Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Plantas Medicinais - Linha do Tempo - Botânica - MedUFF 214A

No description
by

Jonadab Silva

on 16 November 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Plantas Medicinais - Linha do Tempo - Botânica - MedUFF 214A

plantas medicinais - linha do tempo
Neandertal
Emanuella Cardoso
Jonadab Silva
Juliana Paes
Letícia Baldon


Registro mais antigo do uso das plantas
Catálogo do Imperador Shen Nung


Nicolle Balieiro
Thaís Cristina
Yasmin Sab

Pré-história
2986 a.C
China 2838 - 2698 a.C
Efedra distachia
Homo sapiens
Valeriana asarifolia
Placa de argila sumeriana
Papoula
Papaver somniferum L.
Analgésico.
Morfina, Codeína, Tebaína, Papaverina, Narcotina e Narceína.
Mandrágora
Mandragora officinarum L.
Gênesis 30:14, Cantares 7:13
Lendas medievais
Rituais de magia na Época Medieval
Meimendro ou Belenho
Hyoscyamus niger
Alucinógeno, embriaguez, o delírio, convulsões
Bruxas (na Idade Média)
Antiguidade
365 drogas medicinais muitas das quais são usadas até hoje tal como:
Rhei rhisoma
Cânfora
Ginseng
Casca de canela
Efedrina
Pen T'São
EGITO 1500 a.C
Manuscrito Egípicio
“Ebers Papirus”

811 prescrições
700 drogas feitas com plantas
GRÉCIA 800 a.C
Apolo
Epopeias de Homero
460 a.C - 370 a.C
384 a.C - 322 a.C
Hipócrates e os quatro humores
Ar
Água
Fogo
Terra
Plantas como reguladoras humorais
Aristóteles e os quatro elementos
Os quatro elementos compõem todo a matéria do Universo.
300 a.c
Teofrasto, pai da botânica


“De Causes Plantariam”
“De Historia Plantariam”

Dioscórides , pai da farmacologia
“De Matéria Medica.”

78 D.C
iDADE MÉDIA
476 – 1453
Uso de plantas - Feitiçaria
“O Senhor produziu da terra os medicamentos; o homem sensato não os desprezará, aconselha o Eclesiástico, 39, 4”
idade moderna
SÉC. XV
Expansão Marítima – contato com outros “mundos”, aumento da quantidade de plantas medicinais pela exploração do Brasil, África e a Índia.
O padre José de Anchieta refere a ação cicatrizantes do bálsamo de Copaíba.
SÉC. XV-XVII
Renascimento
Início da experimentação, valorização da observação

Médico e botânico inglês, publicou seu famoso herbário contendo mais de 1800 gravuras sobre plantas de diversas partes do mundo.
John Gerard (1545-1611)
No Peru a casca da quina foi descoberta e começa a ser utilizada no combate ao paludismo (Malária).
1640 -1650
“Histoire géneral des Drogues” pelo farmacêutico Pierre Pomet, o estudo das plantas entra no período científico ao adotar a classificação e a descrição taxonômica

1673
1627-1691
Destilação tendo como finalidade "extrair" a essência dos objetos principalmente a das plantas para uso na preparação de remédios e elixires.
Robert Boyle
1804
Isolamento da morfina a partir do ópio.
Friederich Sertürner (1783-1841)
Foi durante esse período que o termo
pharmakon
veio a significar um material ou produto purificado, usado unicamente para o bem, mudando a conotação prévia de um remédio, droga ou poção empregado para propósitos do bem ou do mal.
JN Langley - The Journal of physiology, 1901 - Physiological Soc.
- Refutação da hipótese dominante de que as drogas agem em terminações nervosas, demonstrando que a nicotina agiu em gânglios simpáticos, mesmo após a degeneração das terminações nervosas pré-ganglionares decepadas.
- Confirmou a existência de receptores celulares para as drogas.
1901
CLARK A.J. The mode of action of drugs on cells. London: Edward Arnold; 1933.
1933
Explica a atividade de fármacos no receptor e a relação entre a concentração da droga e o efeito observado é quantificada.
Full transcript