Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

PRODUÇÃO AUDIOVISUAL - ROTEIRO PARA PUBLICIDADE

PRODUÇÃO AUDIOVISUAL - ROTEIRO PARA PUBLICIDADE
by

Bill Marques

on 22 October 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of PRODUÇÃO AUDIOVISUAL - ROTEIRO PARA PUBLICIDADE

ROTEIRO PARA PUBLICIDADE
"O Roteiro é a posição-chave na fabricação de um filme, pois é a partir dele que se decide o filme.

Um bom roteirista é aquele que conhece a fundo a técnica cinematográfica, pois é preciso escrever coisas filmáveis, do contrário o roteiro não passa de sonho impossível de um filme. "

Jean-Claude Carrière
A IDEIA
A ideia pode nascer a qualquer momento, qualquer lugar, a partir de diversas razões. Jornal diário está cheio de acontecimentos que induzem a ideias de roteiros para um filme. A vida de nossos amigos, contos, livros, sonhos, enfim, devemos estar sempre atentos ao que acontece a nossa volta
.
COMPARATO, pág. 30, cita "As ideias são por vezes sutis e dificeis de alcançar. No entanto, obrigatoriamente se convertem no fundamento do roteiro".

UM ROTEIRO É...
Uma história contada com imagens, expressas dramaticamente em uma estrutura definida.

INÍCIO – MEIO – FIM

Não necessariamente nessa ordem.
O ROTEIRO
A função do roteirista varia bastante de acordo com o tipo de filme produzido.

O roteirista pode ser chamado para desenvolver uma ideia, adaptar um livro ou uma novela, uma peça de teatro ou escrever um musical, escrever um documentário, um programa de tv e rádio, uma matéria jornalística, no jornalismo
são conhecidos como redatores.
O ROTEIRISTA
Ato de escrever é um hábito que requer muito TREINO, DEDICAÇÃO E PACIÊNCIA.

Ter uma boa ideia é apenas o início de um processo que exige muito esforço e insistência.
O ROTEIRISTA
Para se escrever bem um roteiro é necessário:
Conhecer o assunto
Fazer pesquisas
Ter uma idéia clara do que se quer dizer
Estar atualizado com os acontecimentos
Manter o hábito de boas leituras
Assistir a muitos vídeos e filmes
– principalmente os clássicos
Escrever, escrever e escrever
O ROTEIRISTA
Um filme, seja ele longa-metragem, curta-metragem, documentário, matéria jornalística, vídeo-clipe ou publicitário, nasce a partir de uma:
INÍCIO DO ROTEIRO
- sempre que possível, conte as histórias cronologicamente.
- como regra geral, procure formar uma sentança curta, uma única ideia.
- entenda o que você está escrevendo:
se você não entender, ninguém entenderá.
- pertunte-se sempre:
o que estou tentando dizer?
SEJA RACIONAL
Os conflitos básicos de um drama já eram conhecidos e explorados desde 250 a.C pelos dramaturgos gregos, e até hoje pouca ou nenhuma modificação ocorreu.
Shakespeare, por exemplo, foi um mestre na utilização desses conflitos, o que talvez explique a popularidade de suas peças.
O DRAMA
Amor, piedade, carinho, ódio, desprezo, desespero são alguns dos elementos dramáticos que vivemos no nosso dia-a-dia.
O ESPECTADOR reconhece tais emoções pela sua vivência e, por esse reconhecimento, identifica-se com os personagens do filme.
Portanto, um roteiro deve ter PERSONAGENS interessantes, conflitos, temas de APELO UNIVERSAL e uma história que prenda sua imaginação.
O DRAMA
Um roteiro deve ter um ou mais personagens principais. É com ele ou eles que os espectador se identifica. No momento em que definimos os nossos personagens principais, definimos também que a história é sobre eles.
Esse mesmo interesse se revela por outro personagem, que, mesmo não sendo principal, tem sua parte na história tão fortalecida que o espectador fica curioso em saber seu destino.

COMPARATO, pág. 31, cita "as personagens sustentam o peso da ação, são o ponto de atenção mais imediato para os espectadores..."
O COADJUVANTE
ARQUÉTIPOS
Christopher Vogler utiliza ARQUÉTIPOS para definir os personagens de um roteiro, que podem ser:
-o herói
-o amigo do herói
-o mentor
-o professor
-entre outros.
É o primeiro modelo ou imagem de alguma coisa, antigas impressões sobre algo. É um conceito explorado em diversos campos de estudo, como a Filosofia e a Psicologia.
Para a atriz Megan Fox, as mulheres a estereotipam como burra ou vagabunda porque ela é muito bonita para ser algo mais. Megan disse estar cansada do arquétipo de mulher sexy, mas não quer fazer papéis "garantidos" em comédias românticas.
Folha de São Paulo, 13/11/2009

BIBLIOGRAFIA UTILIZADA
Rodrigues, Cris. O cinema e a produção. 3a ed. Editora Lamparina, 2007
 
Musburger, Robert B. Roteiro para mídia eletrônica - TV, rádio, animação e treinamento corporativo. São Paulo. Editora Elsevier, 2008.
 
