Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

MULTIMODALIDADE NA SALA DE AULA: ESTRATÉGIAS TEXTUAL-DISCURS

No description
by

Ana Paula Matos

on 14 August 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of MULTIMODALIDADE NA SALA DE AULA: ESTRATÉGIAS TEXTUAL-DISCURS

Contextualização
O atual cenário educacional brasileiro apresenta avanços relevantes, entretanto, os dados de aprendizagem são insatisfatórios.

Observa-se ausência de reflexão e criticidade na leitura do texto multimodal.

A investigação surgiu de uma inquietação que vinha me incomodando desde o ano de 2001, ao se ingressar em uma escola pública e se deparar com carências leitoras multimodais acentuadas.

Como professora de LP eu não me sentia capacitada para lidar com tais dificuldades.
Problematização
Em que medida o desenvolvimento de um Projeto Educacional de Intervenção, que privilegia o ensino de leitura de textos multimodais, pode contribuir para o aprimoramento da competência leitora dos sujeitos aprendizes, tendo em vista a necessária preparação para o exercício da cidadania e para a vivência dos multiletramentos?

PCN:
Exigência de níveis de leitura diferentes e muito superiores para satisfazerem às demandas sociais (BRASIL, 1997, p. 30).






PROFLETRAS:
Prioriza “o aumento da qualidade do ensino dos alunos do nível fundamental, com vistas a efetivar a desejada curva ascendente quanto à proficiência desses alunos no que se refere às habilidades de leitura e de escrita” (FUNDAÇÃO CAPES, 2013).

Universidade Estadual de Montes Claros
Programa de Mestrado Profissional em Letras
Área de concentração: Linguagens e letramentos
Linha de pesquisa: Leitura e produção textual: diversidade social e práticas docentes

MULTIMODALIDADE NA SALA DE AULA: ESTRATÉGIAS TEXTUAL-DISCURSIVAS PARA LEITURA DE IMAGENS E PRODUÇÃO DE SENTIDOS
Ana Paula Bezerra Matos de Azevedo (Capes)
Orientadora: Maria Clara Maciel de Araújo Ribeiro
Justificativa
TCAM:
A ativação, ao mesmo tempo dos dois canais de processamento da informação expande e otimiza a cognição humana e auxilia no processo de ensino-aprendizagem dos gêneros textuais (MAYER, 2009 apud DIONÍSIO; VASCONCELOS, 2013, p. 35).
Montes Claros, 20 de Agosto de 2015
Hipótese
O desenvolvimento de um Projeto Educacional de Intervenção pode contribuir para o aprimoramento de habilidades crítico-leitoras dos sujeitos, entretanto, é possível que presenciemos o início de um processo que, embora comece com a pesquisa, não se finda junto a ela, uma vez que a sedimentação de práticas de leituras é um processo com resultados observados em longo prazo.
Objetivo geral
Desenvolver um Projeto Educacional de Intervenção, em uma turma do nono°ano do Ensino Fundamental de uma escola pública, visando a promover o ensino de leitura de gêneros multimodais, com vistas a desenvolver a competência leitora dos sujeitos aprendizes, preparando-os para o exercício da cidadania.
Objetivos específicos
selecionar e ensinar categorias da GDV e da ACD, de modo a levar os alunos a conjugarem diversos modos semióticos no processo de produção de sentidos;

incentivar os alunos a adotarem estratégias básicas, no momento da leitura e interpretação de textos multimodais, atentando-se para elementos como cores, disposição espacial, intenção de contato etc;

conduzir os alunos nas práticas de leitura crítica de gêneros multimodais, levando-os a perceberem distintas vozes e posicionamentos, nos textos estudados.
Universo da pesquisa
Riachinho – Minas Gerais;
Escola Estadual José de Alencar;
Público-alvo
32

alunos do 9º ano A com idade entre 13 e 17 anos;
80%
moram em áreas rurais;
86%
participam de Programas Assistenciais;
50 %
moram em assentamentos de terra;
2%
dos pais concluíram o Ensino Médio;
28%
dos pais iniciaram e não concluíram o 2º ciclo do EF;
70%
dos pais não frequentaram e/ou concluíram o 1º ciclo EF.

