Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

PLE-I_2017.1_Gêneros discursivos e sequências textuais: o gênero perfil do graduando

22 de agosto de 2013
by

Edna Maria Rangel de Sá

on 21 March 2017

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of PLE-I_2017.1_Gêneros discursivos e sequências textuais: o gênero perfil do graduando

Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Escola de Ciências e Tecnologia
Bacharelado em Ciências e Tecnologia
Práticas de Leitura e Escrita

Professores
Ada Lima, Edna Rangel, Lauro Meller, Tatiane Xavier

15 de março de 2017

SEQUÊNCIAS TEXTUAIS E GÊNEROS DISCURSIVOS
O GÊNERO
PERFIL DO GRADUANDO

Aula 5:
NOÇÕES DE TIPOS TEXTUAIS E GÊNERO DISCURSIVO.
O GÊNERO PERFIL ACADÊMICO.
Em sua vida acadêmica e profissional, vocês necessitarão dominar a leitura e a escrita de textos de variados gêneros discursivos.

Cada gênero requer adequação às suas peculiaridades no que diz respeito ao conteúdo, à estrutura composicional, ao estilo e à função social.

Cada gênero discursivo manifesta-se concretamente por meio de um texto verbal e/ou não-verbal.
Antes de iniciar o estudo do gênero
perfil do graduando
, é necessário entender o que é
gênero discursivo
e compreender a diferença entre esse conceito e o de
sequência textual.

GÊNERO DISCURSIVO é uma forma relativamente convencionalizada de interação comunicativa, realizada na/ pela linguagem, em um dado contexto sociocultural. E, sendo os gêneros discursivos práticas comunicativas, estão em constante atualização.
Vale salientar que, em geral, um gênero discursivo não apresenta apenas um tipo de sequência textual. É até possível afirmar que uma sequência é predominante em determinado gênero, mas não única.

A seguir, veremos algumas amostras de gêneros discursivos. Vocês perceberão que cada um deles tem especificidades com respeito à temática, à estrutura composicional, à configuração linguístico-textual, à função social e às esferas sociais em que circulam.
)
Cada uma dessas amostras textuais representa um gênero discursivo específico (charge, campanha publicitária, placa de estabelecimento), com suas respectivas particularidades. Observar esses aspectos é importante não apenas para se fazer a leitura apropriada de um texto, mas também para uma produção textual que atenda ao(s) objetivo(s) a que se destina.
Com o passar do tempo, alguns gêneros podem se alterar, outros desaparecem e novos gêneros podem ser criados, dependendo das demandas sociais. O hipertexto é um exemplo de gênero surgido após o advento da internet.
Isso significa que cada comunidade lida com os gêneros que são úteis em sua cultura, conforme suas peculiaridades históricas.
Acabamos de assistir a uma
campanha publicitária
do vídeo cassete da Sharp.

Que características podemos perceber nela?

Podemos dizer que é atual? Esse texto faria sentido, por exemplo, há cem anos? Por quê?

Esse vídeo mantém quais características de uma
campanha publicitária
? Foi difícil identificá-lo como exemplar desse gênero?
Agora, vamos nos concentrar no gênero PERFIL.
O perfil é uma espécie de autobiografia sintetizada. A leitura desse gênero deve permitir ao interlocutor a construção de imagens do autor.
Nesse sentido, espera-se que o perfil contenha informações que personalizem, minimamente, o sujeito retratado.
Mas existe apenas um tipo de perfil?
Ou melhor, todos os tipos de perfis contêm as mesmas informações e são construídos da mesma maneira?

Pensando nisso, tentem identificar os dois perfis que leremos a seguir. O que diferencia um do outro? Em que esferas eles provavelmente circulam?

