Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Guerra de Secessão (1861-1865)

No description
by

Luan Ribeiro de Araujo

on 3 November 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Guerra de Secessão (1861-1865)

O que foi a Guerra de Secessão?
Também chamada de Guerra Civil Americana, ocorre entre os anos de 1861 e 1865, nos Estados Unidos. Foi uma guerra entre Norte e Sul estadunidenses, quando os sulistas decidem por formar uma nova nação - os Estados Confederados da América - por razões político-ideológica que abordaremos ao longo da aula.
Antecedentes: a colonização
dos EUA
Organizado como uma colônia, a princípio, de refugiados ingleses, observou a formação de dois tipos básicos de ocupação da terra: no sul, por causa do solo e do clima, desenvolve-se um forte grupo de latifúndios algodoeiros, seguindo o modelo da plantation. No norte, desenvolve-se, porém, uma burguesia urbanizada.
Em ambos os tipos de exploração do espaço, encontramos a escravidão. No entanto, o emprego
de cativos ao Sul é, obviamente, observado
com mais intensidade, e sua dependência da
mão de obra negra é visível.
A disputa presidencial nas eleições de 1860
Num cenário político tenso, dois políticos novos e proeminentes de Illinois ganham visibilidade. São eles: Abraham Lincoln, do Partido Republicano, e Stephen Douglas, do Partido Democrata.
A rivalidade dois aparece, em especial, na disputa pela vaga do Senado, em 1858.
Sobre o projeto da Lei Kansas-Nebraska, que
visava estender a escravidão acima do
paralelo, tiveram sete grandes debates,
que entraram para a História.
Guerra de Secessão (1861-1865)
2º ano do Ensino Médio
História Geral

Luan Ribeiro de Araujo

Contexto mundial
A década de 1860 é um grande marco na definição do sentido de "progresso", entre as nações do mundo - em especial, as da Europa.
Grandes inovações científicas e a expansão da industrialização, bem como o consumo destes produtos maquinofaturados, transformavam o modo de vida do cidadão mundial e a forma de se fazer política e economia.
Bandeira dos Estados Confederados da América
Década de 1860 nos Estados Unidos
Também para os EUA, a Revolução Industrial se fazia presente. Os Estados do Norte do país, principalmente, enxergavam o sentido do progresso. Ainda como uma potência pequena, se comparada às tradicionais europeias, a burguesia estadunidense via, em geral, o mercado interno como principal meio de crescimento.
As diferenças entre a burguesia nortista e
os agricultores sulistas se tornavam
cada vez mais insustentáveis.
NAVIO A VAPOR
EXPANSÃO DAS
LINHAS DE
TELÉGRAFO
INAUGURAÇÃO DO CANAL DE SUEZ (1869)
Há o nascimento, entre o final da década de 1850 e o início da década de 1870 de uma nova doutrina religiosa cristã, o Espiritismo, que destaca-se pelo uso racional e científico da mensagem bíblica, baseando seus ensinamentos pelo sentido do progresso.
Não se tornou uma religião majoritária, mas é um ótimo exemplo da abrangência do sentimento de avanço - tocando inclusive, em questões metafísicas.
Até mesmo a religião se cientificiza
Allan Kardec, decodificador dos ensinamentos espíritas
ERA MEIJI, NO JAPÃO (1868 - 1912)
A Revolução Industrial chega à Ásia: a partir de 1861, o Japão entra no rol dos países industrializados, a partir das políticas levadas a cabo pelo Imperador Mutsuhito, postumamente conclamado Imperador Meiji.
Estas ações de investimento industrial na Terra do Sol Nascente são resultado da política de intervenção internacional dos Estados Unidos.
Imperador Meiji
O sul dos EUA, como dependente e culturalmente ligado à economia de plantation, via na abolição da escravidão, defendida pelos Republicanos nortistas, uma afronta aos seus negócios e costumes.
Algumas medidas foram tomadas pelo Congressos para embarreirar a proliferação da escravidão, como a proibição do comércio internacional de escravos, em 1808. No entanto, nascem cargos especializados em reprodução de cativos. As disputas políticas em torno da escravidão cada
vez mais tornam-se centro de pauta
entre deputados e senadores.
A questão escravista:
A Marcha para o Oeste
No século XIX, há um grande processo de expansão do território estadunidense para o Oeste. Seja a partir de guerras, compras ou simples povoamento, as novas terras pareciam um presente divino - pois assim consideravam - e tanto o Norte quanto o Sul interessavam-se, de acordo com seus projetos. O Norte buscava mais terras para a obtenção de matéria-prima e para o povoamento sob seus moldes. Os estados do Sul buscavam terras
para suprir a produção dos cansados
solos de sua região.
Com quem ficam as novas terras?
A Lei Noroeste, de 1787, que vai de acordo com o federalismo estadunidense, garante que os estados da União (povoamentos acima de 60 mil pessoas) teriam sua própria Constituição. Possuíam, portanto, o direito de legislar a favor ou contra a escravidão. Os estados nortistas, logicamente, proibiam a prática do cativeiro em seus territórios.
Os novos povoados, que logo se integrariam
ao país, seguiriam qual diretriz?
O COMPROMISSO DE MISSOURI (1820)
Diante da expansão para o Oeste e as disputas, políticas e/ou pessoais, pela predominância de algum tipo de exploração nas novas terras, um barril de pólvora parece estar sendo formado. A tensão aumenta quando o novo estado de Missouri, que fica entre as zonas historicamente povoadas por sulistas e nortistas entra em questão.
Para resolver o imbróglio, é assinado um termo de compromisso, que define uma linha imaginária, passando pelo paralelo geográfico de 36,30ºN, definindo que os novos estados acima do traçado serão antiescravistas e, os abaixo, utilizarão da mão-de-obra compulsória negra. Como única excessão ficaria o estado de Missouri, que seria escravista.
Em 1850, um novo tratado
No ano de 1850, foi assinado o "Compromisso de 1850", que redefine as regras para os novos estados. Após a Califórnia, abaixo paralelo 36,30ºN, decidir por não adotar da escravidão, debates fortes foram travados.
Ficou decidido, por fim, que a Califórnia seria incorporada à União com sua mão-de-obra livre, e os novos estados, como Novo México e Utah, decidiriam sua posição a partir da vontade popular.
Com o povoamento dos território indígena remanescente, dando lugar a dois novos estados - Nebraska e Kansas - a situação da União se torna cada vez mais instável. Numa verdadeira corrida para o povoamento, no intuito de se estabelecer a soberania do sistema produtivo através do voto da maioria da população estadual, embates institucionais e armados se tornaram constantes.
A violência entre grupos pró e anti escravidão se alastra, e culmina no levante comandado por John Brown, em 1859. Brown era um abolicionista, atuante entre os grupos armados, que tomou o Arsenal de Harper's Ferry, na Virgínia, no intuito de munir-se para um levante contra a escravidão. Foi julgado e morto por enforcamento. Tornou-se pesadelo para os sulistas e mártir para os nortistas.
John Brown
"Eu, John Brown, estou agora completamente certo de que somente o sangue apagará o grande crime deste país pecador!"
Mais problemas internos
As disputas políticas entre Norte e Sul não se limitavam à questão escravista.
Outro grande ponto de divergência estava nos impostos sobre as importações. Os sulistas tinham por costume trazer de fora muito do que não era produzido em suas terras. Enquanto isso, a burguesia nortista prezava pelo mercado interno- pelo investimento da produção e na compra.

