Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Democracia, Retórica e Filosofia 11ºano

No description

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Democracia, Retórica e Filosofia 11ºano

acrópole
areópago
pnyx
Ágora de Atenas
Atenas
Democracia Ateniense
Democracia
Retórica
Filosofia
A democracia surgiu em antenas como forma de se opôr e melhorar o sistema politico que estava em vigor, a tirania.
A Democracia é um regime político que pressupõe como principio básico e fundamental a igualdade dos cidadãos perante a lei e, consequentemente, o direito de intervir na vida pública através da participação nas assembleias politicas.
No início a Democracia grega era só para cidadãos-livres e excluía as mulheres, os escravos e os estrangeiros.

Tirania é uma forma de governo usada em situações excepcionais na Grécia. Nela o chefe governava com poder ilimitado, embora sem perder de vista que devia representar a vontade do povo.
Democracia
Democracia Direta
Democracia indireta
Quando o povo expressa a sua vontade por voto direto em cada assunto particular.

Quando o povo expressa sua vontade por meio da eleição de representantes que tomam decisões em nome daqueles que os elegeram.

A filosofia surgiu na Grecia Antiga numa altura em que esta cidade se encontrava no auge do conhecimento.
E isso deveu-se a alguns acontecimentos que estavam a acontecer na cidade de atenas, como por exemplo, os jogos olimpicos, a formação de novas pessoas com elevadas capacidades artisticas; e o comercio com outros povos ; todos estes fatores contribuiram para um maior conhecimento no povo.
A primeira fase filosófica é sobre o Cosmos, começando com Tales de Mileto no sec. VI a.c, em que faziam da realidade física o seu objecto de estudo ( Explicar o Universo), ao mesmo tempo que se tentava explicar o universo, existem transformações económicas, socias, e politicas que o mundo grego passava ( Nascimento de democracia em Atenas).

A retórica surgiu na Grécia antiga, ligada á democracia e á necessidade de preparar os cidadãos para uma intervenção ativa na cidade. Deriva do grego e significa “arte da palavra”. A definição mais comum é a arte da persuasão. Esta não passava de um conjunto de técnicas de bem falar e de persuasão, para serem usadas nas discussões politicas, ou seja, o mais importante não era a verdade dos discursos, mas sim a capacidade que o orador tinha para convencer o publico que o adversário não tinha razão.

Nas sociedades democráticas, o regime politico deve ser baseado no diálogo e na procura coletiva das melhores soluções para os problemas humanos, assim na democracia o poder obtem-se atraves da palavra, usada com persuasão, nas assembleias.

Democracia e Retórica
Assim a retorica (ensinada pelos sofistas) era utilizada pelos cidadaos candidatos á participação ativa na vida política, pois a retorica é a arte de persuadir atraves da palavra , a arte de falar com eloquencia com o objetivo de conseguir o convencimento do auditorio. Deste modo a democracia depende da retorica, visto que através do confronto de ideias e da persuasão chega-se a um concenso que permite assim resolver os problemas das sociedades.
Filosofia e Retórica
A retórica e a filosofia nem sempre se entenderam. Sendo a retórica a técnica de discurso presuasivo, a de agir sobre os outros homens através do Logos. Foi por tal que na antiguidade greco-latina houve sempre uma rivalidade entre a filosofia e a retórica, entre os filosofos e os sofistas. Visto que ambos tinham como objetivo ensinar os jovens, os filosofos ensinando a busca da verdade e pelo contrário os sofistas ou retóricos ensinando a tecnica de influênciar os homens pela palavra.
A retórica surgiu devido à proliferação dos
sofistas
que de entre varios temas ensinavam a retórica.
Sofistas
Os sofistas eram indivíduos considerados os mestres do saber que ensinavam a arte da erística e da retorica, ou seja estes professores ensinavam as mais variadas matérias a troco de alguma remuneração entre as quais a arte de falar e persuadir, assim os sofistas ficaram conhecidos como os mestres da retorica.
Os ensinamentos sofísticos tinham como uma das principais funções e objetivos preparar os jovens para a disputa politica e para coordenar o Estado, e para isso, desenvolviam com seus mestres a arte de pronunciar discursos convincentes e oportunos.





