Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

A fisiologia do sono

No description
by

Ana Roda

on 20 November 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of A fisiologia do sono

Tipos de Sono
Sonhos
1 noite sono

2 horas sonhos
Introdução
Doenças do sono
Círculos circadianos
Designa o período de aproximadamente 24h sobre o qual se baseia o ciclo biológico em que ocorrem mudanças mentais e físicas reguladas.
Química e fisiologia do sono
Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa
Fisiologia
Docente: Maria Margarida Ramos
3º ano 1º semestre 2013
Ana Raquel Maia nº41886 Ana Sofia Roda nº41876
O sono é um estado anatómico e funcional de não acordado, de desligar da relação com o mundo exterior. A maior diferença entre uma pessoa que está a dormir e uma pessoa que está em coma ou desmaiada é que a primeira pode acordar se o estimulo exterior for forte o suficiente.
É possível registar as fracas correntes elétricas geradas no cérebro humano, sem a necessidade de abrir o crânio, e mostrá-las na forma de um registro em papel.
1º Eletroencefalograma (EEG)
Hans Berger
Actividade cerebral altera-se conforme certas características
Anestesia
Hipoxia
Sono
Eugene Aserinsky
Observou crianças a dormir e constatou que estas mexiam freneticamente os olhos enquanto dormiam
Vários estudos realizados para chegar ao que sabemos hoje!
Funções do sono
Doenças
Círculo circadiano
Fases do sono
Porque sonhamos?
Reagem a estimulos endógenos e exógenos!
Prendem-se com:
Secreção de hormonas;
Frequência cardíaca;
Pressão arterial;
Temperatura corporal;
Desempenho psicomotor;
Perceção
Ciclo vigília/sono.
Estímulos transmitidos até ao
Núcleo Supraquiasmático
Glândula Pineal
Melatonina
Melatonina
Regulação do sono, de ciclos sazonais, de reprodução...
Regulada pela presença de luz!
Adenosina
Neurotransmissores
Acumula-se adenosina ao longo do dia diminuindo a atividade celular.
Durante o sono a molécula de ATP é restituída e portanto os níveis de adenosina diminuem.
Diminuição da atividade neuronal;
Dilatação dos vasos sanguíneos;
Reduz a frequência cardíaca, a pressão sanguínea e a temperatura corporal
Compete com a Cafeína
Hipófise
Adrenalina
Serotonina
Norepinefrina
Núcleo da Rafe
Lesionar
Insónias
Substância produzida fulcral para o adormecer!
Sono pesado
Diminui substância
Locus coeruleus
Neurotransmissores
NREM
REM
Fase
Sono leve
Facilmente
acordados
Movem-se lentamente!
Atividade abranda!
Contrações repentinas como se caíssemos!
hypnic
myoclonia
As pessoas acordadas nesta fase lembram-se de imagens fragmentadas dos seus sonhos.
90 a 110 minutos
Fase
Fases
REM
NREM
NREM
NREM
À medida que a noite progride os sonos REM aumentam em duração e pelo contrário o sono profundo diminui.
2 - 5%
45 – 55%
Os movimentos dos olhos param!
Relaxamento muscular.
