

Alternância de código é diferente de empréstimo linguístico - palavras incorporadas fonológica e morfologicamente à língua base (Grosjean).

A alternância de código não é feita de forma arbitrária, mas é controlada por regras gramaticais das línguas envolvidas no processo.

A alternância pode ser utilizada como mecanismo de fundamentação no desenvolvimento linguístico do aprendiz de uma língua estrangeira, já que o mesmo pode transitar pelas duas ou mais línguas e utilizar aquela que lhe for mais apropriada para uma determinada situação.
Camila Mombach
Natalia Wisnievska

Tipos de Code-Switching
Metafórica (mudança de tópico)
Situacional (mudança em nível de estratégia e participante)
Intersentencial (mudança de interlocutor)
Intra-sentencial (em nível da frase, oração ou palavra, sem adaptação morfológica). (Hymes)
Segmental (frase desempenha várias funções)
Unitária (apenas um elemento é afetado) (Darbène e Moore)
suprir uma necessidade de vocabulário, de marcador discursivo;
continuara conversa na última língua empregada;
citar alguém;
especificar o interlocutor;
qualificar a mensagem, tornando-a mais ampla ou dando-lhe ênfase;
personalizar a mensagem, especificando o envolvimento do falante;
marcar a identidade com o grupo, demonstrando solidariedade;
transmitir intimidade, fúria, aborrecimento;
excluir alguém da conversa;
modificar o papel do falante, aumentando seu status ou outorgando-lhe autoridade.
Percebe-se por parte da informante uma infinidade de alternância de código intra-sentencial, quer em sua forma unitária, quer em sua forma segmental.

A grande maioria das ocorrências se dá em nível da palavra e com adaptação perfeita do termo à língua base.

Notou-se também que a justaposição das línguas envolvidas no processo não afetou suas normas sintáticas. Todos exemplos de alternância de código executadas tinham o principal objetivo de expressar da melhor maneira possível e dar um melhor significado a sua mensagem.


Análise e Discussão de Dados
Foram tomadas como base as razões e motivos sugeridos por Grosjean (1982) e citados por Moura (1997). Após análise das ocorrências de code-switching apresentadas pela informante, notou-se a presença de quase todos os fatores motivadores de tal fenômeno descritos na literatura.
Vocabulário
Se no momento da interação a falante não tem o léxico disponível em sua memória, utiliza-se do fenômeno para suprir uma necessidade de vocabulário.

Exemplos:
1. I don't know if they are all
confiáveis
.
2. Can I tell a joke? It is very
nojenta
, though.
3. Just because we were reading some exotic things they called us
macumbeiros
.
4. He looks like a
malandro
, but he is not. He is
evangélico
.
Gírias
Adágios, gírias e algumas expressões metafóricas e idiomáticas possuem uma carga cultural muito grande que pode ser perdida quando tais palavras são traduzidas para outra língua.
A informante utiliza muitas palavras que foram aprendidas em português e para as quais ela não parece ter disponível em seu repertório linguístico o termo equivalente na língua base ou ainda porque aquele vocabulário não tem uma tradução adequada na língua nativa.

Exemplos:
1. You know, they like to
fofocar
a lot.
2. She has a
ficante
sério.
3. He is
no pé dela
, but she is so
bruta
.
4. Are you dating anybody? No I'm
paquerando
.
Intimidade/Solidariedade/ Frustração
Na maioria dos casos a informante faz alternância de códigos porque quer demonstrar intimidade com seu interlocutor. Algumas vezes, porém, utiliza para demonstrar frustração com o sistema educacional brasileiro.

Exemplos:
1.
Não vou fazer o terceiro ano aqui. Deus me livra; Deus não deixa.
I'll never pass the
vestibular
.
2. I heard that
roubaram o seu celular
. Did you call the
Telebahia
to cancel the line? Why don't you go to the
feira do rolo
to see if you can find it?
Não foi percebida nenhuma alternância de código motivada por status ou poder, mesmo porque a língua utilizada para interação era o inglês - idioma considerado muito poderoso pelo menos do ponto de vista político.

Tampouco se notou ocorrência de code-switching com a finalidade de excluir alguém da conversa - considerando que tanto o inglês quanto o português eram idiomas comuns aos membros da família.
Última língua empregada
Exemplos:
1. He told that I should
jogar o charme pra cima dele
.
2. I think he is
espírita não praticante
.
3. That guy is a
grude. Namorado ciumento não dá certo.

Citar alguém
Exemplos:
1. She told me "you should
lascar um beijo nele
".
2. The teacher said "hi".
Aquele puxa-saco
. He kept on saying "
D. é ótimo, maravilhoso, íntegro...
"
3. He said: "
ela está na palma da minha mão
".
4. The teacher said that
todos mexicanos
who cross the border are killed.
Todos
!
Full transcript