A erística é a arte ou técnica da disputa argumentativa no debate filosófico, empregada com o objetivo de vencer uma discussão e não necessariamente de descobrir a verdade de uma questão.
Quem São e O Que Ensinam
Principais sofistas
Protágoras
Ficou conhecido pela sua célebre frase: "O homem é a medida de todas as coisas, das coisas que são, enquanto são, das coisas que não são, enquanto não são."
bem o relativismo tanto dos Sofistas em geral quanto o relativismo do próprio Protágoras. Se o homem é a medida de todas as coisas, então coisa alguma pode ser medida para os homens, ou seja, as leis, as regras, a cultura, tudo deve ser definido pelo conjunto de pessoas, e aquilo que vale em determinado lugar não deve valer, necessariamente, em outro.
Esta proposição também significa que as coisas são conhecidas de uma forma particular e muito pessoal por cada indivíduo
Górgias
Juntamente com Protágoras, formou a primeira geração de sofistas. Uma característica especial de suas aparições era a de ouvir questões da plateia sobre todos os assuntos e respondê-las sem qualquer preparo.
Pródico
Foi um filósofo grego do primeiro período do movimento sofista, conhecido como o "precursor de Sócrates". Veio a Atenas como embaixador de Ceos, e tornou-se conhecido como orador e professor. Do mesmo modo que Protágoras, almejava treinar seus pupilos para assuntos domésticos e civis. Pródico fazia da ética disciplina proeminente em seu currículo.
Hipias
Famoso sofista, é protagonista em duas obras de Platão: Hípias Maior e Hípias Menor. A maior parte das informações sobre Hípias são provenientes dos Diálogos de Platão. Nestes conta-se que tinha uma boa memória e que era dado a se gabar por ser o sofista que mais dinheiro ganhou com suas aulas.
Na Grécia Clássica, a retórica, enquanto arte de falar com eloquência, não dizia respeito apenas ao aspeto decorativo do discurso, mas também à procura dos melhores argumentos. Entendia-se que, para persuadir os outros, era importante saber falar bem, porque ajuda a expor e a fazer ver melhor as razões, cativa e seduz a audiência, mas as razões eram igualmente importantes.
Porém, nem sempre as competências retoricas eram utilizadas para fazer prevalecer a causa mais justa. Alguns sofistas gabavam-se de usar a retorica para defender quaisquer opiniões, ou defender isto e o seu contrário.

Como apareceram
Como apareceram
A argumentação vai-se desenvolver muito pelo facto, de em Atenas Clássica, se viver uma Democracia. O terreno propício ao desenvolvimento da argumentação é um terreno democrático porque se tivermos um ditador que nos impõe as suas ideias, não vale a pena argumentar.
Portanto, argumentação desenvolve-se no terreno democrático porque numa democracia vence quem fala melhor, e vence quem convence, porque para ascender ao poder e ter sucesso numa democracia, é ganhar o apoio dos outros, é convencê-los, ganhar o voto deles.
Ora, em Atenas, nessa altura, está se a passar de uma aristocracia para uma democracia. Quer dizer, agora ninguém tem assegurado o sucesso político, o poder.
Ora, neste contexto, vão aparecer os sofistas, que eram professores itinerantes, isto é, andavam de um lado para outro, e que se dedicavam ao ensino da retórica, à arte do bem falar, de argumentar. Estes eram contratados pelos aristocratas, indivíduos mais ricos, e com mais poder, para irem ensinar os seus filhos a falar bem e a argumentar porque agora a única forma de terem sucesso era esta. Ora, andavam de um lado a outro, a ensinar os jovens, mas este ensino não se preocupava com a realidade, não lhes interessava o bem, nem saber quem é realmente o homem, qual a sua origem, etc. Só lhes interessava ensina-los a vencer uma discussão. Se o objetivo do sofista é ganhar dinheiro, ele não vai ensinar os homens so porque tem uma missão, só vai se lhe pagarem, se não pagarem não vai.
Filosofos
Tinha objetivos práticos: preparar os jovens para a disputa política e jurídica.
Tinham objetivos de investigação: procurar a verdade.
Preocupava-se mais com forma do que com o conteúdo do discurso.
Preocupavam-se com o meio de propagar a verdade e o aperfeiçoamento dos seres humanos.
Faziam da retórica uma técnica de dar beleza e encanto ao discurso, para melhor conseguirem convencer.
Utiliza a linguagem e a eloquência como instrumento mas não objeto final.
Desenvolveram a retórica.
Desenvolveram a dialética.
cobravam dinheiro a troco dos seus ensinos
não se importavam com a classe social das pessoas e nem cobravam para ensinarem, faziam por amor a filosofia.
Conceção de verdade dos sofistas
Conceção de verdade dos filosofos
Os sofistas não vão ensinar a chegar a verdade, mas a vencer a discussão, a ter sucesso sem se preocuparem com o conteúdo do discurso. Eles apenas preparavam os homens, para ganhar uma discussão política, nem que tenham de recorrer a falácias.
Para os sofistas a verdade é relativa, o que é verdade para uns pode não o ser para outros.
"O Homen é a medida de todas as coisas" - relativismo
Ora, eles organizam um discurso de uma forma sedutora para que as pessoas se convençam disso, mesmo que não saibam do que se está a falar. No fundo, não há verdade, porque há um discurso que visa convencer, e tem de ser mais forte do que o do adversário, porque vence quem convencer melhor e ter mais votos.
A Filosofia tem objetivos de investigação, objetivos teóricos e não práticos , quer dizer, o filósofo vai filosofar não é para ganhar bens matérias, mas para alcançar a verdade, para investigar o que ela é. Portanto, para a Filosofia, o discurso e a argumentação são um meio para procurar a verdade.
Uma verdade que para eles é absoluta, definitiva e universal excluindo a ideia de relativismo dos sofistas.
O Filósofo ao argumentar, não tem por objetivo que as pessoas se convençam sem entender, claro que a Filosofo quer que os outros se convençam, mas quer que se convençam entendendo aquilo que ele disse, e perceber que é ele quem ter razão. O Filósofo, no fundo, quer esclarecer a verdade.
No livro “O Sofista” escrito por Platão ele afirma que os sofistas são produtores de simulacros da verdade, enquanto que os filósofos são, para ele, geradores de discursos verdadeiros fundados no método dialético.

