Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

REVOLUÇÃO INDUSTRIAL

No description
by

Gabriel Neves Silvério

on 28 February 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of REVOLUÇÃO INDUSTRIAL

REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
Não estamos falando de uma revolução como uma revolta, e sim no sentido de uma profunda transformação econômica, tecnológica, política e social. A Revolução Industrial ocorreu na Inglaterra, em meados do século XVIII, dando início à era do capitalismo.
A transição do artesanato, da manufatura para as máquinas e indústrias, originou a produção acelerada, em série, resultando em grandes lucros, e muita mão de obra disponível e barata. Influenciou também as relações sociais, dividindo-as em duas classes, a dos proprietários e dos operários.
Os centros urbanos ficaram superlotados, ocasionando fortes mudanças demográficas, e transformando completamente o modo de vida da sociedade. Mas as más condições de trabalho tiveram como resultado, a revolta dos operários.
mUDANÇAS:
A Revolução Industrial, basicamente significou a mudança da ferramenta pela máquina, e contribuiu para a consolidação do capitalismo como o modo de produção dominante. Nessa evolução, a produção manual que antecede a industrial conheceu duas etapas bem definidas, dentro do processo de desenvolvimento do capitalismo:
Forma mais simples de produção . O artesão fazia tudo sozinho.
Artesanato:
Caracteriza-se pela divisão de tarefas. Cada pessoa executa uma parte do trabalho, sendo que todas as operações essenciais eram feitas à mão com ajuda de ferramentas manuais.
Manufatura:
Mecanização:
Forma mais complexa de produção industrial. Consiste na utilização das máquinas em substituição às ferramentas e ao próprio trabalho do homem. Um dos motivos era a ocupações cada vez mais especificas que os trabalhadores possuíam nas fabricas.
Condições básicas
A Revolução Industrial dos Países da Europa ocidental apoiou-se em vários fatores, que resumidamente são:
Primeira Revolução Industrial
(+/–1750 até +/–1860)
A Primeira Revolução Industrial ocorreu na Inglaterra, no final do século XVIII início do século XIX, logo mais outros países como França, Bélgica, Holanda, Rússia, Alemanha e Estados Unidos ingressaram nesse novo modelo de produção industrial.
Essa fase da Revolução Industrial foi assinalada pelos seguintes fenômenos
Invenção do tear mecânico e do descaroçador de algodão e consequente desenvolvimento da indústria têxtil;
Invenção da máquina a vapor, que substitui as fontes tradicionais de energia mecânica, como a roda de água, a roda de vento e a tração animal;
Uso do coque para a fundição do ferro; a produção de lâminas de ferro e a produção do aço em larga escala;
Melhoria no processo de exploração do carvão mineral, com a utilização de máquinas a vapor para retirar a água acumulada nas minas de carvão;
Revolução nos transportes e nas comunicações, com a invenção da locomotiva, do navio a vapor e do telégrafo;
Progressos na agricultura, com a produção de adubos, melhores grades e arados, invenção da debulhadora e da ceifeira mecânica (com uma população urbana maior e menor contingente rural, era necessário tais avanços).
As chances de conseguir ganhar a vida no campo eram mínimas, e grande parte das terras pertenciam aos grandes proprietários, que expulsavam os pequenos camponeses. A única forma de garantir a vida era trabalhar como operário, e a partir daí surgiu a classe social dos proletariados.
Mas por que na Inglaterra?
A Inglaterra era um país que possuía muitas reservas de carvão mineral, ou seja, tinham a principal fonte de energia para que as máquinas e as locomotivas à vapor funcionassem. Tinham também a matéria-prima utilizada naquele período, o minério de ferro.

Em síntese:
Além disso, a burguesia inglesa tinha capital suficiente para abrir fábricas, financiá-las, comprar o maquinário, matéria-prima, e contratar empregados. Para facilitar, a procura por emprego nas cidades inglesas era muito grande, portanto a mão de obra se tornava ainda mais barata, pois era única opção. Sem contar que tinham também um vasto império colonial consumidor, e fornecedor de outras matérias-primas.
