Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Amor de Perdição

No description
by

on 1 October 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Amor de Perdição

Amor de Perdição - Análise Literária

O autor e a obra
Tempo e espaço
Foco narrativo
O enredo
Estilo
Movimento literário
"Dezoitos anos! O arrebol dourado e escarlate da manhã da vida! As louçanias do coração que ainda não sonha em frutos, e todo se embalsama no perfume das flores! Dezoito anos! o amor daquela idade! A passagem do seio da família, dos braços da mãe, dos beijos das irmãs para as carícias mais doces da virgem, que se abre ao lado como flor da mesma sazão e dos mesmos aromas e à mesma hora da vida! Dezoito anos... E degredado da pátria, do amor e da família! Nunca mais o céu de Portugal, nem liberdade, nem céu, nem irmãos, nem mãe, nem reabilitação, nem dignidade, nem um amigo!... É triste! O leitor decerto se compungiria; e a leitora, se lhe dissessem em menos de uma linha a história daqueles dezoito anos, choraria!
Amou, perdeu-se, e morreu amando."
Camilo Castelo Branco
Camilo Castelo Branco (1825-1890) foi um escritor português e considerado o criador da novela passional portuguesa. Viveu uma vida agitada e teve vários casos amorosos que provocaram escândalos. Escreveu irreverentes crônicas para jornais. Ingressou na Escola de Medicina na cidade do Porto, mas não concluiu o curso. Dedicou-se à atividade literária, vivendo exclusivamente de seus trabalhos. Recebeu o título de Visconde concedido pelo rei de Portugal, D. Luis I. Em 1863 publica Amor de Perdição, sua novela mais famosa. Sua vida atribulada lhe deu inspiração para os temas de suas novelas. Camilo Castelo Branco também reconstituiu em suas obras o panorama dos costumes de Portugal de seu tempo, quase sempre com uma profunda sintonia com as maneiras de ser e sentir do povo português. Em 1889 quando se torna uma celebridade nacional como escritor, recebe uma homenagem da Academia de Lisboa.
Regresso de Simão, de Coimbra para Viseu;
Teresa nega-se ao casamento com seu primo Baltasar Coutinho e é encerrada em um convento em Viseu;
A morte de Baltazar Coutinho;
A prisão de Simão Botelho;
Simão é condenado a forca/Degredado a Índia;


(2004:105) “Este romance foi escrito num dos cubículos-cárceres da Relação do Porto, a uma luz coada por entre ferros, e abafada pela sombra das abóbadas. Ano da de 1861.”
É clarividente na obra uma sociedade conservadora fortemente marcada pela religiosidade e as convenções.
(2004:151) “Abençoado sejas Simão! Deus te proteja, e te livre duma agonia longa. Todas as minhas angústias lhe ofereço em desconto das tuas culpas. Se algumas impaciências a justiça divina me condena, oferece a Deus, meu amigo, os teus padecimentos, para que eu seja perdoada.”

Quanto ao espaço físico: o País é Portugal, algumas cenas em Viseu (quase que em sua maioria), outras em Coimbra e ainda na Cidade do Porto cujo desfecho é aí retratado.

Amor de perdição é classificada pelos críticos como uma novela passional. Em novelas passionais, Camilo Castelo Branco apresentou três fases: a 1º foi à fase melodramática, de grande pobreza psicológica onde predominaram temas como ódio, vingança e crimes. Produziu novelas criadas basicamente para o entretenimento.

Na 2º fase (onde se insere Amor de Perdição) é representado o melhor de sua obra. A linguagem apresenta-se mais direta e por vezes irônica. A leitura é estimulada através de um suspense bem dosado e de um enredo conciso aproximando mais o leitor da obra que passa a acompanhar as jornadas das personagens. O tema amor reina absoluto.
Romantismo de Portugal/ Ultra-Romantismo, em que o amor pode levar até as últimas consequências (como a própria morte);
História que se desenvolve em torno do amor; Amor como destino, como responsável por mudanças no comportamento das pessoas;
Concluindo...
Duas famílias rivais: as Botelho e as Albuquerque.
Dois jovens apaixonados: Simão Botelho e Teresa Albuquerque.
Dois destinos diferentes: viajem à Índia e enclausuramento no convento.
Uma amiga apaixonada: Mariana.
Um jovem em busca de casar-se com sua amada.
Quatro finais tragicamente iguais.
O amor que os levou à perdição.
Based on Jim Harvey's speech structures
João é morto pelo filho do homem que havia assassinado;
Simão assiste a morte de sua amada ao embarcar no navio;
A última carta de Teresa;
A morte de Teresa, Simão e Mariana.