Platão
Criticas aos sofistas:
Um dos maiores críticos da retórica sofística foi Platão, por entender que esta consistia na simples manipulação da palavra e dos argumentos, sem qualquer preocupação com a verdade. Contra esta retórica sofística, Platão opunha a dialética entendida como o processo no qual os participantes se empenhavam fundamentalmente na busca da verdade.
Assim, Platão apenas reconheceu uma retórica liberta de demagogia (engano) e do artifício (espanto) e ao serviço da verdade e distinguiu a Boa Retórica da Má Retórica. A Boa Retórica apoiada na dialética, eleva-se ao nível das ideias, ou seja, da verdade.



Conceção de retórica para Platão
Para Platão a retórica deve ser utilizada apenas para dar a conhecer ao auditório a verdade para explicar e expor essa verdade de forma a que o auditório a possa reconhecer.
A retorica não é uma arte,mas uma forma de actividade empirica que tem por fim produzir no auditorio um sentimento de agrado e de prazer. Platão designa a essa atividade empirica adulação. Uma vez que nao esta comprometida com a verdade objetiva, o poder persuasivo da retorica pode facilmente transformar-se em manipulação.
Para Platão a retórica deve estar ao seviço da verdade absoluta, definitiva, universal
Conceção de verdade de Platão
Platão- “A verdade, cidadãos atenienses, é esta! E eu a digo a vós, sem vos esconder nada, nem muito nem pouco, e sem simulação. Todavia, estou quase certo de que por tais motivos sou odiado. Aqui está outra prova do fato de que digo a verdade e que justamente esta é a calunia que me prejudica e tais são as causas. E se pesquisardes agora ou mais à frente, constatareis que é justamente assim.”
Nesta obra estão representados diversos filosofos: Platão, Aristoteles, Pitágoras, Epicuro, o sofista Protágoras, entre outros
Trabalho realizado por: Alexandra Silva 11ºC, Diogo Costa e Bruna Santos
Demos=povo
kratos=poder
Retórica:
arte de bem falar;
arte de persuadir as pessoas para certas opções;
arte da eloquência;
técnica do discurso orientado para o receptor;
Estudo da linguagem nas suas componentes essenciais e no seu estilo
Manipuladora;
Mobilizadora dos afetos e da convicçãoo;
Arte da sedução.
Diálogo
Górgias
de Platão
Dialogo-Apologia de Sócrates
Full transcript