Comparato, Doc. Da criação ao roteiro: teoria e prática. 1a ed. Editora Summus, 2009.

Yorke, Ivor. Jornalismo diante das câmeras. Editora Summus, 1998.
Jean-Claude Carrière é um premiado roteirista, escritor, diretor e ator francês. Ele foi um colaborador frequente do diretor Luis Buñuel e, menos frequente, de Peter Brook.
IDEIA
+
=
Um bom roteiro não é a única condição para o planejamento eficiente do tempo e do custo de filmagem, mas contribui para que o filme seja
PREPARADO DE MODO ADEQUADO.

O PROTAGONISTA
Christopher Vogler é um roteirista de Hollywood. É famoso por ter escrito o "memorando The Writer's Journey: Mythic Structure For Writers" (A Jornada do Escritor: Estrutura Mítica para Roteiristas), como um guia interno para os roteiristas dos estúdios Walt Disney.
ARQUÉTIPO
Num filme, o espectador se deixa envolver, de boa vontade, em qualquer boa história que lhe for apresentada, seja ela de mistério, intriga, comédia, assuntos históricos ou aventuras.
Envolve-se conscientemente na história, e, se o filme for bom, geralmente fica emocionado.
O ESPECTADOR
A ESCRITA DE ROTEIROS EXIGE
UMA DISCIPLINA ESPECÍFICA.
DEVE SE AVANÇAR POR PARTES.
É UMA CONSTRUÇÃO QUE OBEDECE A UMA
ESTRUTURA LÓGICA.

SEGUNDO DOC COMPARATO, EM SEU LIVRO "DA CRIAÇÃO AO ROTEIRO", PROPÕEM A COBRIR SEIS ETAPAS NO PROCESSO DE QUE NOS LEVA AO ROTEIRO FINAL.
ETAPAS DE UM ROTEIRO
O DIRETOR estuda as cenas do roteiro para poder contá-las de modo visualmente dramático.

O PRODUTOR, decupa o roteiro e produz o necessário para que ocorra filmagem.

Os ATORES decoram seus diálogos e forma a estrutura dramática do caráter de seus personagens.

O DIRETOR DE FOTOGRAFIA planeja a atmosfera visual das cenas e seleciona as lentes necessárias.

O TÉCNICO DE SOM pensa como serão gravados os diálogos, música e outros efeitos e já estuda como todos esses ingredientes serão misturados na mixagem final.

O EDITOR/MONTADOR, de antemão, visualiza em termos de tempo e espaço cinematográfico, e assim por diante.
ROTERIO PARA CADA PROFISSIONAL
NO DOCUMENTÁRIO
Contrato Verbal

Contrato implícito

Contrato escrito

NEGOCIANDO SEU ROTEIRO
Pela nossa atual lei de direitos autorais (lei 9.610/98) a partir do momento em que temos nossa obra publicada em qualquer mídia, sendo tal direito inalienável (não podemos nos desfazer dele).

É recomendável registrar o roteiro no escritório de direitos autorais (EDA) da sua cidade.
PROTEGENDO SEU ROTEIRO
FORMATO DO TEXTO
A FORMA QUE O TEXTO TOMA NA PÁGINA IMPRESSA MOSTRA SE O REDATOR(ROTEIRISTA) CONHECE AS TÉCNICAS
DE ESCRITA PROFISSIONAL OU NÃO.

OS PADRÕES VARIAM ENTRE OS NÍVEIS DE MÍDIA E MESMO ENTRE OS ESTÚDIOS E OPERAÇÕES DE PRODUÇÃO, MAS EXISTEM FERRAMENTEAS BÁSICAS USADAS PARA A COLOCAÇÃO DO TEXTO NA PÁGINA PARA QUE TODOS OS ENVOLVIDOS NA PRODUÇÃO DO PRODUTO AUDIOVISUAL POSSAM ENTENDER O QUE O ESCRITOR TEM EM MENTE E QUAL CONCEITO ELE QUER EXPRESSAR.
PALAVRAS E IMAGENS
O TESTE PARA UM BOM SCRIPT(ROTEIRO) DE TELEVISÃO É VERIFICAR SE FAZ SENTIDO QUANDO O OUVIMOS COM OS OLHOS FECHADOS.