Sou moreno, alto, corpo atlético, tenho 22 anos e sou estudante universitário. Falo três línguas, sou carinhoso, atencioso, fiel, gosto de praia, cinema, adoro dançar. Sou muito bom em cálculo, em leitura e escrita e pretendo conseguir um bom estágio ainda neste semestre. Pretendo ser um excelente engenheiro.
Sou empresário, tenho 60 anos, viúvo, três filhos, já casados, seis netos, uma vida financeira confortável e procuro companheira, solteira ou viúva, para relacionamento sério. Gosto de dançar, viajar, de um bom vinho e sou romântico, na medida certa.
Peço foto de corpo inteiro na primeira carta.
Como vocês já devem ter percebido, temos vários tipos de perfis, ou de possibilidades de produção de um perfil.
O que irá definir os dados que deverão compor um perfil é o objetivo que se tem com ele.
Assim, uma vez que se defina que meta se pretende alcançar com o texto, a que público ele se dirige e qual será sua esfera de circulação, é preciso adequá-lo em termos de conteúdo, registro linguístico e estilo.
Agora, vamos voltar nossas atenções ao
perfil do graduando
, aquele que deve ser publicado na sua página do SIGAA.

No gênero
perfil do graduando
, deve-se fazer uma caracterização pessoal que contemple os seguintes aspectos:

* dados pessoais;
* hábitos e preferências pessoais;
* formação educacional (escolar e acadêmica);
* motivo da escolha pelo curso em que está matriculado;
* atuação profissional ;
* perspectivas acadêmicas e/ou profissionais;
* fotografia adequada ao gênero discursivo perfil acadêmico.
O perfil deve ser escrito em primeira pessoa, numa linguagem clara, objetiva, que esteja em conformidade com a norma padrão escrita.
Deve, ainda, retratar o escrevente com a máxima fidelidade, sendo uma espécie de cartão de visita.
A fotografia também é um dado imprescindível ao perfil, pois facilita a identificação do seu autor.

É necessário ter cautela na escolha da foto, visto que ela tem grande influência na construção da imagem do perfilado por seu interlocutor.
Observem as fotos que se seguem, sinalizem quais estão inadequadas e especifiquem as inadequações encontradas.
Você consegue identificar apenas com um “passar de olhos” o gênero discursivo a que pertence este texto?
Marmelada branca
Vão-se esbrugando os marmelos e deitando-os em agoa fria. Põe-se a ferver em lume forte, estando bem cozidos se passão por peneira. Para 1 Medida de massa, 2 Medidas de Assucar em ponto alto de sorte que deitando uma pinga na agoa coalhe: tira-se o táxo do lume e se lhe deita a massa muito bem desfeita com a colher: Torna ao lume até levantar empôlas tirasse para fóra e se bota até esfriar, para se pôr em pratos a secar.
PRIMEIRA ETAPA (valor: 8,0)

A construção do perfil do graduando representa uma oportunidade de o escrevente mostrar sua singularidade em meio às semelhanças que reúnem, em uma mesma turma de graduação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), dezenas de alunos.

Pensando nisso, produza um texto no qual você se apresente à comunidade acadêmica, conforme as orientações vistas na aula sobre esse gênero, fornecendo as seguintes informações:

* dados pessoais: nome completo, data de nascimento ou idade, naturalidade e onde reside atualmente;
* hábitos e preferências pessoais: atividades que gosta de desenvolver/praticar em seu tempo livre e que não estejam, necessariamente, vinculadas ao âmbito acadêmico;
* formação educacional (escolar e acadêmica): quando e onde concluiu o ensino médio, se fez algum curso técnico e/ou profissionalizante, que graduação cursa atualmente. Caso já tenha formação em nível superior além da graduação que está cursando, informe esse dado. Também é interessante citar outros cursos, tais como os de idiomas estrangeiros e de pós-graduação;
* motivo da escolha pelo BCT (ou, se for o caso, outro curso de graduação da UFRN em que esteja matriculado);
* atuação profissional (se houver, seja como autônomo, estagiário ou efetivado. Caso nunca tenha trabalhado, informe isso no perfil);
* perspectivas acadêmicas e/ou profissionais;
* fotografia adequada ao gênero discursivo perfil do graduando.


OBSERVAÇÕES

* Seu texto deve ser cursivo (e não em tópicos) e adequadamente organizado em parágrafos, de modo que cada um contemple um conjunto de informações.

* O texto verbal e a foto devem estar em um único arquivo, salvo em formato “doc”, “docx” ou “pdf”. Para enviar sua tarefa, entre na turma virtual, acesse o link do exercício no tópico de aula a ele correspondente ou no menu Atividades/Tarefas e, depois, siga as instruções. Essa é a primeira etapa da atividade e vale 8,0. Os 2,0 restantes poderão ser obtidos após a devolução dos perfis já corrigidos; orientações sobre a segunda fase da tarefa serão divulgadas posteriormente.