Outro fator que influenciou fortemente para que ocorresse a Revolução Industrial, a existência de um Estado Liberal na Inglaterra. Através da Revolução Gloriosa, e da Revolução Puritana, foi possível transformar a Monarquia Absolutista inglesa em Monarquia Parlamentar, libertando a burguesia de um Estado centralizado e intervencionista, que deu lugar a um Estado Liberal Burguês na Inglaterra.
Acumulação de capital;
Mão de obra abundante e disponível;
Supremacia naval
Monarquia Parlamentar;
Liberalismo político e econômico;
•Posição geográfica;
Inovações técnicas.
Segunda Revolução Industrial
(- +/–1860 até +/–1945):
esta segunda revolução industrial que está por trás de todo desenvolvimento técnico, científico e de trabalho que ocorre nos anos da Primeira e, principalmente, da Segunda Guerra Mundial. Estados Unidos e Alemanha despontam como grandes potências industriais e econômicas, juntos com Inglaterra e França;
Essa fase da Revolução Industrial foi assinalada pelos seguintes fenômenos:
Aperfeiçoamento na produção do aço, que superou o uso do ferro;
• Aperfeiçoamento do dínamo;
Utilização de novas fontes de energia, como o petróleo e a energia elétrica;
Invenção do motor de combustão interna;
Emprego dos metais leves, como o alumínio e o magnésio;
Nova evolução nos transportes, com introdução das locomotivas e dos navios a óleo, invenção do automóvel, do avião, do telégrafo sem fio, Rádio, Furadeira elétrica, Microfone, Lâmpada elétrica, etc.
Introdução de máquinas automáticas, permitindo a produção em série e provocando um grande aumento na produção (Fordismo e o Taylorismo).
Terceira Revolução Industrial
(+/–1945 até hoje)
Liderada pelos Estados Unidos, teve inicio com o final da Segunda Guerra Mundial (meados do século XX). É a fase que vivemos até a atualidade, embora existam sugestões que estamos em uma 4ª fase da revolução industrial, mas ainda não foi oficializado. Com ela veio:
Introdução do uso de novas fontes de energia como, por exemplo, a nuclear;
Desenvolvimento do Toyotismo;
Desenvolvimento e início do uso da informática, principalmente por parte de empresas e governos. Posteriormente para todas as pessoas;
Melhorias nas condições de trabalho com ampliação dos direitos trabalhistas;
• Fortalecimento do sistema capitalista;
Crescimento econômico do Japão e da Alemanha que passam a figurar como potências econômicas na segunda metade do século XX;
Desenvolvimento da Genética e da Biotecnologia, oferecendo novos recursos para a área médica e fortalecendo a indústria de medicamentos;
Desenvolvimento da Globalização, principalmente após o fim da Guerra Fria, que trouxe um novo cenário nas relações econômicas e formas de produção;
No final do século XX e começo do XXI, temos o desenvolvimento da Internet que alavancou o mundo do comércio e das finanças;
Inicio a partir da década de 1970, das preocupações com o Meio Ambiente (aquecimento global, efeito estufa, desmatamentos, extinção de espécies animais, buraco na camada de ozônio). Vale lembrar que grande parte destes problemas ambientais foram causados pela Revolução Industrial desde sua primeira fase;
Aumento da importância, no cenário econômico global, dos países emergentes (China, Rússia, Brasil e Índia);
Principais invenções tecnológicas deste período:
Robôs industriais
Satélites de telecomunicações
Computador Pessoal (PC)
Telefone Celular
Softwares
Principais consequências 1ª e 2ª fase
(com maior incidência)
• O Imperialismo também ganhou lugar com sua política de expansão e domínio territorial, pois as potências capitalistas precisavam de mercados externos que servissem de um apoio para seu excedente de mercadorias, esta concorrência entre as potenciais foi o principal motivador para a 1ª Guerra Mundial, que levou a 2ª Guerra Mundial.