Obrigado pela atenção!
Egocentrismo, fatalidade, amor platônico;
Amor de Perdição é considerada como uma novela passional.
Seminário de História da Língua Portuguesa - Prosa
Débora Ximenes
Iara Sousa
Julianne Pita
José Elieudo
Luiz Izaac

IFCE - Campus Crateús
Curiosidade:
Os autor, em certas partes de sua obra, se abstrai da história, abandonando um pouco o papel de narrador para intervir com algumas explicações direcionadas exclusivamente ao leitor.
A obra Amor de Perdição é narrada, predominantemente, em 3ª pessoa, apenas identificando-se ao final do livro como sobrinho de Simão, filho de Manuel Botelho, irmão de Simão.
Tipo de narrador: Onisciente
A narrativa desenvolve-se ao entorno de Simão Botelho;
Surgimento do romance com Teresa Albuquerque;
Descoberta do Romance por parte das famílias;
Verossimilhança
O narrador a manifesta a sua preocupação, essencialmente romântica, de dar verossimilhança à história, tentando aproximá-la da verdade, pela ênfase ao seu caráter documental e biográfico.

Simão é apresentado como aquele herói romântico, real, verdadeiro e não-ficcional;
Teresa é a mulher idealizada, perfeita;
"Para finos entendedores, o diálogo do capítulo anterior definiu a filha de Tadeu de Albuquerque. [...] Diz boa gente que não, e eu abundo sempre no voto da gente boa. Não será aleive atribuir-lhe uma pouca de astúcia ou hipocrisia, se quiserem; perspicácia seria mais correto dizer. Teresa adivinha que a leadade tropeça a cada passo na estrada real da vida [...] A mim basta crer em sua distinção, a celebridade que ela veio a ganhar à conta da desgraça." p.14
Uma trágica e envolvente história de amor...
Personagens
"E, antes que o baque do cadáver se fizesse ouvir na água, todos viram, e ninguém já pôde segurar Mariana, que se atirara ao mar. À voz do comandante desamarraram rapidamente o bote, e saltaram homens para salvar Mariana. Salvá-la!… Viram-na, um momento, bracejar, não para resistir à morte, mas para abraçar-se ao cadáver de Simão, que uma onda lhe atirou aos braços. O comandante olhou para o sítio donde Mariana se atirara, e viu, enleado no cordame, o avental, e à flor da água, um rolo de papéis, que os marujos recolheram na lancha. Eram, como sabem, a correspondência de Teresa e Simão. Da família de Simão Botelho vive ainda, em Vila Real de Trás os Montes, a senhora D. Rita Emília da Veiga Castelo Branco, a irmã predilecta dele. A última pessoa falecida, há vinte e seis anos, foi Manuel Botelho, pai do autor deste livro. FIM"
Na 3º fase as novelas passam a constituir romances e modificam-se apresentando características realistas como as sátiras, críticas sociais e as observações minuciosas da realidade. Temas como o adultério passam a ser explorados. A linguagem torna-se mais popular. Na novela passional Amor de Perdição, o amor funciona como uma espécie de destino e de fatalidade que domina e orienta tanto o a vida quanto a morte das personagens que passam a seguir cegamente os seus impulsos amorosos. Não podemos esquecer que a novela se enquadra no período literário do Romantismo apresentando-se como ótimo exemplo de literatura da época.
Espaço
Tempo
O amor entre Simão e Tereza desenvolve-se num período de sete anos. O tempo cronológico é, portanto, desta forma minuciosamente demonstrada. Os acontecimentos se desenvolvem de forma bastante linear privilegiando a ação ao invés da descrição. O tempo psicológico da mesma forma é profundamente explorado através da angustia, do sofrimento e do clima denso e repleto de inquietações experimentado pelas personagens. A história desenrola-se no século XIX.
Full transcript