Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Artemídia no Brasil

Trabalho de "Arte e Tecnologia" sobre a Artemídia no Brasil. Tecnologia em Produção Audiovisual - Senac - Santo Amaro
by

Rodrigo Paiva

on 5 December 2011

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Artemídia no Brasil

Artemídia no Brasil Andre Shibuya
Andrio Nascimento
Douglas Eduardo De Almeida Denis
Elisa Carolina Arizono
João Ricardo
Julio Abner
Luiz Guilherme P L Melo
Luiz Henrique Brites
Luiza Esper Berthoud
Rene Souza Lopes
Rodrigo Paiva
Thomas Rodrigues
Tulio Gabriel
Prof. Iza
Arte e Tecnologia
Tecnologia Em Produção Audiovisual Pioneiros da arte e
tecnologia no Brasil Elisa Carolina Arizono
Década de 50
1a e 2a Bienais de São Paulo
(contextualização)
Anita Malfati Tarsila do Amaral Portinari Di Cavalcanti Cenário Geral Burle Marx Iberê Camargo
Niemeyer
Abraham Platinik - 1949/1950 Lux Direta Cinecromático Noigandres Computer art no Brasil Derivadas de uma imagem Waldemar Cordeiro A mulher que não é B.B. Waldemar Cordeiro, José Luiz Aguirre / Estevam Roberto Serafim, USP
A mulher que não é B.B., 1971
computer graphic, 30,5 x 45,5 cm
Waldemar Cordeiro
Arte e comunicação na
década de 1980 Andre Shibuya Luiz Guilherme
Nos anos 70 os artistas já estavam cientes das novas tecnologias, e os novos meios de comunicação, e estavam alinhados aos questionamentos conceituais sobre o objeto de arte que acabaram culminando em eventos de performaces e novos meios como xerox, serigrafias, offset, postais, etc.
No final dos anos 70, assistiu-se ao inicio da abertura política no país, por volta de 1977, nas ruas de São Paulo, movimentos pró-democracia reclamavam o espaço público para manifestações, o surgimento do grupo de intervenções urbanas e a explosão do grafiti.
Apesar da baixa aceitabilidade do público, os anos 80 foram marcados por uma grande experimentação com os novos meios tecnológicos e comunicacionais, grandes exposições e eventos organizados em faculdades, centros museológicos e em instituições como a Bienal Internacional de São Paulo. Ocorreu também a formação do Instituto de Pesquisas em Arte e Tecnologia de São Paulo, com o intuito de reunir artistas que realizavam trabalhos na área de arte e tecnologia.
Com o fim da ditadura, existia no povo um grande desejo de exaltar a liberdade e o final da ditadura, a arte brasileira da década de 80 destacou-se principalmente através dos novos meios de comunicação, a idéia era romper com o sistema de galerias e circuitos tradicionais de exposições, uma arte mais participativa e mais diálogica.
Arte Postal
A arte postal consistia em trocar mensagens criativas utilizando o sistema de correios. Ela surgiu como uma alternativa aos meios convencionais das exposições de arte, e tem características próprias do período em que apareceu (ditadura militar). Ou seja, seu objetivo era veicular informação, protesto e denúncia.
A arte postal se caracteriza por ser um meio de expressão livre, no qual envelopes, telegramas, selos ou carimbos postais são alguns dos suportes em que é possível a expressão da sensibilidade. Os artistas utilizam, principalmente, técnicas como colagens, fotografia, escrita ou pintura. A arte postal foi uma das primeiras modalidades de evento a tratar como arte a comunicação em rede, artista do mundo inteiro se comunicavam através de cartas, acentuando assim a função comunicativa e interpessoal entre os artistas.
Um artista brasileiro que podemos citar é o pernambucano Paulo Bruscky, que organizou, em 1975, no Recife, juntamente com Daniel Santiago e Ypiranga Filho, a 1ª Exposição Internacional de Arte Postal, fechada pela censura do regime militar.
Em 1981 a XVI Bienal Internacional de São Paulo destinou um espaço para a arte postal.
O trabalho abaixo, por exemplo, é uma crítica mordaz à ditadura militar, quando não ocorriam eleições livres.
Videotexto
Pode se dizer que o videotexto foi um dos precursores da arte multimídia, nele juntavas se som, imagem e texto. Havia o hibridismo na arte, uma linha gerada pela televisão, através de um som, era algo acessado e manipulável pelo usuário no videotexto.
Nas artes, um dos maiores entusiastas do videoxtexto foi Julio Plaza. É a partir de sua iniciativa, ao organizar em 1982, os projetos artístico Arte pelo Telefone: Videotexto, no MIS, São Paulo, 1982; e Arte e Videotexto, na 17ª Bienal Internacional de São Paulo, 1983, que foram o estopim inicial para as idéias relacionadas com arte-comunicação e também um balão-de-ensaio para a web arte que viria depois.
Arte no currículo
das redes Julio Abreu
Continuidade da Arte-comunicação,mas agora valendo-se da internet.

