Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Integrar a Biblioteca nas práticas docentes

No description

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Integrar a Biblioteca nas práticas docentes

Todos os docentes devem conhecer as zonas funcionais da BE (atendimento, leitura presencial/consulta e pesquisa, leitura informal, leitura de áudio e vídeo, leitura e produção multimédia).
RBE.

12 passos para organizar, gerir e dinamizar a biblioteca nas escolas do 1º Ciclo

[Em linha]. Lisboa: RBE, atual. 01-09-2010. [Consult. 10-07-2015] Disponível em:
http://www.rbe.mec.pt/np4/118.html
Fontes

"Integrar a biblioteca nas práticas letivas, articulando-a com o currículo e colocando-a ao serviço do processo formativo e das aprendizagens dos alunos é o grande passo em frente(...)"

Integrar a Biblioteca nas práticas docentes
Integrar a BE nas práticas docentes
Apresentação elaborada com base no documento:

12 passos para organizar, gerir e dinamizar a biblioteca nas escolas do 1º Ciclo
[Em linha]. Lisboa: RBE, atual. 01-09-2010. [Consult. 10-07-2015] Disponível em:
http://www.rbe.mec.pt/np4/118.html



A gestão da biblioteca escolar deve ser o resultado de um trabalho de articulação entre os docentes e o professor bibliotecário de modo a tornar a biblioteca num instrumento indispensável no processo formativo global dos alunos, em particular no apoio ao desenvolvimento das áreas curriculares e das literacias.
É fundamental que os docentes conheçam a documentação existente na BE, de forma a poder integrá-la nas práticas docentes.
O conhecimento aprofundado dos recursos disponíveis é imprescindível à avaliação e consequente melhoria da coleção.
As requisições (empréstimo domiciliário) têm muita importância como atividade motivadora da leitura, pelo que cada docente deve garantir/promover essa oportunidade aos alunos.

Os docentes podem selecionar os conteúdos curriculares que mais favorecem a mobilização de saberes culturais e científicos, recorrendo à BE e aos seus recursos numa perspetiva de inovação na aprendizagem.


Cada docente deve promover, intencionalmente, na sala de aula e fora dela, atividades dirigidas à pesquisa, seleção, organização e interpretação de informação, prevendo a utilização de fontes de informação diversas e das tecnologias de informação e comunicação.


Os alunos devem ser aconselhados a escolher autonomamente as suas leituras de modo a encontrarem-se/formarem-se como leitores.


Os docentes devem realizar atividades de leitura na BE, integrando-as na sua planificação.


Os docentes devem incentivar a leitura informativa, em contexto de projetos ou atividades, assim como a utilização do espaço para leitura por prazer.


Os docentes devem promover a leitura em ambientes digitais, estimulando a utilização de e-books, e-mail, blogues, wikis.


A BE deve ser utilizada no contexto das áreas curriculares, depois de enquadrada na planificação (pelo menos uma vez por ano).



A coleção deve servir as diferentes escolas do agrupamento.


Silva, M. & Filipe, M.J. (2008). Aprender com a Biblioteca. Newsletter n.º 4. Disponível em:
http://rbe.mec.pt/newsletter//np4/408.html
, consultado em 10-07-15.

“O diretor deve trabalhar de perto com a biblioteca na elaboração dos planos de desenvolvimento da escola, especialmente nas áreas da literacia da informação e dos programas de promoção da leitura. (...) O diretor deve garantir uma gestão flexível do tempo e dos recursos para permitir aos docentes e aos alunos o acesso à biblioteca e aos seus serviços (...) e ainda assegurar a cooperação entre a equipa docente e a equipa da biblioteca.”
IFLA/UNESCO (2002). Directrizes da IFLA/UNESCO para Bibliotecas Escolares.
Disponível em:
http://rbe.mec.pt/np4/file/346/directrizes_ifla.pdf
consultado em 11-07-2015.
IFLA/UNESCO (2002).
D
irectrizes da IFLA/UNESCO para Bibliotecas Escolares.
[Consult. 11-07-2015] Disponível em:
http://rbe.mec.pt/np4/file/346/directrizes_ifla.pdf


SILVA, M. e FILIPE, M.J. (2008).
Aprender com a Biblioteca
. Newsletter n.º 4. [Em linha]. Lisboa: RBE. [Consult. 11-07-15]. Disponível em:
http://www.rbe.mec.pt/newsletter/np4/408.html
Full transcript