• Uso em grande quantidade de mão de obra infantil e feminina nas fábricas e nas minas;
• Aumento das doenças e acidentes de trabalhos em função das péssimas condições de trabalho nas fábricas (não haviam leis trabalhistas ou sindicatos, no primeiro momento);
• Os trabalhadores reagiam das mais diferentes formas, destacando-se o movimento "ludista" (o nome vem de Ned Ludlan), caracterizado pela destruição das máquinas por operários, e o movimento "cartista", organizado pela "Associação dos Operários", que exigia melhores condições de trabalho e o fim do voto censitário. Destaca-se ainda a formação de associações denominadas "trade-unions", que evoluíram lentamente em suas reivindicações, originando os primeiros sindicatos modernos.
Modelo de governo, a principio liberal quanto aos assuntos comerciais.
Grande desenvolvimento das técnicas de produção mediante a aplicação de dinheiro em pesquisas cientificas.
Acumulação de capitais em decorrência da intensa exploração da atividade comercial no mundo e particularmente nas colônias americanas, nas feitorias e nas colônias asiáticas e africanas.
Disponibilidade de mão de obra e intensa exploração da força de trabalho do operário ou trabalhador mediante o pagamento de baixos salários.
Existência de abundantes reservas de carvão mineral, minério de ferro e outras matérias primas industriais em muitos países europeus.
Expansão de empresas multinacionais ou transnacionais nos países subdesenvolvidos.
Industrialização no Brasil
A industrialização no Brasil foi historicamente tardia ou retardatária. Enquanto na Europa se desenvolvia a Primeira Revolução Industrial, o Brasil vivia sob o regime de economia colonial. A metrópole portuguesa proibia o desenvolvimento da manufatura e da indústria, especialmente por dois motivos: os produtos iriam concorrer com o comércio do reino e a colônia poderia se tornar independente, o que não interessava à metrópole.
Isto terminou após a independência do Brasil, porem os Estados e governos estavam ligados a pessoas que desenvolviam atividades agropecuárias exportadoras, a preocupação era expandir a produção de café, de onde provinha a riqueza e o poder. Dessa forma o Brasil chegou ao fim do século XIX sem completar sua primeira Revolução Industrial, que só ocorreu em 1930, cem anos depois da que ocorreu na Inglaterra, e dependente da Europa.
Fatores da Industrialização no Brasil
Vários fatores contribuíram para a industrialização no Brasil:
A exportação de café gerou lucros que permitiram o investimento na indústria;
Os imigrantes estrangeiros traziam consigo as técnicas de fabricação de diversos produtos;
A formação de uma classe média urbana consumidora estimulou a criação de indústrias;
A dificuldade de importação de produtos industrializados durante a Primeira Guerra Mundial (1914-1918) estimulou a indústria, mas não de forma muito abrangente.
O grande desenvolvimento industrial
no Brasil 1930 e 1940
Foi com o final da República das Oligarquias que a indústria apresentou um grande avanço no Brasil. O governo de Getúlio Vargas, que teve inicio em 1930, incentivou o desenvolvimento do setor industrial nacional no país, momento em que o Brasil enfrentava os efeitos da crise de 1929, que reduziu as exportações de café, da qual era muito dependente.
no começo da década de 1940, ainda no governo Vargas, houve um forte incentivo industrial patrocinado pelo Estado com a criação de empresas estatais. Estas indústrias atuavam nos setores pesados, pois necessitavam de grandes investimentos. Como exemplos, podemos citar as seguintes empresas estatais que surgiram neste contexto:
Companhia Siderúrgica Nacional (CSN):
– criada na cidade de Volta Redonda (RJ) em 1940, atuava na área de siderurgia.
Companhia Vale do Rio Doce:
– criada em 1942, atuava na área de mineração.
Fábrica Nacional de Motores:
– criada em 1943, atuava na área de mecânica pesada.
Fábrica Nacional de Álcalis:
– fundada em 1943, atuava no setor químico.
Principais consequências da
Revolução Industrial
• As relações também passaram por transformações, pois duas novas classes foram criadas, a dos proprietários e dos proletariados.
• Estabeleceu uma nova organização da economia mundial, uma nova "divisão internacional do trabalho": países industrializados e desenvolvidos de um lado, e os não industrializados, atrasados e subdesenvolvidos do outro.
