Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Novos multiletramentos na escola: Bem-vindo ao século XXI

XXI SETA _ Out2015_UNICAMP
by

Roxane Rojo

on 28 June 2018

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Novos multiletramentos na escola: Bem-vindo ao século XXI

Colaboração

Abertura

Hibridação

REMIX
Novos multiletramentos na escola: Bem-vindo ao século XXI
Introdução
Hierarquias X Redes de relações
Mercadorias X serviços
Linha de produção X ciberespaço
Informação - Dispersão e distribuição X raridade e controle

Novos Letramentos
Novos letramentos

alteram profundamente certos valores e condutas (ethos) do letramento convencional da letra (Lankshear; Knobel, 2007): a autoria individual, a raridade, o ineditismo, o controle da distribuição dos textos.
Impactos nos textos e nos gêneros discursivos em circulação
Passamos de uma “ordem textual estável” para “textos em mudança”, ditados pelas “relações sociais do espaço da mídia digital”. Textos multissemióticos que maximizam relações, diálogos, redes, dispersões, que buscam uma cultura da “livre informação” e que instauram uma cultura do remix e da hibridização de textos, linguagens e vozes.
Novos letramentos
• Mais participativos, colaborativos, distribuídos
• Menos individualizados, autorais, publicados
• Menos dominados por especialistas
Pedagogia dos multiletramentos
Desenvolver competências e habilidades técnicas e conhecimento prático de usuário funcional das novas tecnologias

não basta para uma pedagogia dos multiletramentos (COPE; KALANTZIS, 2000)

É preciso que esse usuário funcional, que domina ferramentas e programas muitas vezes antes mesmo de chegar na escola, torne-se também um analista crítico que faz apreciações sobre as seleções e sentidos dados pelos produtores de enunciados-textos: um leitor crítico. Somente assim, este pode se tornar um criador de sentidos, seja na leitura ou na produção de textos multissemióticos. E é somente como criador de sentidos e leitor crítico que este aluno poderá “usar o que foi aprendido de novos modos” – éticos e estéticos – transformando o mar de enunciados/textos de que participa continuamente.
A Escola e o Currículo
Esse novo conjunto de práticas, procedimentos e valores – vigentes já hoje na vida pública e privada das pessoas – tem de ser ao mesmo tempo vivenciado e objeto de reflexão e de construção de conhecimento crítico por parte da escola.

Roxane Rojo
DLA/IEL/UNICAMP

Novos letramentos
LANKSHEAR; KNOBEL (2007)
Novas tecnologias
Códigos fonte

Aplicativos (texto, som, imagem, animação, ferramentas de comunicação etc.)

Dispositivos
digitais (
computadores
, consoles, tocadores de mp3/mp4, tablets, celulares etc.

Conexão

Técnicas (clicar, cortar, colar, arrastar, etc.
(LANKSHEAR; KNOBEL, 2007, p. 7)
Novo ethos
Mais participativos, colaborativos, distribuídos;
Menos individualizados, autorados, editorados;
Menos dominados-por-especialistas;
Regras e normas mais fluidas;
Novas mentalidades:
Maximizam relações, diálogos, redes e dispersões;
Livre informação;
Cultura do REMIX e da hibridação.
(LANKSHEAR; KNOBEL, 2007, p. 9-15)
Hipertexto

Multimídia

Hipermídia

Multissemiose/
Multimodalidade
Práticas e procedimentos:
colaboração, a participação contínua, a relação em rede
distribuição mais ampla possível dos textos (reblogagem, compartilhamento)
curadoria
apreciação que se faz dos textos em rede (curtir, comentar, apropriar-se deles remixando ou hibridizando diferentes textos)
apropriação, avaliação e reelaboração (remix) dos textos em circulação
Como?
Mudança histórico-social de tecnologias (entre o impresso e o digital) – e das práticas que por meio dessas se exercem (letramentos) – que convivem e conviverão por muito tempo e que, por isso mesmo, devem ser incorporadas e dialogar livre e abertamente no currículo. No dizer de Almeida (2014), trata-se da construção de um
Web Currículo.
Letramentos da letra
Multiletramentos
Novos letramentos
Escolas equipadas e conectadas
Professores formados
Mudança Curricular (propostas e modos de ensino/avaliação)
Nova "geração" de materiais didáticos
Colaboração

Abertura

Hibridação

REMIX
Este Prezi:
https://prezi.com/1po9pc45nmcu/novos-multiletramentos-na-escola-bem-vindo-ao-seculo-xxi/
Bibliografia?
Google it
!
Novos multiletramentos
Hierarquias X Redes de relações
Mercadorias X serviços
Linha de produção X ciberespaço
Informação - Raridade e controle X Dispersão e distribuição

BNCC-EF (p. 66)
As práticas de linguagem contemporâneas não só envolvem novos gêneros e textos cada vez mais multissemióticos e multimidiáticos, como também novas formas de produzir, de configurar, de disponibilizar, de replicar e de interagir. As novas ferramentas de edição de textos, áudios, fotos, vídeos tornam acessíveis a qualquer um a produção e disponibilização de textos multissemióticos nas redes sociais e outros ambientes da Web. Não só é possível acessar conteúdos variados em diferentes mídias, como também produzir e publicar fotos, vídeos diversos, podcasts, infográficos, enciclopédias colaborativas, revistas e livros digitais etc. Depois de ler um livro de literatura ou assistir a um filme, pode-se postar comentários em redes sociais específicas, seguir diretores, autores, escritores, acompanhar de perto seu trabalho; podemos produzir
playlists
,
vlogs
, vídeos-minuto, escrever
fanfics
, produzir
e-zines
, nos tornar um
booktuber
, dentre outras muitas possibilidades. Em tese, a Web é democrática: todos podem acessá-la e alimentá-la continuamente. Mas se esse espaço é livre e bastante familiar para crianças, adolescentes e jovens de hoje, por que a escola teria que, de alguma forma, considerá-lo?
Ser familiarizado e usar não significa necessaria-mente levar em conta as dimensões ética, estética e política desse uso, nem tampouco lidar de forma crítica com os conteúdos que circulam na Web. A contrapartida do fato de que todos podem postar quase tudo é que os critérios editoriais e sele-ção do que é adequado, bom, fidedigno não estão “garantidos” de início. Passamos a depender de curadores ou de uma curadoria própria, que supõe o desenvolvimento de diferentes habilidades.
Full transcript