Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Toxicologia dos Benzodiazepínicos

Prof. Licínio Andrade Gonçalves
by

Licinio Andrade Goncalves

on 11 June 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Toxicologia dos Benzodiazepínicos

Prof. Licínio A. Gonçalves
Toxicologia dos Benzodiazepínicos
Quando os Benzodiazepínicos entraram no mercado?
Desde 1961, cerca de 3.000 desses compostos foram sintetizados e mais de três dezenas estão em uso clínico atualmente.
Principais empregos:
-ansiolíticos, anticonvulsivantes, relaxantes musculares e hipnóticos
Todos os benzodiazepínicos induzem esses efeitos em maior ou menor grau, sendo as diferenças fundamentalmente quantitativas.
Química
Excreção
Predominantemente urinária (metabólitos)Via fecal = menor concentração
Pouco na forma inalterada aparece na urina.
ELIMINAÇÃO
Biotransformação – Hepática.
Os produtos formados podem ter atividade farmacológica (diazepam nordiazepam, oxazepam e tenazepam).
Sofrem extenso metabolismo de 1ª passagem hepática.
Interagem com receptores específicos no SNC localizados paralelamente aos receptores de GABA (amplamente distribuídos na córtex, cerebelo e estruturas límbicas).
FASE CLÍNICA
MS ampla (+/- 200).Mesmo nas tentativas de auto-extermínio (mais de 2g)- sintomas = sonolência, letargia, ataxia, confusão mental e depressão dos sinais vitais.
DISTRIBUIÇÃO
-Bem distribuídos pelos tecidos orgânicos
-Boa lipossolubilidade - SNC
- Ligação às proteína plasmáticas alta (a fração livre varia de 2% para o diazepam a 15% para clonazepam).
-VD é de 1,5 L/kg aproximadamente
Toxicocinética
Diagnóstico
De acordo com sua estrutura química, podem ser classificados em 3 grupos:
- 1 ,4-Benzodiazepínicos;
- 1 ,5-Benzodiazepínicos
- Triazolobenzodiazepínicos
ABSORÇÃO
Bem absorvidos pelo trato gastrintestinal.
Pode haver influência de alimentos, terapia associada e formulação.
Por via intramuscular a é absorção lenta, exceto para o lorazepam.
Por via intravenosa risco que a introdução muito rápida = apnéia
Por via retal = efeito rápido
TOXICODINÂMICA
confusão mental, diminuição dos reflexos, fraqueza, ataxia, sonolência ou entorpecimento, Diminuição FC e FR, fala incompreensível, debilidade severa.
Efeitos exacerbados c/ álcool.
Confirmado pela identificação de metabólitos na urina (possível falso negativo).
A resposta ao flumazenil é o teste diagnóstico mais sensível.
Ausência de resposta ao flumazenil = não são a causa da intoxicação.
Tratamento
O tratamento sintomático, da hipotensão, da hidratação e suporte respiratório, quando necessário.
Doses elevadas de benzodiazepínicos = lavagem gástrica, com sonda calibrosa.
Descontaminação gastrintestinal com carvão ativado .
Flumazenil - reverte a depressão do SNC e respiratória.
Flumazenil = ação relativamente curta.
Full transcript