Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

http://limblogger.files.wordpress.com/2010/10/10-04-10-pain1

No description
by

Rodrigo Suarez

on 6 May 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of http://limblogger.files.wordpress.com/2010/10/10-04-10-pain1

Fibromyalgia
Pain Management

Neuromodulatory Techniques
DOR
Definição
"Experiência sensorial (sensitiva) e emocional desagradável associada ou descrita em termos de lesão tecidual."
IASP


Classificação
Quanto ao tempo de duração
Dor Aguda
Alerta
Inflamatória (reação nociceptiva)
Lesões mecânicas diretas
Geralmente causada por estado patológico agudo.
Duração enquanto persistir a lesão
"DOR FISIOLÓGICA"
Dor Crônica
Sem função biológica de alerta
Mantida além do tempo normal de cura
Geralmente causada por lesão do tecido nervoso (periférico, medular ou central)
"DOR PATOLÓGICA"
Segundo
Melzack e Wall
(1982) a dor é uma categoria de experiências complexas, não uma única sensação produzida por um único estímulo.
Quanto à origem
Dor Nociceptiva
Estímulo e sensibilização persistente dos nociceptores (receptores de dor) ou aferências
Somática (tecidos cutâneos e profundos
Visceral (afetando vísceras distantes do local onde há a lesão anatômica.
Dor Neuropática
Em decorrência de lesões das vias sensitivas do SNC e SNP, que podem ser ocasionadas por irritação de fibras C ou deaferentação (dor fantasma).
Dor Mista
Mais comum ocasionada por componentes nociceptivos e neuropáticos.
Dor Psicogênica
Tipo de dor sem causa aparente (rara).
Refere-se a uma condição dolorosa generalizada e crônica. É considerada uma síndrome porque engloba uma série de manifestações clínicas como dor, fadiga, indisposição, distúrbios do sono .
DEFINIÇÃO
A fibromialgia é uma forma de reumatismo associada à da sensibilidade do indivíduo frente a um estímulo doloroso. O termo reumatismo pode ser justificado pelo fato de a fibromialgia envolver músculos, tendões e ligamentos.
Causas
Diferentes fatores, isolados ou combinados, podem favorecer as manifestações da fibromialgia, dentre eles:

Doenças graves;
Traumas emocionais;
Traumas físicos; e
Mudanças hormonais.

Assim sendo, uma infecção, um episódio de gripe ou um acidente de carro, podem estimular o aparecimento dessa síndrome. Por outro lado, os sintomas de fibromialgia podem provocar alterações no humor e diminuição da atividade física, o que agrava a condição de dor.
Manifestações não relacionadas à dor muscular (observadas na fibromialgia, algumas presentes em mais de 50% dos casos):

Fadiga intensa (síndrome da Fadiga Crônica),
Irritação intestinal (síndrome do cólon irritável),
Dor de cabeça (cefaléia),
Condições que causam o movimento involuntário das pernas durante o sono (Síndrome das pernas inquietas),
Presença de irritabilidade na bexiga (Cistite crônica),
Inchaço das mãos e dedos arroxeados em ambientes frios (Fenômeno de Raynaud).
DIAGNÓSTICO
Algômetro - dispositivo que determina a intensidade de pressão por área, fornece dados mais objetivos, importantes em estudos controlados.
Na fibromialgia o limiar doloroso médio dos pontos padronizados, assim como dos pontos controle é mais baixo que em outras doenças reumáticas.
A presença de 11 dos 18 pontos padronizados tem valor para fins de classificação, entretanto, de acordo com SMYTHE, BUSKILA, GLADMAN, 1991, em casos individuais, pacientes com menos de 11 pontos dolorosos poderiam ser considerados fibromiálgicos desde que outros sintomas e sinais sugestivos estivessem presentes.
1 a 5% na população em geral.

Clínica Médica, essa freqüência é em torno de 5 %
Pacientes hospitalizados, 7.5%.
Reumatológica é detectada entre 14%.

No Brasil, alguns trabalhos falam a favor de uma prevalência em torno de 10% .

A fibromialgia é mais freqüente no sexo feminino, que corresponde a 80% dos casos.

Início varia entre 29 e 37 anos
Idade de seu diagnóstico entre 34 e 57 anos.

Os sintomas de dor, fadiga e distúrbios do sono tendem a instalar-se lentamente na vida adulta, no entanto, 25% dos casos referem apresentar estes sintomas desde a infância.
INCIDÊNCIA E PREVALÊNCIA
TRATAMENTO
antidepressivos
gabaérgicos
miorrelaxantes / AINH
anticonvulsivantes / hipnóticos
fisioterapia / TO / atividade física
terapias manuais
acupuntura
terapia cognitiva comportamental / Biofeedback
meditação / hipnoterapia
bioeletrônica ou eletrocêutica (TDCS / rTMS / CES / TENS / implantes endovasculares / etc)
OUTROS TRATAMENTOS
Nutracêuticos:
Vitamina D3
Ácido alfa lipóico
Vitamina B12
Fitoterápicos
“A borboleta é abraçada como um símbolo da sensibilização da Fibromialgia. Suave como a respiração, quase sem peso, é uma excelente alegoria ao impacto, até mesmo o mais leve toque num paciente com Fibromialgia. (…)
Full transcript