Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Trágico

No description
by

Janaína Arruda da Silva

on 29 June 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Trágico

Origem da tragédia
Organização da tragédia
Catástrofe
É o desmoronar de toda a estrutura do ethos, o final terrível próprio de uma tragédia.

É aqui que o público realiza a sua “catarse”, a purificação da harmatia apresentada no início do espetáculo trágico.

Na Grécia do século V a.C. acreditava-se que ao assistir as apresentações das tragédias, saia-se do teatro purificado e transformado.
A “peripécia”: transforma de forma repentina o destino do personagem, fazendo-o agonizar em sua existência.
A “harmatia”, impureza e a falha de caráter do personagem, característica própria do ser humano.

É o que causa a “empatia”.

Evolução cênica
Seu modelo inicia com o “prólogo” e segue com os “párodos, “episódio”, “estásimo” e por fim o “êxodo”.

Os personagens são apresentados com seus “caracteres”, sua forma de agir

e sua “dianóia”, o pensar que irá determinar ações.
Aristóteles organiza a tragédia em elementos cujo fim é a purgação de emoções como a compaixão e o terror.
Inicialmente apresenta o personagem (ethos) com elementos estranhos e indesejáveis, no decorrer da apresentação, ele passa por situações catastróficas, não alcançando seus objetivos, gerando no público uma identificação e por fim o efeito de catarse.
Nos rituais dionisíacos, e serviam para produzir catarse, todos os praticantes se envolviam no transe sem distinção de papéis.
Trágico
A tragédia é nobre, alta, captura a essência humana e a sua relação com os sentimentos profundos de amor, ódio, medo, traição, etc.
A comédia era considerada baixa, pois tratava de assuntos da vida comum.
Aristóteles qualifica a tragédia em seis elementos:

1.fábula (ação ou enredo);
2. personagem (ethos, caráter);
3. elocução ou dicção;
4. pensamento (dianóia);
5. espetáculo em cena;
6. canto (melopéia).
O personagem central, que costumava ser o corifeu, líder do coro, possui a estratégia da “anagnorisis”.

Ele discursa pelo reconhecimento da sua própria falha, aceita e confessa seu erro, buscando a sua redenção
Acredita-se que a palavra tragédia tenha vindo de "tragos", que em grego significa cabra ou bode, animal que era sacrificado para o ritual dionisíaco. Há outra possibilidade sobre sua origem, que poderia ter surgido da palavra "tragoi", que em grego significa adoradores ou seguidores de Dionísio.
Full transcript