Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

LEGISLAÇÃO E NORMAS TÉCNICAS EM MODA

No description
by

MÍRIAN CRIS

on 21 July 2017

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of LEGISLAÇÃO E NORMAS TÉCNICAS EM MODA

Universidade de Fortaleza
MBA em Gestão e Negócios de Moda
(FASHION BUSINESS)

ETIQUETAS

21 e 22 de julho de 2017
Profª. Mª. Mírian Cris
mirian@unifor.br

MODA
Toda peça deve trazer na etiqueta, informações como:
Razão social ou marca registrada do fabricante;
Indicação fiscal (CNPJ)
País de origem do produto;
Composição do produto com percentagem de cada fibra devidamente indicada;
Tamanho do produto.
Instruções para conservação do produto.
Você é daquelas pessoas que logo depois de comprar uma peça nova já corta a etiqueta?

ABNT NBR10589:2006 – Materiais têxteis – Determinação da largura de não-tecidos e tecidos planos.

ABNT NBR 10591:2008 – Materiais têxteis – Determinação da gramatura de superfícies têxteis.

ABNT NBR 8427:1984 – Emprego do sistema tex para expressar títulos têxteis.



ABNT NBR 15800:2009 – Vestuário – Referenciais de medidas do corpo humano – Vestibilidade de roupas para bebê e infanto-juvenil.

ABNT NBR 12849:1993 – Tecidos felpudos e aveludados confeccionados – Determinação das dimensões.

ABNT NBR 13548:1996 – Acolchoado em tecido plano – Determinação das dimensões.

ABNT NBR 13455:1995 – Toalha de mesa em tecido plano, felpudo ou aveludado – Determinação das dimensões.

ABNT NBR 13453:1995 – Lençol e fronha em tecido plano – Determinação das dimensões.
Para a correta etiquetagem de produtos têxteis, devem ser aplicadas ainda as seguintes normas:
ETIQUETA = TAG?
ETIQUETA = TAG?
Disciplina: Legislação e Normas Técnicas em Moda
Todas normas que regem o assunto:
Lei nº 9.933/99 - Dispõe sobre as competências do Conmetro e do Inmetro, institui a Taxa de Serviços Metrológicos, e dá outras providências.
Resolução do CONMETRO 02/2008
Lei 9.099/99
A legislação é extensa e requer uma interpretação taxativa sobre o assunto para que se evitem as multas que tanto incomodam os empresários devidos seus valores agressivos.
Objetivando padronizar o etiquetamento dos produtos têxteis comercializados no varejo a lei 9.933/99 legitima o
INMETRO
a promover fiscalização e atuação nas empresas que não observaram o regulamento.
Obs.: Caso seja um artigo importado, o nome do importador, CNPJ da fábrica ou importadora e os cuidados para uma melhor conservação e riscos.
"O cliente olha a etiqueta de uma peça de roupa para identificar a marca e avaliar a qualidade do produto. Você pode personalizar a sua etiqueta com um fabricante para deixá-la exclusiva. Também são necessárias as etiquetas de cuidados, que devem incluir informações sobre o tecido, recomendações de cuidados e local de origem (as leis sobre informações de local de origem variam de um país para outro."
(MEADOWS, 2015, p. 162)
Cartilha para orientar consumidores sobre a etiqueta têxtil - INMETRO
http://www.inmetro.gov.br/inovacao/publicacoes/cartilhas/textil/textil.pdf
Vamos acessar a norma:
NBR NM ISO 3758: Têxteis- códigos de cuidado usando símbolos


O Instituto Nacional de Pesos e Medidas é o responsável pela fiscalização e tem realizado blitz frequentes no comércio e indústria para identificar este tipo de falha.
Quantidade de pequenas empresas que participam do setor têxtil, muitas delas com pequena estrutura organizacional. Desconhecem as leis, portarias, resoluções e regulamentos sobre as etiquetas
FALHAS
Outro fator que contribui para que muitas empresas lancem roupas com etiquetas erradas é que grande parcela das roupas comercializadas no Brasil são importadas e na maioria das vezes já são fornecidas com as etiquetas, que são produzidas sem grande preocupação com as normas brasileiras.
O comerciante tem um prazo de 15 dias para apresentar a nota fiscal de compra do produto, para a empresa fabricante ser notificada. Caberá a ela defender-se. A multa para as infrações varia de R$ 100,00 a R$ 50 mil.
Frequência às aulas.
O percentual obtido em relação ao total das aulas (100%) será transformado em nota parcial de 1 a 10 (Peso de 20% na nota final).
Participação em sala de aula e pontualidade
– chegar e sair no horário (Peso de 20% na nota final).
Trabalho em grupo:
Seminário (com até 5 participantes) com nota parcial de 1 a 10 – Será realizado no último dia de aula (Peso de 60% na nota final).
A nota final corresponderá à média ponderada entre as 3 notas parciais.