ASSIM, O PONTO DE PARTIDA PARA QUALQUER ESCRITOR QUE ESPERA TORNAR-SE UM ROTEIRISTA BEM-SUCEDIDO É SABER QUE AS PALAVRAS DEVEM SER ADAPTADAS ÀS IMAGENS, E NÃO O CONTRÁRIO.

A ÚNICA MANEIRA DE FAZER ISSO É VENDO E AVALIANDO TODO O MATERIAL DISPONÍVEL ANTES DE ESCREVER O ROTEIRO.
ESSA ATITUDE APLICA-SE A QUALQUER OCASIÃO.
ETAPAS DE UM ROTEIRO
1 - IDEIA
2 - CONFLITO
3 - PERSONAGENS
4 - AÇÃO DRAMÁTICA
5 - TEMPO DRAMÁTICO
6 - UNIDADE DRAMÁTICA
1 - IDEIA
UM ROTEIRO PARTE SEMPRE DE UMA IDEIA, UM FATO, UM ACONTECIMENTO QUE PROVOCA NO ESCRITOR A NECESSIDADE DE RELATAR.

ISSO EXIGE O MAIOR CUIDADO PARA DESCOBRIR, ISOLAR E DEFINIR IDEIAS DRAMATICAMENTE PERTINENTES.
2 - CONFLITO
MAS A IDEIA AUDIOVISUAL E DRAMÁTICA DEVE SER DEFINIDA POR UM CONFLITO ESSENCIAL.
A ESSE PRIMEIRO CONFLITO, QUE SERÁ A BASE DO TRABALHO DO ROTEIRISTA, CHAMAREMOS CONFLITO MATRIZ.

EMBORA A IDEIA SEJA ALGO ABSTRATO, O CONFLITO MATRIZ DEVE SER CONCRETIZADO POR MEIO DE PALAVRAS.

COMEÇA AQUI O TRABALHO DE ESCREVER.
STORY LINE
A STORY LINE É A CONDENSAÇÃO DO NOSSO CONFLITO BÁSICO CRISTALIZADO EM PALAVRAS.

POR EXEMPLO: "A HISTÓRIA CONTA O DRAMA DE UMA MULHER QUE MATA SEUS QUATRO FILHOS E DEPOIS ENLOUQUECE"

ESSA FRASE CONTÉM O ENRENDO, A INTRIGA, A TRAGÉDIA.
ISSO É O STORY LINE, O FIO, OS FUNDAMENTOS DA TRAMA.
STORY LINE
UM STORY LINE DEVE SER BREVE, CONCISA E EFICAZ. NÃO DEVE ULTRAPASSAR CINCO LINHAS E POR MEIO DELA DEVEMOS FICAR COM A NOÇÃO DAQUILO QUE VAMOS CONTAR.

RESUMINDO, O CONFLITO BÁSICO SE APRESENTA POR MEIO DE STORY LINE E CONCRETIZA O QUE
VAMOS DESENVOLVER.
3 - PERSONAGENS
CHEGOU O MOMENTO DE PENSAR EM
QUEM
VAI VIVER ESSE CONFLITO BÁSICO.

DEVEMOS CRIAR AS
PERSONAGENS.

O DESENVOLVIMENTO DE UM CARÁTER É ESSENCIAL PARA UM BOM ARGUMENTO.

CONFORME UMA PERSONAGEM SE MOVE DESDE A MOTIVAÇÃO ATÉ O OBJETIVO, ALGO TEM DE SUCEDER NO PROCESSO.
4 - AÇÃO DRAMÁTICA
AÇÃO DRAMÁTICA É A MANERIA
COMO
VAMOS CONTAR O CONFLITO BÁSICO VIVIDO POR AQUELES SERES CHAMADOS PERSONAGENS. AO
O QUE, QUEM, ONDE E QUANDO,
JUNTAMOS ENTÃO
O COMO
.

PARA TRABALHAR NA AÇÃO DRAMÁTICA, SOMOS OBRIGADOS A CONSTRUIR UMA ESTRUTURA.

A ESTRUTURA É UM OS FUNDAMENTOS DO ROTEIRO E A TAREFA QUE MAIOR CRIATIVIDADE EXIGE DO ROTEIRISTA.
4 - AÇÃO DRAMÁTICA
A ESTRUTURA É, PORTANTO, A ORGANIZAÇÃO DO ENREDO EM CENAS.

CADA CENA TEM UMA LOCALIZAÇÃO NO TEMPO, NO ESPAÇO E NA AÇÃO, QUE SUCEDE CONTINUADAMENTE EM ALGUM LUGAR, NUM MOMENTO PRECISO.

A ESTRUTURA SERÁ, NA PRÁTICA, A FRAGMENTAÇÃO DO ARGUMENTO EM CENAS.