Percurso metodológico
Pesquisa-ação:
uma prática coletiva que surge como possibilidade de resolução de um problema grupal (THIOLENT, 2005).

Pesquisa participante:
envolvimento tanto do professor de LP quanto dos alunos, ambos participando ativamente na busca da solução do problema detectado (THIOLENT, 2005).










Coleta de dados
Questionário socioeducacional;

Atividade diagnóstica;

Entrevista informal com professoras de LP;

Diário de bordo;

Atividades orais e escritas no decorrer do PEI;

Atividade avaliativa final.
Delineamos:

como pressupostos metodológicos, a pesquisa-ação e a pesquisa participante com base em Thiolent (2005);

como fundamentos teóricos, algumas categorias da Teoria da Multimodalidade (GDV), de Kress; van Leeuwen (2006) e da Análise Crítica do Discurso, de Fairclough (2001);

como proposta de intervenção, uma sequenciação de atividades, organizada em módulos didáticos, com base na oficina
Proposta de Intervenção
, ministrada em 2014 na Unimontes.
Consegue descrever “maneiras não-óbvias pelas quais a língua envolve-se em relações sociais de poder e dominação” (FAIRCLOUGH, 2001, p. 229).

Sujeitos são atores e agentes sociais dotados de poder (ou capazes de serem empoderados).

Seleção de categorias da ACD: uma transposição didática

Intertextualidade manifesta presença de outros textos

Interdiscursividade presença de outras vozes

Ethos imagem de si subentendida

Fundamentação teórico-metodológica
Teoria da Multimodalidade

Imagens

construtos de significado dotadas de estruturas sintáticas e significados próprios;
necessitam ser lidas e interpretadas sistematicamente (KRESS; VAN LEEUWEN, 2006).

Atos comunicacionais
socialmente construídos por meio de
escolhas
de modos semióticos mais aceitáveis;
seus significados dependem do
contexto
e das
motivações
e
objetivos
de quem e para quem os produz (KRESS; VAN LEEUWEN, 2006).




Projeto Educacional de Intervenção
Ensino de leitura pautado na reflexão e conjugação de todos os modos semióticos presentes na composição multimodal para a produção de sentidos.

Módulos didáticos (18 h/a):
1 -
Motivando
2 -
Conhecendo os gêneros
3 -
Aprofundando
4 -
Aplicando
Intervenção: aplicação e resultados

Natureza da pesquisa
Estrutura representacional
Representação visual dos eventos, objetos, participantes envolvidos e as circunstâncias em que ocorrem.
Significado interacional
Relação entre os participantes (quem vê e o que está sendo visto).
Significado composicional
Responsável pelo formato do texto e pela disposição dos elementos, estabelecendo o seu valor hierárquico.
Análise Crítica do Discurso

78%
(25 alunos) desenvolveram habilidades leitoras.

22%
(07 alunos) não atenderam aos objetivos da pesquisa.
Aprendizagens dos alunos


Alguns avanços identificados:

Passaram a observar atentamente os recursos semióticos escolhidos intencionalmente pelo produtor;

A imagem passou a ser vista como repleta de informações cujos significados devem ser considerados;

A funcionalidade social dos textos selecionados passou a ser relacionada à sua utilização;
Inclusão de novas palavras ao vocabulário;

Mudança de postura ao tecerem argumentos relacionados a algum problema social ou fato polêmico;


Elevação da auto-estima e mudança do comportamento na sala de aula, pois os alunos se mostraram mais risonhos, menos arredios e mais seguros para participarem oralmente.
Conclusão
Observamos que é muito positiva a abordagem de ensino que enfoca, em sala de aula, a leitura de textos multimodais, proposta por Kress; van Leeuwen (2006);

Descobertas:
percebemos que os alunos são capazes de apreender informações “complexas”, se as estratégias utilizadas forem propícias. Entretanto, a sua totalidade só será alcançada a longo prazo;

Acertos:
alcançamos resultados positivos por meio do desenvolvimento de um projeto voltado à leitura de textos multimodais a alunos que apresentavam carências até mesmo para leitura de textos verbais simples;






Dificuldades:
a grande quantidade de ações previstas no projeto para aplicação em 18h/a e a complexidade de aplicação da teoria da ACD a alunos com acentuadas carências e acriticidade leitoras, fato que nos levou a utilizá-las mais sutilmente.