Etiqueta de composição das peças de vestuário.
Legislação para as confecções, indústrias e atelier de moda.
Normas técnicas da ABNT.
Conceituação e definição das legislações existentes para o campo da moda. (Fashion Law).
Análise de cases com problemas de legislação e normas técnicas.
EMENTA
AVALIAÇÃO
O valor da multa pode variar de
R$ 100 a R$ 50 mil, dobrando em caso de reincidência.






Depois de identificada uma peça aparentemente irregular, é preenchida uma ficha de registro de visita, com todos os dados da loja e dos produtos verificados. Passado o momento da inspeção, o Ipem encaminha o produto para análise laboratorial e, confirmada a irregularidade, repassa o laudo ao responsável pela peça apreendida, que terá até 10 dias para apresentar defesa ao instituto e estará sujeito ao pagamento de multas que variam de R$ 100 a R$ 50 mil.

Saiba como os fiscais verificam os produtos confeccionados

Depois da apresentação dos fiscais no estabelecimento, o primeiro passo é vistoriar as araras das lojas e verificar se as etiquetas das roupas estão todas costuradas às peças. Nessa fase, é feita uma pré-análise para checar as informações básicas.
PASSO A PASSO
As etiquetas de cada peça são lidas pelos fiscais, que checam se o regulamento técnico de etiquetagem de produtos têxteis está sendo cumprido. O número de CNPJ, o país de origem do produto, o tamanho, a marca do fabricante ou do importador e se pelo menos os cinco símbolos obrigatórios para a conservação do produto aparecem na etiqueta.

Os fiscais também verificam se a composição têxtil do produto está em conformidade com a etiqueta. Por exemplo, se a etiqueta de uma blusa diz que ela tem elastano em sua composição, mas a peça aparentemente não estica, ela pode ser enviada para análise laboratorial.
Quando as informações disponíveis na etiqueta não batem com a análise inicial do fiscal, ele coleta uma amostra do material, que recebe um lacre vermelho e uma etiqueta de coleta detalhando o problema. O processo é feito na frente do lojista ou responsável pelo produto.
SEMINÁRIO
Equipes com 5 participantes;
Criação de uma etiqueta e uma tag;
Uma imagem será enviada por e-mail;
Cada equipe terá 20 minutos para apresentar o produto as informações e a marca.
DICAS SERÃO DADAS DURANTE A AULA!
Fashion Law
Ramo do
Direito Empresarial
Um concorrente não copia exatamente a marca ou o desenho industrial de outrem, mas imita sutilmente uma série de características do produto ou até mesmo o modus operandi da prestação de um serviço.
Trade dress
Fashion Law envolve a questão da propriedade intelectual/industrial, abrangendo desde a concepção do produto de moda, seu design, desenvolvimento da tecnologia e materiais aplicados, confecção e outras diversas etapas até chegar às mãos do consumidor final.
Como sequela da pirataria dos produtos de moda, o mercado brasileiro deixa de lucrar por volta de
dezessete milhões de reais
, assim como impede a criação de mais dois milhões de empregos formais.
Mr. Cat contra a Mr. Foot
(esta foi acusada de imitar as embalagens, a arquitetura das lojas etc.)
A grife Dudalina investiu mais de
R$ 1 milhão
em núcleo antipirataria dentro da empresa. Sônia Hess (presidente), já apreendeu, em parceria com a Receita Federal, mais de
300 mil camisas falsificadas.
CONTRAFRAÇÃO
=
falsificação de marcas
ALDRICH, W. Modelagem plana para moda feminina. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2014. Disponível em:<https://integrada.minhabiblioteca.com.br/#/books/9788582601754/>. Acesso em: 15 dez. 2015.
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR NM ISO 3758: têxteis- códigos de cuidado usando símbolos. Rio de Janeiro, 2013. 24 p. Disponível em:< https://www.gedweb.com.br/aplicacao/usuario/asp/resultado_avancado.asp?p=1>. Acesso em: 15 dez. 2015.
BRASIL. Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Procedimento de fiscalização e coleta de amostras de produtos têxteis para a avaliação da fidedignidade das informações. Portaria n. 166, de 8 de abril de 2011.. Disponível em:< http://www.inmetro.gov.br/legislacao/rtac/pdf/RTAC001693.pdf. Acesso em: 15 dez. 2015.
BRASIL. Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Dispõe sobre a aprovação do Regulamento Técnico Mercosul Sobre Etiquetagem de Produtos Têxteis. Resolução n. 2, de 6 de maio de 2008. Disponível em:< http://www.inmetro.gov.br/legislacao/resc/pdf/RESC000213.pdf>. Acesso em: 15 dez. 2015.
CAMARENA, E. Etiqueta. In: ______. Desenho de moda no coreldraw X5. São Paulo: SENAC, 2011. Disponível em:< https://www.lectio.com.br/dashboard/midia/detalhe/525>. Acesso em: 15 dez. 2015.
INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA E QUALIDADE E TECNOLOGIA. Você sabe para que serve a etiqueta? Disponível em: http://www.inmetro.gov.br/inovacao/publicacoes/cartilhas/textil/textil.pdf. Acesso em: 15 dez. 2015.
MEADOWS, T. Como montar e gerenciar uma marca de moda. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2013.Disponível em:<https://integrada.minhabiblioteca.com.br/#/books/9788582600627/>. Acesso em: 15 dez. 2015.