Há também a questão partidária: por mais que hajam excessões, aos momentos predecessores à guerra, os partidos tornaram-se redutos regionalistas.
Entendamos os partidos:
Principais partidos políticos nos EUA de 1776 à década de 1860
Federalistas
Whigs do Norte
Republicanos-nacionalistas Whig Whigs do Sul Republicanos
Republicanos
Democratas-republicanos Democratas Democratas do Norte Democratas
Democratas do Sul
representando, agora, a burguesia nortista
representando, agora, os latifundiários sulistas
Lincoln x Douglas
ABRAHAM LINCOLN
Hodgenville, Kentucky,
12.FEV.1809
Washington, D.C.,
15.ABR.1865

Partido Republicano

Representante de Illinois
na Câmara - 1847-49
Presidente dos Estados
Unidos - 1860-65

STEPHEN DOUGLAS
Brandon, Vermont
23. ABR.1813
Chicago, Illinois
3.JUN.1861

Partido Democrata

Representante de Illinois
na Câmara - 1843-47
Senador de Illinois
1847-61
"Uma casa dividida contra si mesma não pode permanecer". Eu acredito que este governo não pode suportar, permanentemente, ser metade escravo e metade livre. Eu não espero a divisão da União. Eu não espero ver a casa cair - mas espero que ela deixe de ser dividida. Ela terá que se tornar toda uma coisa ou outra.
Ou os adversários da escravidão irão deter a propagação da mesma, e a opinião pública deve repousar na crença de que deva ser extinta definitivamente, ou seus defensores irão estendê-la adiante, até que ela se torne legal em todos os Estados, velhos ou novos - Norte como no Sul."
DISCURSO DA CASA DIVIDIDA
Fala de Abraham Lincoln em Springfield, capital de Illinois, em 1858
Eleições de 1860: principais candidatos à presidência
Abraham
Lincoln
Stephen
Douglas
John
Bell
John
Breckinridge
Com a vitória do Republicano Abraham Lincoln, antiescravista e representante dos interesses nortistas, a Carolina do Sul decide por romper com a União. Neste primeiro momento, juntam-se a ela os estados da Geórgia, Alabama, Flórida, Mississippi, Louisiana e Texas, formando os Estados Confederados da América.
Como presidente dos Confederados foi eleito Jefferson Davis, que governaria a partir da capital Richmond, no estado da Virginia

Em seu discurso de posse, Lincoln afirma:
“Entendo, portanto, que, em face da Constituição e das leis, a União não foi rompida e, na extensão de minha capacidade, zelarei por que suas leis sejam fielmente cumpridas em todos os estados, de acordo com o que a própria Constituição me põe.”