Novas formas de socialização e conexão entre as pessoas.

j8~g#;NET.Art{-^s1[...]". O telerobô Ornitorrinco (1989), de Eduardo Kac e Ed Bennett.
A arara robótica Rara avis (1996) de Eduardo Kac,na gaiola colocada com aves normais. O peixe voador telerobótico Uirapuru (1999), de Eduardo Kac, pode ser controlado tanto através de uma interface local como da Web. O peixe voador telerobótico Uirapuru (1999), de Eduardo Kac, pode ser controlado tanto através de uma interface local como da Web. TELEOBSERVAÇÃO Visualização de um espaço remoto
através de web-câmeras.
Rompimento da barreira espacial.
Plural Maps: Lost in São Paulo (2002), de Lucia Leão,são labirintos feitos com realidade virtual que levam a imagens na Web. Jacks in Slow Motion (1998), de Kiko Goofman e Jurandir Müller,reflexão sobre os sistemas de vigilância pela internet. TELEINTERVENÇÃO e INTERFACES WIRELESS Utilização de algum dispositvo eletrônico
para interagir.

Uso de aparatos de comunicação móvel.
Leste o leste? (2002), de Gisele Beiguelman, obra em painel na Radial Leste de SP que permitia interação com transeuntes pela Web. Constelações (2004), do coletivo Re:combo, as pessoas enviam sms e o texto se transforma em constelações num céu que é projetado e visto em 3D. CRIAÇÕES COLETIVAS, AMBIENTES COLABORATIVOSE CRIAÇÕES COMPARTILHADAS HOMEM /COMPUTADOR. Perde-se o sentido de:
original
cópia
autor
artista
Assina: do texto ao contexto (2003), de Cícero Inácio da Silva,reflexão sobre a autoria e veracidade das obras da internet. Lápis X (1999), de Carlos Fadon Vicente,obra produzida com algorítimos matemáticos e intervenção do autor. Web Paisagem 0 (2002), de Giselle Beiguelman, Marcus Bastos e Rafael Marchetti. Banco de imagens reciclável com contribuição dos usuários. Palatink Palatink Palatink Palatink Expansão - Bathsheba Grupos de simetria
Tentacon
Metatron
Garrafa de Klein
Whelk
Snub 24-cell
Elisa C. Arizono
Andre Shibuya Luiz Guilherme
Julio Abreu
Imersão em
realidade virtual Luiz Henrique Luiza Esper Berthoud
Luiz Henrique Luiza Esper Berthoud
O que é realidade virtual (definição)?
Quando surgiu o conceito?
Qual o objetivo?
Tipos:
RV de Simulação - Dispositivos que fazem o usuário sentir o mundo virtual(Ex.: Sensorama)
RV de Projeção - Usuario se comunica com personagens ou objetos da RV
(Ex.: Matrix)
RV Aumentada - Capacete que combina imagens reais e virtuais.
(Ex.: Cave Automatic Virtual Environment)
RV de Mesa - Monitores, óculos e projetores onde ousuario vê o mundo Virtual
(Ex.: Cinema 3D)
RV de Simulação RV de Simulação Onde está presente a Realidade Virtual? Jogos e entretenimento (1st Person shooter games, cinema 3D) Comunicação à distância (Video conferencia, Skype, MSN) Simulação e treinamento de Pilotos de avião (Microsoft Flight Simulator, Plane X.)
Arquitetura e urbanismo, interação em espaços arquitetônicos. (SketchUp, 3d Home) Segurança Pública (Treinamento de Militares).
Experiências com
instalações interativas Thomas Rodrigues
Andrio Nascimento
Thomas Rodrigues
Andrio Nascimento
O surgimento das instalações Conhecimento simbólico era privilegiado