Atividade cardíaca é reduzida.
Temperatura do corpo diminui.
Sono profundo
Dificilmente acordados
8%
e
10 - 15%
Vibrações cerebrais durante o sono
Fases bastante semelhantes, diferenciando-se apenas em relação ao nível de profundidade do sono.
Sono extremamente profundo
Fase 3
Fase 4
Transição entre sono leve e profundo
Sonambolismo
Não há movimento de olhos nem de musculos!
As pessoas acordadas nesta fase sentem-se desorientadas e mal dispostas durante alguns minutos.
20%
Respiração mais rápida e irregular.
Olhos movem-se em rápidas direções.
Músculos dos membros estão paralisados.
Os batimentos cardíacos aumentam assim como a pressão arterial.
Os homens desenvolvem ereções.
Perda de alguma capacidade de regulação de temperatura.
REM interrompido
Não há seguimento do ciclo. Recomeça-se o sono REM até se chegar ao local em que se estava.
Elétrodo de EEG
Diferentes frequências e amplitudes!
Alfa
Beta
Delta
Teta
Até 4 Hz
4 Hz - 8Hz
8 Hz - 13 Hz
Acima dos 13 Hz
Complexo K e fuso sono
Acetilcolina
Resíduos presentes
Histamina
GABA
Ácido Gama Amino Butírico
Experiências com ratos
Noite
Dia
Aumento
Diminuição
Conclusões
Dia
Noite
Despolarização
Hiperpolarização
Alterações dos ciclos de melatonina
Jat lag;
Trabalho de noite;
Pouca visão;
...
Como as pessoas cegas regulam os seus ciclos de melatonina?
Fase REM
Fase NREM
Pons
Sonhador:
altamente consciente
desconectado do ambiente
Pessoas
Cenários
Como consegue o cérebro fazer isso?
E o que revelam os sonhos acerca da organização e funcionamento do cérebro?
Sonho
vs
Estado de Vigília
Semelhanças
Diferenças
Caráter sensorial claro
ver
ouvir
sentir
Semelhanças neurofisiológicas
Sono REM
Ativação forte
córtex visual occipito-temporal
Consistência entre a organização neural e cognitiva
Desenvolvimento gradual paralelo ao desenvolvimento cognitivo adjacente ao estado acordado
Sono
Sonho
Estado
vigília
Áreas cerebrais desativadas ou menos ativas
córtex parietal inferior direito
Controlo da vontade
córtex cingulado posterior
córtex
orbitofrontal
córtex prefrontal dorsolateral
córtex prefrontal
Diminuição da auto-consciência
Alteração do pensamento reflexivo
Quais os mecanismos responsáveis pelas diferenças cognitivas entre a vigília e o sonho?
Ponto de vista hormonal
Sono REM
Sonho
acetilcolina
Manutenção da ativação cerebral
acetilcolina
dopamina
Sistemas monoaminérgicos
silenciados
(serotonina, norepinefrina e dopamina)
Mistura neuroquímica
complexa
(sem serotonina, norepinefrina e histamina)
Funções
do sono
Termoregulação
Restauração/Reposição
ATP
neurotransmissores
Consolidação da memória
Repouso
pressão arterial
batimentos cardíacos
produção de urina
função intestinal
Produção de hormonas
Hormona de crescimento
Grelina e Leptina
REPARAÇÃO
Sistema Glinfático
Remoção de resíduos tóxicos do cérebro
Dr. Maiken Nedergaard

