Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

História da Educação Especial

No description
by

Elisângela Schmitz

on 11 September 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of História da Educação Especial

História da Educação Especial
Antiguidade (cerca de 3.000 a.c.)
Na antiguidade era normal abandonar as crianças deficientes, pois eram consideradas como castigo dos deuses. Manter estas crianças no convívio social era reforçar as causas deste castigo de forma vexatória.
Grécia Antiga (1.100 - 146 a.c.)
As crianças que nasciam com debilidade ou má formação na Grécia antiga, eram eliminadas ou abandonadas fora dos muros das cidades.
Época das cavernas
Na época das cavernas os grupos viviam como nômades e uma criança com deficiência não tinha como acompanhar o grupo, onde tornava-se um estorvo e tinha a setença de morte.
De 650 a 300 a.c.
Nesta época figuras importantes, como Platão, defendiam a eliminação das pessoas com defeito físico.
Com a doutrina cristã, as pessoas que a praticavam não aceitavam mais a prática da morte e do abandono.
Idade Média
Surge a perspectiva do homem possuindo corpo e alma e, com isso, é garantido as pessoas com deficiência o direito a vida, mas as suas diferenças possuem estigmas.

Os filhos deficientes de famílias abastadas eram criados por padres e freiras, crescendo reclusas sem conhecer a família.

Os filhos das camadas pobres eram cuidados pela própria família, em um quarto separado, com raro contato social.
Durante a Inquisição qualquer diferença significativa era considerada bruxaria, sendo queimados nas fogueiras.

O Rei Luís IX fundou o hospital de Quinze-Vinte para pessoas cegas.
Idade Moderna
O indivíduo passou a ser considerado a partir das aquisições que fazia. O corpo humano passou a ser considerado uma máquina, na qual a excepcionalidade ou diferença aparece como disfunção.
A pessoa com deficiência era privada da escola, já que esta formava trabalhadores e estas pessoas com deficiência eram consideradas inúteis.
Idade Contemporânea
Na idade contemporânea o médico Jean Marc Itard (1774 - 1838) fez as primeiras tentativas de educar uma criança considerada deficiente mental.
Em 1787, o Rei Frederico Guilherme II, da prúcia, decreta que a educação é pública e sob responsabilidade do estado.
Em 1837, Edward Seguin (1812 - 1880) fundou uma escola para idiotas e utilizava o método fisiológico de treinamento. Seguin foi o primeiro membro da Associação Americana sobre Retardamento Mental (AAMR).

A segunda Guerra Mundial exterminou milhares de pessoas com deficiência, além de outros grupos considerados indesejados pelo regime nazista (holocausto).
Após a guerra tornou-se comum a presença da deficiência, pois as pessoas voltavam do campo de batalha com deficiência física e ou mental.
Nesse período os médicos que definiam quem deveria manter-se excluído ou teria possibilidade de conviver em sociedades.
Criam-se escolas especiais para acolher os deficientes surgindo a educação especial.

Brasil
A história da Educação Especial têm como marco fundamental:

Em 1854 Dom Pedro II cria, no Rio de Janeiro, o Imperial Instituto dos meninos cegos. Em 1891 passa a ser chamado Instituto Benjamin Constant.
Em 1857 foi criado o Imperial Instituto dos surdos-mudos, quem em 1956, passa a ser chamado Instituto Nacional de Educação dos surdos (INES).
Brasil
Em 1954 foi criado no Rio de Janeiro, a primeira APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) brasileira.
Em 1961 a Lei de Diretrizes e Bases preconiza os direitos dos excepcionais a educação preferencialmente dentro do sistema geral de ensino.
A constituição de 1988 art. 288 - prevê o atendimento educacional especializado aos portadores de deficiência.
A Lei 7853 criada em 1989, determina a obrigatoriedade de matrícula a alunos com deficiência em estabelecimentos públicos e privados.
Em 2001 o Plano Nacional de educação estabelece em seus objetivos e metas a educação dos estudantes com necessidades especiais em classe comum.


Elisângela Schmitz
Full transcript