Sugestão:
ações que visam ao desenvolvimento da competência leitora precisam ser adotadas com mais intensidade pela escola brasileira, por meio da inserção gradativa de estratégias de leitura multimodal já no segundo ciclo do Ensino Fundamental.
Consideramos esta pesquisa, enfim, como uma modesta contribuição que possibilitará aos sujeitos o uso consciente de diferentes formas de linguagem para interagir, posicionar-se, defender pontos de vista e, por fim, atingir emancipação crítico-cidadã.
Referências
ALTHUSSER, L. Ideology and the ideological state Apparatuses. In: ___________ (Ed.). Lenin and Philosophy and other essays. New York: Montly Review Press, 1971. p. 127-186.

BAKHTIN, M.
Estética da criação verbal.
4. ed. Tradução de Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes, 2003. 512 p. Título original: Aesthetics of verbal creation.

__________.
Marxismo e filosofia da linguagem
. São Paulo: Hucitec, 2002.

BARONAS; R. L.; AGUIAR, G. F. de. Do acontecimento histórico ao acontecimento discursivo: o político na charge.
Bakhtiniana
, São Paulo, v. 1, n. 2, p. 165-182, 2º sem. 2009.

BAZERMAN, C.
Gêneros textuais, tipificação e interação
. DIONÍSIO, A. P.; HOFFNAGEL, J. C. (Orgs). São Paulo: Cortez, 2005.

BEZERRA, F. A. S.; HEBERLE, V. M; NASCIMENTO, R. G. do. Multiletramentos: iniciação à análise de imagens.
Linguagem & Ensino
, Pelotas, v. 14, n. 2, p. 529-552, jul./dez. 2011. Disponível em: <revistas.ucpel.tche.br/index.php/rle/article/view/38/24>. Acesso em: 10 out. 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental.
Parâmetros Curriculares Nacionais
: Língua Portuguesa. Brasília: MEC, 1997. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/livro01.pdf>. Acesso em: 23 ago. 2013.

CARDOSO, M. L. N.
Práticas discursivas na mídia impressa: possibilidades de análise para ensino da língua materna
. 2013. 113 f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2013. Disponível em: <http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/4109>. Acesso em: 21 mar. 2014.

CARVALHO, C. Linguagens do mundo ou um mundo de linguagens?
Cadernos de Linguagem e Sociedade,
Brasília, v. 9, n. 2, p. 5-24, 2008. Disponível em: <http://periodicos.unb.br/index.php/les/article/viewFile/1204/863>. Acesso em: 02 fev. 2015.

COSCARELLI, C. V.
Hipertextos na teoria e na prática.
Belo Horizonte: Autêntica, 2012.

__________.
Leitura em ambiente multimídia e produção de inferências.
1999. 218 f. Tese (Doutorado em Linguística) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 1999. Disponível em: <http://www.letras.ufmg.br/carlacoscarelli/publicacoes/SBIE.pdf>. Acesso em: 16 jan. 2014.

COSCARELLI, C. V.; RIBEIRO, A. E.
Letramento Digital:
aspectos sociais e possibilidades pedagógicas. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

Seleção de categorias da GDV: uma transposição didática


ESTRUTURA REPRESENTACIONAL
Participantes representados Participantes internos
Participantes interativos Participantes externos
SIGNIFICADO INTERACIONAL

Olhar de Demanda Maior interação
Olhar de Oferta Menor interação

Plano fechado Próxima
Plano intermediário Média
Plano aberto Distante


SIGNIFICADO COMPOSICIONAL
Dado Elemento conhecido
Novo Elemento recente

Real Realidade
Ideal Sonho

Centro Centro de atenção
Margem Desvio de atenção
Full transcript