“Fio-me de que isto não será considerado como ameaça, senão como o propósito declarado da União de defender-se e manter-se constitucionalmente”
A Guerra
Ataque confederado ao Forte Sumter, ocupado por forças da União
12.abr.1861
Os estados que seguiam a política nortista são contabilizados, durante a Guerra, como 17, além de 5 sulistas escravistas que decidiram por não compor os Estados Confederados. Nesses 22 territórios, contavam-se 22 milhões de habitantes. O Sul, por sua vez, contava com apenas 5 milhões de brancos – ou seja, cidadãos – e mais 4 milhões de negros, simpatizantes do Norte. O número parece claro: os “yankees” levarão a melhor sobre os “rednecks”. No entanto, pouco se comenta que os principais generais e líderes militares do país agora compunham a nação confederada. Junto a isto está o fato de que conseguiram, de modo relativo, não absoluto, recrutar um grande contingente. Dos 5 milhões de cidadãos do Sul, 1 milhão deles pegou em armas.
Tática Anaconda
Batalhas
Homestead Act
No ano de 1862, o presidente promulga duas leis que trarão o apoio das massas nortistas ao seu favor e, inclusive, irá incentivá-los que se unam às fileiras da luta. Estes dois atos são o Homestead Act, de maio, que afirmava a posso das terras inexploradas mediante a ocupação, exploração e o pagamento de uma taxa de US$10, cumprindo uma promessa de campanha.
Emancipação
a Lei de Emancipação, de 1862, visava libertar os escravos dos estados que se insubordinassem contra a União, a partir do dia 1º de janeiro de 1863. Ou seja, é, de fato, a proclamação da abolição da escravatura nos Estados Unidos. A promulgação obviamente contou com resistência, mas a regularização do negro dentro da sociedade confederada foi motivo suficiente para uma grande reviravolta na guerra. As fileiras nortistas enchem-se ainda mais – cerca de 200 mil negros alistaram-se.
Batalha de
Gettysburg
Em julho de 1863, os “camisas-azuis”, do Norte, interceptaram uma expedição sulista, dos “camisas-cinza”, na altura da cidade de Gettysburg, na Pensilvânia. Esta foi a batalha mais sangrenta da guerra, deixando mais de 50 mil feridos para ambos os lados. No entanto, a vitória dos “Casacos-azuis”, que veio junto com a confirmação de que os Estados Unidos haviam acabado de tomar parte do Rio Mississipi. A moral obtida na batalha contra os sulistas, aliadas com a nova rota fluvial dá a capacidade aos unionistas da prática dos ataques em profundidade. Então, recuperando a questão das táticas de guerra,
esta funciona melhor do que a “Anaconda”.
Discurso de Gettysburg
"Estamos agora envolvidos em uma grande guerra civil, para determinar se aquela nação, ou qualquer nação concebida daquela maneira e dedicada aos mesmos ideais, poderá perdurar.
Cabe a nós, os vivos, portanto, dedicar nossas forças à tarefa inacabada que aqueles que aqui combateram conduziram adiante com tamanha nobreza até agora... que dos mortos a quem honramos, adquiramos devoção ampliada à causa pela qual sua devoção foi expressa da maneira mais plena; que nós aqui resolvamos da forma mais altaneira que esses mortos não tenham dado suas vidas em vão; que este país, sob a tutela de Deus, veja um renascimento da liberdade; e que o governo do
povo, pelo povo e para o povo não
pereça neste mundo!"
A tomada de Richmond
O exército da União toma, então, a capital dos Estados Confederados, Richmond, no dia 3 de abril de 1865. No dia 9 de abril, General Grant, estadunidense, e General Lee, confederado, se reúnem para definir os termos de rendição; no dia 26 de maio, as últimas tropas deixaram o campo de batalha.
A morte de Lincoln
No dia 14 de abril de 1865, foi assassinado no Teatro Ford, em Washington, por um fanático confederado.
Pós-Guerra
Reconstrução da posição do negro
Concessão da possibilidade
do casamentoao negro
Nascimento de instituições racistas
Ku Klux Klan
Sem escravidão, mas com segregação
bebedouros nos EUA
100 anos depois, luta pelos direitos civis plenos
Pr. Martin
Luther King Jr.
e Malcolm X,
líderes do movimento negro
da década de
1960
Orgulho sulista
Sucesso da clássica banda sulista Lynyrd Skynyrd: God and Guns
Full transcript