Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

BRF BRASIL FOODS S/A

Apresentação sobre a fusão das empresas Perdigão e Sadia, consolidando a criação da gigante Brasil Foods S/A.
by

Carolina Brandt

on 16 October 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of BRF BRASIL FOODS S/A

BRF Brasil Foods S/A - A CRIAÇÃO Empresa criada em 18 de agosto de 1934, pelas famílias Ponzoni e Brandalise, em Vila das Perdizes (atual Videira), a partir de um pequeno negócio de Secos e Molhados; 19 de Maio de 2009: Anunciada a fusão entre SADIA e PERDIGÃO, formando a Brasil Foods S.A (BRF), uma empresa com receita anual de mais de R$ 20 bilhões e portfólio de mais de 3.000 produtos.
Situação da Sadia: Endividada após prejuízos com operações financeiras, os derivativos cambiais, gerando uma perda bilionária para a empresa. Mercado de atuação: carnes (aves, suínos e bovinos), alimentos industrializados (margarinas, massas pratos e vegetais congelados) e lácteos, com marcas consagradas como Perdigão, Sadia, Batavo, Elegê, Qualy, entre outras. Valor de Mercado Perdigão: R$ 7,5 bilhões
Valor de Mercado Sadia: R$ 3,39 bilhões; Market share interno previsto da BRF:
Produtos industrializados: Superior a 55%
Massas Prontas: mais de 80% Opinião do Ministro da Agricultura à época, Reinhold Stephanes: “A união da Sadia com a Perdigão, que resultará na criação da Brasil Foods S.A (BRF), dificilmente atrapalhará os produtores integrados às companhias no que se refere à questão dos preços de comercialização dos produtos. Não acredito numa disputa por preço. Não vejo esse perigo. Sadia e Perdigão são empresas com integração muito forte com os produtores. A união não chega a ser algo ruim, pois precisamos de companhias fortes", afirmou. "A fusão era necessária". José Antonio Prado Fay, presidente da BRF: A principal razão da criação da BRF seria a agregação de valor para maior inserção no competitivo mercado internacional de alimentos. Com a fusão, a BRF ficaria em 10º lugar no ranking mundial do mercado alimentício. Ranking antes da Fusão: Perdigão: 13º lugar Sadia: 14º lugar Após o anúncio da fusão: O órgão antitruste autorizou algumas operações conjuntas no setor financeiro, de forma a sanar os problemas de endividamento da companhia, mas manteve separadas as áreas operacionais e comerciais. 19/09/2009: O Cade autoriza "coordenação de atividades" entre Perdigão e Sadia, voltadas ao mercado EXTERNO apenas no segmento de carnes in natura. 20/01/2010: O Cade autoriza coordenação de atividades da BRF com a Sadia no segmento de carne in natura no mercado INTERNO e na negociação e aquisição de insumos e serviços, como grãos, embalagens e carne bovina in natura, com exceção da compra de aves e suínos; Julgamento oficial: 08/06/2011, mais de 2 anos após o anúncio. Possível solução apresentada pelo CADE: Aprovação da fusão, mas com o restrições impostas, tais como a venda de marcas e ativos em segmentos onde haja alta concentração de mercado. Algumas marcas, como a alemã Dr. Oetker, entraram com pedidos para impedir a fusão, receando que a competitividade, principalmente do setor de pizzas prontas ficasse comprometida. A empresa teme que a aprovação sem restrições provocaria um fenômeno chamado de " efeito portfólio " , ou seja, a blindagem do mercado por várias marcas fortes que, entretanto, pertencem a uma única empresa. REPRESSÃO EXTERNA Voto contrário: Carlos Ragazzo.
Aumento de preços de alimentos e prejuízo ao consumidor brasileiro.
Fim da concorrência em setores como o de carne processada.
Comprometimento da renda de famílias das classes C e D;
Sugeriu que o órgão antitruste reprovasse a operação 13/07/2011 - Fusão aprovada por quatro votos a favor e um contra.