Fluido cerebroespinal
Sistema glinfático 10 vezes mais ativo durante o sono
O cérebro apresenta diferentes estados funcionais durante o sono e quando acordado!
Alzheimer
Beta amilóide
PirB ou LirlB2
Aumento atividade codifilina
Degradação da actina
“Perceber exatamente como e quando o cérebro ativa o sistema glinfático e evacua os resíduos é uma
etapa potencialmente crucial
para se conseguir modular este sistema e fazer com que funcione mais eficazmente.”
Nedergaard
Narcolepsia
sonolência excessiva;
cataplexia;
paralisia do sono;
alucinações hipnagógicas;
fragmentação do sono

Sintomas:
hipocretina/orexina
Insónia
Sintoma
predisposição genética
fatores físicos e biológicos
fatores psicológicos e sociais
Produção inadequada de
serotonina

(Síndrome das pernas inquietas)
SPI
Alterações do sistema nervoso central
dopamina
glutamato
deficiências de ferro

?
?
?
Bibliografia
http://science.education.nih.gov/supplements/nih3/sleep/guide/info-sleep.htm
http://download.cell.com/trends/cognitive-sciences/pdf/PIIS1364661309002678.pdf?intermediate=true
http://pt.scribd.com/doc/37828091/Neuronios-Monoaminergicos-do-Tronco-Encefalico
https://www.urmc.rochester.edu/labs/Nedergaard-Lab/publications/pdfs/Brain-wide-pathway.pdf
http://www.publico.pt/ciencias/jornal/cientistas-descobriram-como-uma-proteina-implicada-na-doenca-de-alzheimer-destroi-ligacoes-nervosas-27119312
http://www.alert-online.com/pt/news/health-portal/alzheimer-como-a-beta-amiloide-causa-a-doenca
https://conteudoclippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2013/9/20/o-novo-vilao-do-alzheimer
http://www.medicinageriatrica.com.br/2013/01/19/sono-e-vigilia-centro-de-controle-no-cerebro/
http://www.publico.pt/ciencias/jornal/descoberta-possivel-causa-da-insonia-na-sindrome-das-pernas-inquietas-26514498
http://www.aquimicadascoisas.org/?episodio=a-qu%C3%ADmica-do-sono
http://www.apsono.com/material.php http://saude.sapo.pt/saude-medicina/o-corpo/artigos-gerais/as-funcoes-do-sono.html?pagina=3
http://super.abril.com.br/saude/trabalho-dormir-438808.shtml
http://oglobo.globo.com/saude/dormir-protege-cerebro-de-doencas-neurodegenerativas-10412055
http://www.macacovelho.com.br/ciencia-descobre-que-dormir-limpa-o-cerebro/
http://www.furtado.com.br/sono/Normal_Neurot.html
http://www.ninds.nih.gov/disorders/brain_basics/understanding_sleep.htm
http://www.alz.org/brain_portuguese/07.asp
http://www.brainfacts.org/sensing-thinking-behaving/sleep/
http://www.brainfacts.org/sensing-thinking-behaving/sleep/articles/2012/the-sleep-wakefulness-cycle/
http://www.pbs.org/wgbh/nova/body/sleep-memory.html
http://www.brainfacts.org/sensing-thinking-behaving/sleep/articles/2012/how-is-sleep-regulated/
http://www.brainfacts.org/sensing-thinking-behaving/sleep/articles/2012/sleep-an-overview/
http://www.brainfacts.org/sensing-thinking-behaving/sleep/articles/2012/brain-activity-during-sleep/
http://www.medicalnewstoday.com/articles/267611.php
http://www.dailymail.co.uk/health/article-90598/What-happens-body-youre-asleep.html -
http://www.npr.org/blogs/health/2013/10/18/236211811/brains-sweep-themselves-clean-of-toxins-during-sleep
http://www.publico.pt/ciencia/noticia/cientistas-descobriram-que-enquanto-dormimos-o-nosso-cerebro-faz-a-limpeza-da-casa-1609616
http://www.medicinageriatrica.com.br/2013/01/23/sonovigilia-despertar-sistema-hipocretinaorexina/
http://www.todabiologia.com/anatomia/glandula_pineal.htm
http://www.neurofisiologia.unifesp.br/neuromoduladores_nocaogeral_simonebittencourt.pdf -
http://www.sistemanervoso.com/pagina.php?secao=6&materia_id=78&materiaver=1
http://neuromed94.blogspot.pt/2011/12/neurotransmissores-e-o-sono.html
http://www.sltbr.org/melfaq.htm
http://www.sobiologia.com.br/conteudos/Corpo/sistemanervoso5.php
http://saude.sapo.pt/saude-medicina/o-corpo/artigos-gerais/sono-e-ritmo-biologico.html?pagina=5
https://dspace.ist.utl.pt/bitstream/2295/152862/1/main.pdf
Nicholls, John; Martin, Robert; Fuchs, Paul.
From Neuron to Brain,
Fifth Edition; Sinauer Associates, 2001.
Distúrbios metabólicos hormonais
Full transcript