• Maior concentração de renda nas mãos dos donos das indústrias;
• Aumento da produção de mercadorias em menos tempo;
• Avanços nos sistemas de transportes;
• O agravamento dos problemas socioeconômicos com o desemprego e a fome foram acompanhados de outros problemas, como a prostituição e o alcoolismo.
• Aumento da poluição do ar com a queima do carvão mineral para gerar energia para as máquinas;
• Crescimento desordenado das cidades, gerando problemas de submoradias;
O avanço tecnológico sempre foi acompanhado, desde o paleolítico de intensas mudanças sociais.
Fontes (acesso 17/02/2015):
http://www.coladaweb.com/geografia/as-tres-revolucoes-industriais
http://soprahistoriar.blogspot.com.br/2009/08/revolucao-industrial.html
http://www.webdigital.com.br/sites/jmanoel52983/conteudo.html
http://www.suapesquisa.com/historiadobrasil/industrializacao_brasil.htm
http://www.suapesquisa.com/industrial/consequencias.htm
http://www.todamateria.com.br/industrializacao-no-brasil/
http://www.suapesquisa.com/historiadobrasil/revolucao_industrial_brasil.htm
http://historiacsd.blogspot.com.br/2012/10/revolucao-industrial-questoes-de.html
• A produção em larga escala e dividida em etapas distanciando cada vez mais o trabalhador do produto final, já que cada grupo de trabalhadores dominava apenas uma etapa da produção, e muitos se acomodaram nisto. tORNANDO-SE cada vez mais alienadoS ao pensamento critico e analítico, bem como desconhecendo o valor do que contribuía para construir.
questão 1
(Cesgranrio) A consolidação do processo de industrialização na Inglaterra, ocorrida na primeira metade do século XIX, relaciona-se corretamente com a (o):
a) extinção do processo de cercamento dos campos ("enclousures").
b) supremacia da ideologia liberal.
c) fortalecimento da produção através das corporações de ofício.
d) surgimento do capitalismo financeiro e oligopolista.
e) êxodo da mão de obra especializada das cidades para o campo.
questão 2
(Fuvest) Identifique, entre as afirmativas a seguir, a que se refere a consequências da Revolução Industrial:
a) redução do processo de urbanização, aumento da população dos campos e sensível êxodo urbano.
b) maior divisão técnica do trabalho, utilização constante de máquinas e afirmação do capitalismo como modo de produção dominante.
c) declínio do proletariado como classe na nova estrutura social, valorização das corporações e manufaturas.
d) formação, nos grandes centros de produção, das associações de operários denominadas "trade unions", que promoveram a conciliação entre patrões e empregados.
e) manutenção da estrutura das grandes propriedades, com as terras comunais, e da garantia plena dos direitos dos arrendatários agrícolas.
questão 3
(Uel) Um fator que contribuiu decisivamente para o processo de industrialização na Inglaterra do século XVIII foi:
a) a acumulação de capital resultante da exploração colonial praticada pela Inglaterra através do comércio.
b) a concorrência tecnológica entre ingleses e americanos, que estimulou o desenvolvimento econômico.
c) a expulsão das tropas napoleônicas do território inglês, que uniu os interesses nacionais em torno de um esforço de desenvolvimento.
d) o movimento ludista na Inglaterra com a destruição das máquinas consideradas obsoletas, ao incentivar a invenção de novas máquinas.
e) a abertura de mercados na Alemanha e na França para a Inglaterra, por meio de um acordo comercial conhecido por Pacto de Berlim.
questão 4
(Fei) Podem ser apontadas como características da Revolução Industrial:
a) A substituição da manufatura pela indústria, a invenção da máquina-ferramenta, a progressiva divisão do trabalho e a submissão do trabalhador à disciplina fabril.
b) O aprimoramento do artesanato, a crescente divisão do trabalho, um forte êxodo urbano e o aumento da produção.
c) A substituição do artesanato pela manufatura e o consequente aumento da produção acompanhado pelo recrudescimento da servidão.
d) A total substituição do homem pela máquina e o aumento do nível de vida da classe trabalhadora.
e) A modernização da produção agrícola, o êxodo rural e uma diminuição do nível geral da produção.
Full transcript