Criado Termo de Compromisso e Desempenho (TCD) Alienação das marcas e de todos os demais direitos de propriedade intelectual a elas relacionados: Rezende, Wilson, Texas, Tekitos, Patitas, Escolha Saudável, Light Ellegant, Fiesta, Freski, Confiança, Doriana e Delicata.
Alienação em conjunto, de todos os bens e direitos relacionados a unidades produtivas (incluindo funcionários, instalações e equipamentos), que compreendem: 10 fábricas de alimentos processados, 02 abatedouros de suínos, 02 abatedouros de aves, 04 fábricas de ração, 12 granjas de matrizes de frangos, 02 incubatórios de aves;
Alienação de todos os bens e direitos relacionados a 08 Centros de Distribuição;
Os ativos alienados devem ser vendidos para uma única empresa; Pontos que preocupavam os consumidores, produtores e órgãos de regulamentação: Alta no preço dos produtos, desemprego, verticalização da produção, aumento das barreiras à entrada e diminuição de concorrência;

X

Pontos positivos defendidos pela BRF: redução de custos, captura de sinergias, ganhos de escala e maior inserção no mercado internacional; Criada por Attilio Fontana, em Concórdia - SC, em 1944. No começo, era apenas um pequeno moinho e um frigorífico inacabado. • Receita líquida – R$ 25,7 bilhões
• Valor de mercado – R$ 31,8 bilhões
• Abate de 7,1 milhões de cabeça de aves/dia
• Abate de 43,6 mil cabeças de suínos
e bovinos/dia
• Responsável por 20 % do comércio
mundial de aves
• 120 mil funcionários
• Líder na produção global de proteínas, com
participação de 9% da comercialização
mundial
• 135 mil pessoas atendidas pelos programas
sociais da Empresa
• 61 unidades de produção no Brasil
e sete no exterior
• 42 centros de distribuição no Brasil
e 19 escritórios no exterior BRF em Números (Relatório Anual 2011): Conjuntura econômica no período do anúncio da fusão: Mundo: Quebra no fluxo de comércio exterior em diversos países. Sob a ameaça de impactos mais severos em suas economias, a maioria das nações adotou medidas de proteção aos seus mercados, visando atenuar os impactos negativos sobre o consumo e o nível de produção deflagrados pela crise financeira internacional. Brasil: Os condutores da política econômica lançaram pacotes de estímulo ao consumo, como a redução do IPI para automóveis, e mecanismos de flexibilização monetária, a exemplo da redução do compulsório bancário e da taxa Selic.
Resultado: o país foi um dos poucos que apresentou bom desempenho econômico em 2009, gerando saldo positivo de empregos e atraindo fluxo de capital estrangeiro. TRAJETÓRIA Associada à própria história do setor alimentício do país;
1939: Inaugura abatedouro de suínos, o qual atingiu a marca de 100 animais/dia em 1942, exigindo melhorias tecnológicas;
1955: Início do abate de aves, realizado de forma artesanal;
1962: Adquire caminhões refrigerados (transporte com segurança e qualidade);
1963: Laboratórios para controle microbiológico e físico-químico (início das áreas de Controle da Qualidade e P&D);
1975: Torna-se uma das pionerias na exportação de carne de frango (Arábia Saudita);
Início de 90: Abatedouros aprovados para exportar para UE;
1994: Crise de liquidez (família Brandalise vende participação na empresa);
2006: Ingressa no segmento de mercados lácteos = Batávia S/A;
2007: Aquisição da divisão de margarinas da UNILEVER, com as marcas: Doriana, Delicata, Claybom e Becel (join-venture);
2008: Tornou-se um dos maiores conglomerados alimentícios da América Latina;
PREOCUPAÇÃO CONSTANTE: qualidade dos produtos, segurança dos processos e portfólio diversificado; PERDIGÃO TRAJETÓRIA Aproveita o cenário industrial brasileiro promissor;
1947: VIra marca registrada e abre distribuidora em São Paulo, primeiro passo para conquistar mercado em 1950;
1952: Arrenda um avião para levar produtos. Slogan: "PELO AR, PARA SEU LAR";
1960: Dificuldades relacionadas à inflação: Contraria prognósticos e investe em teconologia, reestruturação de vendas e expansão de atividades;
1964: Ingressa no segmento de alimentos semiprontos congelados;
1967: Cria Sadia Comercial LTDA = Responsável pela venda e distribuição;
1970: Aproveita "Milagre Econômico" = Empreendimentos no mercado internacional;
1975: Inicia exportação de frango para o Oriente Médio;
1982: Surge o SIC: Serviço de Informação ao Consumidor SADIA;
Início de 90: Implanta programa de Qualidade Total: novos métodos gerenciais e produtivos;
2004: Funda o Instituto Sadia, atuando com o Programa de Investimento Social e Programa de Suinocultura Sustentável Sadia;
2005: Cria o HOT POCKET: Sucesso de vendas;
2007: Anuncia plano ambicioso de investimentos para dobrar o faturamento em 5 anos (Derivativos); SADIA
Full transcript