* O texto verbal deve ter entre 10 e 20 linhas e ser escrito em fonte Times New Roman ou Arial, tamanho 12, com margens de 2 centímetros à esquerda, à direita, acima e abaixo. Para evitar perda de pontuação, evite ultrapassar a quantidade máxima de linhas e/ou escrever menos do que o mínimo solicitado.

*Não há necessidade de mandar a foto em página inteira; basta que a imagem seja visível.

* O prazo para o envio do perfil começa no dia 16/03/17, à 0h, e termina no dia 20/03/17, às 23h59. Perfis remetidos fora desse período e/ou enviados via e-mail não serão corrigidos.

* A tarefa é individual e a nota dela ajudará a compor a média da terceira unidade. Quem não enviá-la ficará com nota ZERO e com falta.

* Aos textos que apresentarem plágio, fuga do gênero ou extensão inferior à mínima exigida será atribuída a nota ZERO.


Sequências textuais (ou tipos textuais) são segmentos de enunciados que correspondem à
forma
como o texto se organiza.
De acordo com suas características específicas, dividem-se em cinco tipos:
1. SEQUÊNCIA NARRATIVA
- "Conta uma história", com personagens, ações, cenários e temporalidade, em que se percebem mudanças de estados. Em textos verbais, é marcada, principalmente, por verbos no passado ou no presente histórico.
2. SEQUÊNCIA DESCRITIVA
- Nessa sequência, procede-se à apresentação, com detalhes, de uma pessoa, lugar ou acontecimento, com intuito de criar uma imagem, o mais real possível, de quem ou do que está sendo descrito. Caracteriza-se, sobretudo, pela presença de adjetivos e/ou de expressões restritivas/qualificativas.
3. SEQUÊNCIA INJUNTIVA
- Tem o intuito de orientar o comportamento do interlocutor, por meio de comandos (ordens, instruções, sugestões), para a realização de tarefas. Nesse sentido, prioriza-se, nela, o uso de verbos no imperativo.
4. SEQUÊNCIA ARGUMENTATIVA
- Nesse tipo de sequência, defende-se um ponto de vista sobre um tema polêmico, com base em argumentos que deem sustentação à tese, e constrói-se uma conclusão que respalde o raciocínio desenvolvido no decorrer do texto.
5. SEQUÊNCIA EXPOSITIVA
- Nessa sequência, o falante/escrevente se restringe a informar e esclarecer o interlocutor sobre determinado tema, sem o propósito de polemizar nem de obter adesão. É marcada pela presença de expressões/sentenças conceituais, explicativas, exemplificativas.
Mas, o que vem a ser GÊNERO DISCURSIVO?
Vamos nos concentrar, agora, na noção de
GÊNERO DISCURSIVO
.
Vejamos outro perfil:


Chamo-me Luiz Januário Gonzaga, tenho 21 anos e sou natural de Natal/RN, que é a cidade onde moro.
[dados pessoais]

Gosto de estar com minha família e com meus amigos. Sempre que possível, pratico musculação e futebol. Quando estou de férias, viajo para a cidade de Mossoró/RN, onde meus pais nasceram.

[hábitos e preferências pessoais]

Concluí o ensino médio no colégio Marista em 2011, e um curso básico de informática no primeiro semestre de 2012, no Senac. Atualmente, estou cursando o Bacharelado em Ciências e Tecnologia (BCT). Escolhi esse curso porque ele dá acesso à graduação em Engenharia Mecânica, área que tem minha preferência não só por minha afinidade com as disciplinas ministradas no curso, mas, também, por oferecer um vasto campo de oportunidades de trabalho.
[Formação educacional, motivo da preferência pelo BCT e perspectivas acadêmicas/profissionais]
Não tenho experiência profissional, mas já estou em busca de estágios ou de uma bolsa de Iniciação Científica.
[experiência profissional]
PERFIL DE UM GRADUANDO DO BCT/UFRN
Todas essas instruções estão no Sigaa.

Sobre a segunda etapa do exercício,
vocês receberão as informações a ela referentes quando chegar o momento de fazê-la
.

Não deixem as atividade virtuais para a última hora. Qualquer problema com o sistema só poderá ser resolvido se houver tempo hábil para tanto.

Bons estudos e até a próxima aula.

