Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Copy of Defesa Mestrado UFRGS - Amanda Maciel de Quadros

27 de fevereiro de 2013
by

Amanda Quadros

on 21 February 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Copy of Defesa Mestrado UFRGS - Amanda Maciel de Quadros

De que forma professoras, que realizaram a formação num curso a distância mediado por tecnologias digitais de rede, utilizam-nas em sua prática educativa? Analisar se as prá́ticas educativas das alunas-professoras egressas do PEAD são inovadoras.

Identificar se as tecnologias digitais de rede qualificam as prá́ticas educativas das alunas-professoras egressas do PEAD.

Verificar se existem outros fatores intervenientes na comunidade escolar, que fomentem ou dificultem a implementação de prá́ticas educativas inovadoras na escola. Referências PRENSKY, Marc. Nativos Digitais, Imigrantes Digitais. Disponível em: <http://depiraju.edunet.sp.gov.br/nucleotec/documentos/Texto_1_Nativos_Digitais_Imigrantes_Digitais.pdf >. Tradução de Roberta de Moraes Jesus de Souza do Documento de Marc Prensky. On the Horizon (NCB University Press, Vol. 9 No. 5, October 2001). Acesso em: 16 de mar. 2012.

SEBARROJA, Jaume C. A aventura de Inovar: a mudança na escola. Porto Alegre: Porto Editora, 2001.

TEIXEIRA, Adriano C. Formação Docente e Inclusão Digital: a análise do processo de emersão tecnológica de professores. Tese (Doutora- do em Informática na Educação) - Universidade de Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2005.

VEEN, Win; VRAKKING, Ben. Homo Zappiens: educando na era digital. Porto Alegre: Artmed, 2009

YIN, Robert K. Estudo de caso: Planejamento e Métodos. 2º ed. São Paulo: Bookman, 2001. Objetivos Específicos Problema da Pesquisa Nível 1 – Não utilização das TDR na prática educativa
Nível 2 – Utilização das TDR por um técnico
Nível 3 – Utilização das TDR pela professora
Nível 4 – Utilização das TDR pelos alunos com a mediação da professora Dimensão 1 – o possível uso de materiais novos ou revisados
Dimensão 2 – o uso possível de novas abordagens de ensino
Dimensão 3 – a possível alteração de crenças Critérios para seleção dos Sujeitos da Pesquisa Ser aluna do curso PEAD
Unidocente
Trabalhar com as TDR
Lecionar em uma escola de Porto Alegre Conclusão O curso a distância mediado pelas TDR contribuiu para que suas alunas inserissem novos materiais, abordagens de ensino e alterassem crenças, mas as professoras ainda apresentam dificuldades em inovar. O curso foi um incentivador da mudança, mas não determinante para que as professoras inovassem. Orientação Prof.ª Dra. Tania Beatriz Iwaszko Marques Orientação Prof.ª Dra. Tania Beatriz Iwaszko Marques Amanda Maciel de Quadros PRÁTICAS EDUCATIVAS MEDIADAS PELAS TECNOLOGIAS DIGITAIS DE REDE: NOVIDADES OU INOVAÇÕES? bolsista CAPES/DS
amandadequadros@gmail.com Muito Obrigada! Amanda Maciel de Quadros PRÁTICAS EDUCATIVAS MEDIADAS PELAS TECNOLOGIAS DIGITAIS DE REDE: NOVIDADES OU INOVAÇÕES? CARDOSO, Ana Paula P.O. As Atitudes dos Professores e a Inovação Pedagógica, Revista Portuguesa de Pedagogia, Ano XXVI, nº1, 1992, 85- 99.

CARDOSO, Ana Paula P.O. Educação e Inovação. Millenium On-line, nº 6, março de 1997. Disponível em: http://www.ipv.pt/millenium/pce6_apc.htm. Acesso em 06 de out de 2011.