Pensar de maneira séria e qualitativa veio com a filosofia ocidental

Descartes que consagrou a filosofia ocidental

A filosofia ocidental pregou que o corpo era sentidos que era meramente ilusão enquanto a mente nos ditava a verdade
Friedrich Nieztsze dizia que o conhecimento era interpretação ligado ao sentimentos

Para a arte, o olhar e o aceito do publico era crucial

Platão defendia o olhar espiritual e não material

1960 a arte começou a se preocupar com os outros sentidos de percepção
No Brasil, a experiência neoconcreta era decisiva

Ferreira Gullar despertou a vivencial de obra de arte com “Manifesto Neoconcreto”
A obra “Os penetraveis do Eden”, tinha a intenção de liberar a imaginação do espectador
A obra as “Mascaras sensoriais” tinha a função de despertar no espectador os demais sentidos e atribuir certos sentimentos
Instalacoes no contexto
das midias Vídeos:
Teatro midiático
e
mídias digitais Rene Souza
Tulio Gabriel
Tulio Gabriel
Rene Souza
Ja no Brasil o inicio de criações no estilo surgiram por Analivia Cordeiro com obras como: M 3x3, Gestos e Cambiantes Richard Wagner desenvolveu o conceito de arte total. Esse estilo artístico inspirou Laszlo Moholy Nagy (em 1920) a propor um novo tipo de teatro, um teatro da totalidade, no qual o seu estilo explora o artístico em cada detalhe. Nele encontra-se uma interação maior com o publico, destaques performáticos em luzes, cenário e figurino. Nos anos 60, Variations V, trabalho de John Cage, Merce Cunningham, Robert Rauschenberg, Nam June Paik e Jasper Johns, foi um marco para o teatro midiático qual se consolidou nos anos 80 e 90. Esse trabalho uni funçoes de arte, no qual pode-se servir de inspiração a muitos filmes artísticos e trabalhos do tipo hoje em dia. Vida artificial, arte
transgênica e robótica Douglas Eduardo
Rodrigo Paiva João Ricardo
Douglas Eduardo
Rodrigo Paiva João Ricardo
Mundo das Técnicas
Extremo do Desenvolvimento
Mordida da Serpente
Recusa
dos
Limites O Corpo na Arte Contemporânea
Orlan Extreme Makeover
Manifesto da Arte Carnal
Ultrapassar os
Limites Humanos
Corpo – Máquina
Vídeo:
Interação
Máquina – Pessoa Vídeo:
Marcel.Lí Antúnez Roca - Epizoo
Algoritmos Genéticos
Vida artificial
Relações Com O Mundo Exterior
Comunicação
Autopoiese
Robert Wiener Vida Artificial
vídeo:
Evolved Virtual Creatures - Criaturas Virtuais Evoluídas
vídeo:
vídeo:
Christa Sommerer & Laurent Mignonneau: A-Volve, 1994-97
Criada a primeira "forma de vida" artificial no Mundo
http://tv1.rtp.pt/noticias/?article=346591&headline=20&tm=7&visual=9
Interatividade Com Simulações
Tania fraga
Aluízio Arcela
Ambientes interativos - Áreas de estudo
Vox Populi
video:
I'Mito: Zapping Zone - Emoção Artificial 2.0
video:
Arte Cibernética no Metro - Exibição Prorrogada!
video:
Regina Silveira 
video:
Life Writer - Emoção Artificial 3.0
Bioarte e Arte Transgênica
Hubert Duprat
George Gessert Eduardo Kac
Manipulação da Natureza
Natural Com Artificial
Bioart
Eighth Day
Vídeo: Damien Hirst revoluciona el mercado del arte en Londres
A utilização de Robos no Campo da Arte
The telegarden (1995-2004), de Ken Goldberg, pioneira no uso da telepresença. Nela, um robô comandado por internautas rega, poda e cuida de plantas.
Telepresence & Biotelematic Art. RC Robot, 1986. Control the robot's actions remotely (telepresence) Exposição suiça
Interatividade de Grupo
Telepresença
Monitoriamento
Teleporting an Unknown State - Emoção Artificial 2.0
Discurso Etético,