REFERÊNCIAS

A etiqueta tagless dispensa o uso das tradicionais etiquetas de tecido bordadas, conhecidas e estigmatizadas pelo incômodo que causam, principalmente em vestuários do ramo fitness. Assim é possível marcar a peça permanentemente de forma discreta e contendo todas as informações necessárias da melhor forma.
NOVAS POSSIBILIDADES
VOU ENSINAR...MAS SEMPRE APRENDO!
NOVAS POSSIBILIDADES
Tags ecológicas
Algodão
Poliéster
Jeans
Poliamida
Dry
Suplex
Meia malha
Elastano
http://www.fbli.com.br/
Trabalho escravo nunca esteve na MODA!

O conceito nasceu nos EUA, nos mais prestigiosos escritórios de advocacia de Nova Iorque.
Consiste num conjunto de características, que podem incluir, entre outras, uma cor ou esquema de cores, forma, embalagem, configuração do produto, sinais, frases, disposição, estilização e tamanho de letras, gráficos, desenhos, emblemas, brasões, texturas e enfeites ou ornamentos em geral, capazes de identificar determinado produto e diferenciá-lo dos demais.
Na maioria dos casos no Brasil, quando essa questão é analisada em juízo torna-se subjetiva e acaba sendo julgada como
concorrência desleal
.
A lei estabelece que um crime de concorrência desleal é cometido sempre que o infrator utilizar de meios fraudulentos para desviar a clientela de outrem, em seu próprio benefício ou em benefício de terceiros.
Existe um outro problema associado à contrafação (falsificação) de marcas de luxo, para além de eventuais vendas que deixam de se realizar. Há alguns anos, em Portugal, em feiras como a de Carcavelos ou de Cascais – que equivalem ao da Rua 25 de Março de São Paulo, no Brasil – era possível comprar camisetas Lacoste. E venderam-se tantas que usar uma camiseta Lacoste, mesmo que verdadeira, deixou de ser bem visto. Usar camiseta Lacoste, mesmo que genuína, era sinónimo de comprar na feira.
O que você acha?
ACESSIBILIDADE
FONTE: http://g1.globo.com/economia/midia-e-marketing/noticia/ca-lanca-roupas-com-etiquetas-em-braile-para-deficientes-visuais.ghtml
ACESSIBILIDADE
FONTE: http://www.revista.arede.inf.br/site/edicao-n-86-novembro-2012/5077-acessibilidade-o-consumidor-nao-enxerga-a-etiqueta-fala
Composição percentual (deve ser expressa sempre em ordem decrescente e em igual destaque).
Exemplo:
tecido externo 100% algodão, forro 100% poliéster.
Deve-se utilizar a designação genérica das fibras
(não são aceitos nomes comerciais como Nylon ou Lycra);
Além disso, o Regulamento Técnico Mercosul Sobre Etiquetagem de Produtos Têxteis determina que todas estas indicações sejam feitas de maneira clara e permanente, que as informações sejam legíveis, com no mínimo 2mm para letras e números e 4mm para os símbolos e que nenhuma informação seja abreviada.
Fonte: Resolução n. 02 , de 6 de maio de 2008.
Dispõe sobre a aprovação do Regulamento Técnico Mercosul Sobre Etiquetagem de Produtos Têxteis
Full transcript