A ESTRUTURA É O ESQUELETO FORMADO PELA SEQUÊNCIA DE CENAS.
5 - TEMPO DRAMÁTICO
O TEMPO DRAMÁTICO É O
QUANTO
, QUANTO TEMPO TERÁ CADA CENA. ISTO É, COLOCAMOS OS DIÁLOGOS NAS CENAS E POR MEIO DELES COMEÇAMOS A DAR AO TRABALHO UMA FORMA DE ROTEIRO. NESSA ETAPA COMPLETAREMOS A ESTRTURA COM O DIÁLOGO.

ENTÃO CADA CENA TERÁ O SEU TEMPO DRAMÁTICO E SUA FUNÇÃO DRAMÁTICA.

ESSE TRABALHO JÁ SE CONCRETIZA NO CHAMADO PRIMEIRO ROTEIRO
6 - UNIDADE DRAMÁTICA
ENFIM O ROTEIRO DEVE ESTAR PRONTO PARA SER FILMADO OU GRAVADO.

É O SCRIPT OU ROTEIRO FINAL.

AQUI O DIRETOR VAI TRABALHAR COM A UNIDADE DRAMÁTICA DO ROTEIRO, ISTO É, COM AS CENAS.

O ROTEIRO FINAL É O GUIA PARA CONSTRUÇÃO DO PRODUTO AUDIOVISUAL.

É O MOMENTO EM QUE A UNIDADE DRAMÁTICA, A CENA, SE TORNA REALIDADE
Comparato, 2009 cita: " Escrever um roteiro é um processo passo a passo. Um passo de cada vez. Primeiro, encontra-se um tema. Depois estrutura-se a ideia. Em seguida definem-se as personagens, mais tarde procuram-se os dados que façam falta. Posteriormente estrutura-se o primero ato em fichas de 3x5, então escreve-se o roterio, dia a dia. Primeiro o primeiro ato, depois o segundo e depois os terceiro. Quando o primeiro rascunho está pronto, fazem-se uma revisção profunda e as alterações necessárias para que se ajuste à dimensão adequada. Por último é preciso que seja polido até estar pronto para ser visto por todos."
O PROCESSO
O ROTEIRISTA TRANSFORMA O TRABALHO EM UM PEDAÇO DE PAPEL OU EM UM ARQUIVO DIGITAL(EDITOR DE TEXTO).
MUSBURGER, pág. 29, descreve:
"A EQUIPE DE PRODUÇÃO CRIATIVA E A EQUIPE TÉCNICA DEVEM PEGAR AS IDEIAS ESCRITAS PELO ROTEIRISTA E CONVERTÊ-LAS EM UM PROGRAMA DE ENTRETENIMENTO VIÁVEL E INFORMATIVO PARA QUE A AUDIÊNCIA A OUÇA, ASSITA E INTERAJA COM O PRODUTO AUDIOVISUAL."
OS ERROS MAIS COMUM
O PRIMEIRO ERRO É TENTAR COLOCAR MAIS PALAVRAS DO QUE PERMITE A DURAÇÃO DAS IMAGENS.

O SEGUNDO ERRO É ESCREVER SEM PRESTAR A DEVIDA ATENÇÃO AO CONTEÚDO DA IMAGENS.

O TERCEIRO ERRO É PRODUZIR VÁRIAS FRASES QUE EXPLICAM EXATAMENTE AQUILO QUE O PÚBLICO É CAPAZ DE VER POR SI PRÓPRIO.

O QUARTO ERRO É DESCUIDAR DA PRECISÃO. EXEMPLO: SE VOCÊ ESTÁ ESCREVENDO SOBRE A QUANTIDADE DE CARROS NUMA ESTRADA, NA TOMADA DEVERÃO PREDOMINAR CARROS E NÃO CAMINHÕES E ÔNIBUS.
Procuramos assistir filmes para nos distrair, para viver uma nova vida na tela, pela identificação com os conflitos dos personagens do filme.
Normalmente, os filmes de maior sucesso de público obedecem a uma estrutura dramática que ele, o público, tem facilidade de acompanhar.
FINALIZADO COM AS DESCRIÇÕES NECESSÁRIAS E OS DIÁLOGOS. ESTE ROTEIRO, SEM INDICAÇÕES DE PLANOS, ÂNGULOS E MOVIMENTOS DE CÂMERA, SERVIRÁ COMO BASE PARA ORÇAMENTO INCIAL E OS PROJETOS DE CAPTAÇÃO.
ROTEIRO LITERÁRIO
ROTEIRO DECUPADO PELO DIRETOR COM INDICAÇÕES DE PLANOS, ÂNGULOS E MOVIMENTOS DE CÂMERA, E QUE SERVIRÁ PARA A PRODUÇÃO JUNTO COM DIRETOR FAZER A ANÁLISE TÉCNICA E O ORÇAMENTO FINAL.
ROTEIRO TÉCNICO
Full transcript