Silencioso ou escondido, o plágio pode alcançar a proporção do escândalo quando acontece. Praticado por um estudante de graduação, pode levar a reprovação, comissões de ética, expulsão da universidade. Cometido por um pesquisador de pós-graduação ou um professor universitário, pode acarretar processos disciplinares e judiciais, demissões, perdas de título, retratações de artigos e vexame nos jornais. Para o plagiador, no mínimo, a vergonha e o atraso na carreira. Para a comunidade acadêmica, a suspeição sobre a ciência. E é especialmente porque ameaça a integridade acadêmica que o plágio precisa ser discutido.
São ainda poucas as universidades brasileiras que desenvolveram políticas para informar sobre o plágio e lidar com casos concretos. A Universidade Federal Fluminense, por exemplo, disponibiliza no site da Pró-reitoria de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação uma "cartilha anti-plágio". Outras instituições se renderam à tecnologia da vigilância e adotaram softwares caça-plágio, a exemplo do Turnitim, utilizado no Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) e na Universidade Estadual Paulista (Unesp). Por outro lado, comissões de integridade acadêmica ou de ética na escrita são item raro nas instituições brasileiras. Há três anos, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) divulgou diretrizes sobre integridade acadêmica, abordando o plágio e outras más condutas. Aposta-se nas boas práticas, mas uma aproximação sólida do tema parece ainda distante do cotidiano das pesquisas e salas de aula.

O primeiro passo é utilizar a bateria do seu notebook até que ela chegue a 1% apenas. Então, carregue-a novamente até chegar em 100%. Utilize-a normalmente mas, quando o indicador da bateria estiver em 50%, tire-a do notebook e guarde-a. Passe o resto da semana com o laptop apenas conectado à tomada.

No final da semana, reconecte a bateria e use o notebook até que ela chegue a 1%. Então, coloque-a para carregar novamente. Quando a carga estiver completa, use seu notebook na bateria até que ela chegue aos 50%. Tire-a do notebook e guarde-a de novo. Repita esse processo semana após semana. Dessa forma, a economia de ciclos de recarga é enorme.

(Fonte: http://www.superdownloads.com.br/materias/dicas-conservar-baterias-de-notebooks.html#ixzz2ciibMFwo)

Dentre os muitos aspectos apresentados pela Região Nordeste, o que mais se destaca é a seca, causada pela escassez de chuvas, proporcionando pobreza e fome. A partir dessa temática é importante entender quais são os fatores que determinam o clima da região, especialmente na sub-região do sertão, região que mais sofre com a seca.
O Sertão nordestino apresenta as menores incidências de chuvas, isso em âmbito nacional. A restrita presença de chuva nessa área é causada basicamente pelo tipo de massa de ar aliado ao relevo, esse muitas vezes impede que massas de ar quentes e úmidas ajam sobre o local causando chuvas.

(Adaptado de http://www.brasilescola.com/brasil/a-seca-no-nordeste.htm. Acesso: 25/05/2012).
Atividade virtual 1
:
produção e envio do
perfil do graduando

*PONTUAÇÃO TOTAL
:
8,0
(envio do perfil via SIGAA de 16 a 20/03)
+ 2,0
(inserção, no SIGAA, do perfil corrigido – incluindo foto adequada – e envio, também pelo sistema, em data a ser divulgada, de print screen que comprove a publicação do texto)
= 10,0
.
Com base no senso comum, às vezes, algumas pessoas tendem a confundir esses dois conceitos, mas não deve ser assim.

Vamos ver, primeiramente, de que tratam as sequências textuais.
"Poucas metrópoles no mundo são capazes de oferecer belas praias, montanhas, cachoeiras, intensa programação cultural, vida noturna agitada, monumentos históricos e, de quebra, uma simpatia contagiante da população (…). Vale a pena curtir a praia limpíssima e depois almoçar no Bira, que oferece uma bela vista para a Restinga de Marambaia, além de uma moqueca caprichada".
(VEJA. Edição Especial 86, dez. 2006, p. 48)
Os três textos que acabamos de ler são exemplares do gênero receita culinária.
O que nos permite categorizá-los assim?
Adaptado de: <http://www.unb.br/noticias/unbagencia/artigo.php?id=789>. Acesso em 23/01/2016.
Full transcript