Ética e Biopoder Novos discursos estéticos para a arte que atua na interface com o biotecnologia Roy Ascott Philippe Quéau vídeo: FIM Teatro Midiático, Danças e Atuações Performáticas no Ambito da Mídias Digitais Teatro Midiático e Rihard wagner Richard Wagner foi um maestro, compositor, diretor de teatro e ensaista alemão, que desenvolveu o conceito de arte total no ensaio “Outlines of the Artwork of the Future”, ao se referir ao drama do futuro, que longe de se ater as segmentações e especificidades, seria o fruto da fusão de todas as artes. Conhecido pelo uso do “Leitmotiv” (uso repetitivo de um mesmo elemento,temas musicais associados com caráter induvidual, lugares, ideias ou outros elementos.) por não gostar da maioria das outras óperas de compositores. “Der Fliegende Holländer” ou “O holandês voador” (Conta a história de um navegador holandês que é punido por Deus por blasfemar contra seu nome, perdendo-se de sua pátria para sempre, a menos que surja em sua vida uma mulher que lhe seja plenamente fiel.) foi a primeira vez que Richard Wagner usou a tcnica do “Leitmotiv” Destaque Tannhäuser und der Sängerkrieg aus Wartburg (conta a história de Tannhäuser que se deixa seduzir por uma mulher mundana. defendedo deliberadamente o amor carnal de Vênus) Lazlo Moholy Nagy Designer, fotográfo e pintor, mais conhecido por leicionar na escola “Bauhaus”(foi uma escola de design, artes plásticas e arquitetura de vanguarda que funcionou entre 1919 e 1933 na Alemanha. A Bauhaus foi uma das maiores e mais importantes expressões do que é chamado Modernismo no design e na arquitetura, sendo a primeira escola de design do mundo) defendia a ideia de integração entre tecnologia e indústria no design e nas artes. Resgatou a ideia de arte total Wagneriana e e propos um novo tipo de teatro, um teatro total. Ao invez de se consentrarso nos atores e na hierarquia clássica, enfatizava também aspectos como cenário, iluminacão e figurino, dando mais importancia as inter-relações e seus elementos cognitivos. http://vimeo.com/31658927 John Milton Cage / Jasper Johns / Merce Cunningham / Nam June Paik... Em 1960 “Variantions V” fruto da colaboração entre John Milton Cage, Jasper Johns, Merce Cunningham, Nam June Paik, iniciou o cenário midiático contemporânio que se consolidou em 1980 e 1990. Caracterizava-se pela hibridização entre textualidade, imagens e acontecimentos e pelo uso de midias digitais, sendo extremamente vanguardista para a época era derivado do “Happenig” (expressão das artes visuais onde se incorpora elementos da espontaniedade e da iprovisação) “Variantions V” John Milton Cage John foi um investigador incansável. Sua matéria prima é o óbvio, o quotidiano – tudo o que já existe mas que passa despercebido ao sentimento geral – eleva o barulho-ruído ao status de música, fazendo o mesmo com o silêncio. É o compositor da famosa peça 4’33" Teatro Midiático e Ana Livia Cordeiro No Brasil o inicio das investigações do teatro miadiático remetem as criações de Ana Livia Cordeiro, bailarina, coreografa, arquiteta, pesquisadora corporal formada pela USP, pioneira mundial do estilo "computer-dance" e "video-arte" deu inicio ao estilo no Brasil por volta de 1973, quando começou a utilizar computadores em seus trabalhos. Tem obras como: M3X3 (primeira obra de “video arte”), Gestos e Cambiantes, 0°, entre outras., trabalhos que estão na fronteira da dança, video e computadores. Site: http://www.analivia.com.br/ Slow billie Scan Teatro Midiático Contemporâneo / Tania Fraga / Cena 11 Podemos citar os cibercenarios, cenários construidos por linguagens VRML e JavaScript, desenvolvido por Tania Fraga. Seu primeiro Cibercenario foi “Fire in The Sky”,
onde dançarinos interagiam com o cenário virtual.
http://vimeo.com/5611892
Mais...

Daniela Kutschat
http://danielakutschat.com/blog/

Rosangella Leote
http://www.youtube.com/watch?v=RGQCNw8HRZY
Cena 11(Alejandro Altmed)
Estuda a Natureza do corpo humano.
https://www.facebook.com/pages/Grupo-Cena-11-Cia-de-dan%C3%A7a/131486236912777 Bia Medeiros (InfoPorto)
Telepeformance online e offline com interação de usuarios a quilômetros de distância.
ou nesse link
https://docs.google.com/document/d/10G9L-eSctgAbrptEPxm297rtUeM9nE8r6rm2OiuiGAs/edit?hl=en_US
Full transcript