CARDOSO, Ana Paula P.O. Receptividade à Inovação Pedagógica: O Professor e o Contexto Escolar. Revista Electrónica Interuniversitaria de Formacion del Profesorado, v.2 nº1, 1999. Disponível em:http://www3.uva.es/aufop/publica/actas/ix/17-cardoso.pdf. Acesso em: 19 de nov. 2011.

CASTELLS, Manuel. A Sociedade em Rede. São Paulo: Paz e Terra, 2001.

CHALEGRE, Júlia Maria; SILVA, Rejane D. Inovação Pedagógica e o Programa Projovem Campo “Saberes Da Terra”: algumas aproximações in I Encontro Internacional de Educação do Campo. BRASÍLIA: 2010.

FERRETTI, Celso João. A inovação na perspectiva pedagógica in GARCIA, Walter E. (coord.) Problemas e Perspectivas. Campinas: Autores Associados, 1995. FINO, Carlos N. Um novo paradigma (para a escola): precisa-se in FÓRUMa: Jornal do grupo de estudos clássicos da Universidade da Madeira, 2001.

FINO, Carlos N. FAQs, Etnografia e Observação Participante in SEE – Revista Europeia de Etnografia da Educação, nº3, p 95-105, 2003.

FINO, Carlos N. Inovação Pedagógica: significado e campo (de investigação) in Alice Mendonça & António V. Bento (Org.). Educação em tempo de Mudança. Funchal: Grafimadeira, 2008a.

FERRETTI, Celso João. A inovação na perspectiva pedagógica in GARCIA, Walter E. (coord.) Problemas e Perspectivas. Campinas: Autores Associados, 1995.

FULLAN, Michael. O significado da Mudança Educacional. Porto Alegre: Artmed, 2009.

MALAGGI, Vitor. Imbricando Projetos de Ensino-Aprendizagem e Tecnologias Digitais de Rede: busca da re-significações e potencialidades. 2009. 228f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade de Passo Fundo, UPF, Passo Fundo, 2009. Contextualizando... Sociedade Informacional (CASTELLS, 1999) Investigar se o modo como as alunas-professoras egressas da Pedagogia a distância da Universidade Federal do Rio Grande do Sul estão utilizando as tecnologias digitais de rede caracteriza-se como inovação pedagó́gica em suas prá́ticas educativas. Objetivo Geral Análise dos Dados Avalanche de ideias... Base da formação

Especialização

Trabalhos de Conclusão

Laboratório de informática

Tutoria em cursos a distância
PEAD Trabalhos sobre Inovação Pedagógica e Práticas Educativas Inovadoras (1987-2010)
Fonte: Banco de Teses da CAPES Trabalhos Sobre Inovação Pedagógica Professora A Professora C Professora B Zona Leste
2º ano
23 alunos
5 dias de visita
laborarório de informática
e celular Zona Sul
3º ano
23 alunos
5 dias de visita
notebook, câmera digital
e celular Zona Norte
5º ano
28 alunos
3 dias de visita
notebook Novidades Inovações cópia
readaptação
modismos inédito
quebra de paradigmas
sem modelo de referência Se insere em uma perspectiva na qual as ações conjuntas da escola e dos professores se dão através da ruptura com uma situação vigente. O foco da inovação está na sua ação de mudança intencional, bem planejada, deliberada, criativa, crítica e conscientemente assumida na criação de situações de aprendizagem diferenciadas e novas para melhorar a prática educativa no contexto escolar. Inovação Pedagógica Chalegre
e Silva 2010 Fullan 2009 Sebarroja 2001 1992
Cardoso 1997
1999 Ferreti 1995 2001
Fino 2003
2008
2009 Metodologia ESTUDO DE CASOS O PEAD incluiu digitalmente suas alunas-professoras e elas têm maior propriedade para fazer o uso das tecnologias de maneira inovadora. Pressuposto da Pesquisa Prensky (2001, 2009) Nativos Digitais
Home & Strauss (2000) Millenials
Tapscott (1999) Geração Net
Veen e Vrakking (2010) Homo Zappiens, geração cyber, geração instântanea, geração digital, geração de rede. 'Tendências' Não linearidade, múltiplas conexões, comunicação multidirecional, estrutura dinâmica e aberta
Alunos 'Conectados'
Revolução Tecnológica centrada nas Tecnologias Digitais de Rede (TEIXEIRA, 2010; MALLAGI, 2009) Algumas dificuldades: -Má conexão com a internet
-Falta de manutenção dos equipamentos
-Falta de capacitação das professoras
-Restrição para o uso dos laboratórios de informática Nível 1 - Não utilização das TDR na prática educativa Nível 2 - Utilização das TDR por um técnico Ausência das 3 dimensões:

Dimensão 1 – o possível uso de materiais novos ou revisados
Dimensão 2 – o uso possível de novas abordagens de ensino
Dimensão 3 – a possível alteração de crenças Nível 3 - Utilização das TDR pela professora
Nível 4 – Utilização das TDR pelos alunos mediada pela professora - 2 laboratórios da escola sem conexão de internet e com sistema Linux Professora C Os alunos vão ao laboratório e o técnico está com os sites abertos para que os alunos realizem as instruções da aula do dia. Professora A Evidencia da 'Dimensão 1 – o possível uso de materiais novos ou revisados'.
Mas, não altera as abordagens e crenças. Utiliza o celular, máquina fotográfica e notebook Utiliza o
notebook Há evidências das 3 dimensões:

Dimensão 1 – o possível uso de materiais novos ou revisados
Dimensão 2 – o uso possível de novas abordagens de ensino
Dimensão 3 – a possível alteração de crenças A Professora B relatou um projeto no qual os alunos fotografavam com seus celulares os objetos da escola para posterior reflexão. Não foi observada nenhuma prática A prática educativa é mediada a partir das 3 dimensões:

Dimensão 1 – o possível uso de materiais novos ou revisados
Dimensão 2 – o uso possível de novas abordagens de ensino
Dimensão 3 – a possível alteração de crenças NÍVEIS DE INOVAÇÃO PEDAGÓGICA Utiliza o celular e
o computador Bolsista CAPES/DS
amandadequadros@gmail.com "Um estudo de caso é uma investigação empírica que investiga um fenômeno contemporâneo dentro de seu contexto da vida real”
(YIN, 2001, p.32). Procedimentos para
Coleta de Dados 1º Seleção da Amostra (sujeitos da pesquisa) Ter sido aluna-professora do PEAD
Unidocente
Trabalhar com as TDR
Lecionar em uma escola de Porto Alegre 2º Contato por E-mail 3º Apresentar o 'Termo de Consentimento Informado’ 4º Análise dos portifólios de aprendizagem "Ponto de Partida"

Registros realizados no início e fim do curso
(Práticas Educativas e Inovação Pedagógica) 5º Observação em sala de aula 6º Entrevista - Perguntas abertas durante as observações De 30 professoras:
- 7 retornaram
- 3 atingiam aos critérios DIMENSÕES PARA INOVAR (FULLAN, 2009) Professora A Professora B Professora C A professora filma os alunos, coloca o vídeo no notebook e assiste com os alunos. - Acesso quinzenal ao laboratório
- Prática educativa é delegada ao técnico Não utilizar nenhuma tecnologia na sua prática. exemplo exemplo exemplo exemplo Conclusões Investir em capacitação

Contribuir com reflexões para construir uma escola para o futuro

Valorização do trabalho em equipe: trabalho junto com a comunidade escolar para buscar alternativas que qualifiquem a prática educativa

Motivação individual do professor Tecnologias são centradas na prática educativa das professoras. -Análises dos registros em arquivo
-Observações em campo (protocolos de observação)
-Questionamentos das ações aos sujeitos Pesquisados
- Registros através dos Protocolos de Observação
Full transcript