Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Fisiologia da dor

Neurofisiologia da dor
by

leonardo leo

on 27 February 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Fisiologia da dor

Equipe: Laisa Marques
Lana Lívia
Leonardo Dias
Luciana Sena
Fisiologia da Dor
"Experiência multidimensional e desagradável, envolvendo não só um componente sensorial, mas também um componente emocional e que se associa a uma lesão tecidual concreta ou potencial, ou descrita em função dessa lesão."
(IASP, International Association
for the Study of the Pain)
Tipos de Dor
DOR RÁPIDA
DOR LENTA
Sentida 0,1 segundo após o estímulo doloroso.
Sentida superficialmente, não sendo associada aos tecidos profundos.
Conhecida como: Dor pontual; Dor de agulhada; Dor elétrica; Dor aguda.
Sentida a 1 min ou mais, aumentando lentamente, ápos o estímulo doloroso,
Está relacionada a destruição dos tecidos.
Pode ocorrer superficialmente como profundamente.
Conhecida como: Dor em queimação; Dor persistente; Dor crônica.
DOR : Estruturas
RECEPTORES E SUA ESTIMULAÇÃO
Os nociceptores (receptores) são terminações nervosas livres dos neurônios periféricos, cuja função é preservar a homeostasia tecidual, assinalando uma injúria potencial ou real. (KLAUMANN,2008. p.02)
ESTIMULOS
Mecânicos
Térmicos
Químicos
FIBRAS DOLOROSAS PERIFÉRICAS
Fibras Aδ : são de diâmetro intermediário (2 a 6 µm), mielinizadas. Sua velocidade entre 6 e 30 m/s, modulando a dor aguda .
Aguda
Crônica
Fibras C: são fibras de diâmetro pequeno (0,4 a 1,2 µm), não mielinizadas e de velocidade entre 0.5 e 2 m/s, responsáveis pela dor crônica.
VIAS DUPLAS PARA DOR
Trato Neoespinotalâmico
Trato
Paleoespinotalâmico
Coluna ântero-lateral
Fibras Aδ
Térmicos
Lâmina I (lâmina marginal)
Neuronios de Segunda Ordem ( do trato neoespinotalâmico)
Cruzam para o lado oposto da medula
Encéfalo
Estimulos agudos: Mecânicos
Ascende
Passa atraves da comissura anterior para o lado oposto da medula
Fibras C (alguns Aδ)
Lâminas II e III (substância gelatinosa)
Neuronio de fibra curta (antes de entrar na lâmina V)
Neuronio de fibra longa
Estímulos crônicos: Térmicos
Mecânicos
Químicos
Glutamato
Substância P
Cerúleo (Locus coeruleus):


Núcleos do Rafe:

Rico em noradrenalina
Ricos em serotonina
Córtex
:
Processamento racional e
coordenação local
Hipotálamo
:
Reacções corporais (por ex.:
transpiração, subida da pressão
arterial)
Tálamo
:
Percepção da dor
Sistema límbico:
Processamento emocional
Cérebro:
Processamento da dor
Espinal-medula:
Inibição da transmissão da
dor, através da serotonina
e noradrenalina
Modulação da Dor
Dor Referida
É definida como uma dor sentida em um local que se encontra a distância dos tecidos responsáveis pela dor, porém mantendo relação com o ponto do estímulo primário.
Mecanismo da Dor Referida
A convergencia de sinal de dor, proveniente do "compartilhamento" das fibras de dor visceral e das fibras presentes na pele pelos neurônios de segunda ordem, leva ao deslocamento espacial da sensação da dor no local de lesão que a produz .
Dor Visceral
Causas da dor visceral Verdadeira
Isquemia
Estímulos químicos
Espasmo de uma Víscera Oca
Distensão Execiva de uma Víscera Oca
Víscera Insencíveis
Dor proveniente de orgão profundos
Possui receptores sensoriais exclusivos
CEFALÉIA
A cefaléia pode originar-se desde uma estimulação dos nociceptores por lesão tecidual, até lesão das vias sensíveis a dor ou em ambas.

Relativamente poucas estruturas cranianas são sensíveis a dor .

Os estímulos sensoriais da cabeça são transmitidos ao sistema nervoso centaral pelos nervos trigêmeos para as estruturas anteriores e médias do crânio.

A cefaléia pode ocorrer de de distensão dos seios venosos em torno do encéfalo, distensão d dura na base do encéfalo. Além os estímulos traumatizantes, esmagatórios ou distensão dos vasos sanguíneos das meninges também pode causar cefaléia.
Tipos de Cefaléia de Origem Intracraniana
Cefaléia da meningite
Resulta da meningite, que causa inflamação de todas as meninges, inclusive em torno dos seios venosos.
Enxaqueca
A enxaqueca é um tipo especial de cefaléia, que se supõe ser consequencia de fenomenos vasculares anormais, embora o mecanismo exato seja desconhecido.
Umas das teorias da causa da enxaqueca é que emoções ou tensões prologadas causam vasoespasmo reflexo de algumas artérias da cabeça.
Proporcionada pelo abuso de álcool, causa dor devido aos efeitos tóxicos sobre os tecidos, irritando detamente as meninges.
Cefaléia Alcoólica
Tipos de Cefaléia Extracraniana
Cefaléia Resultantes de Espasmo Muscular
A tensão emocional geralmente faz com que muitos músculos da cabeça, especialmente os músculos ligados ao coro cabeludo e os músculos cervicais ligados ao osso occipital. Essa dor é geralmente referida em áreas subjacente da cabeça.
Cefaléia resusltante da irritação e de estruturas nasais acessórias
As membranas mucosas do nariz e dos seios nasais são sensíveis à dor, mais não tão intensamente. Porém a infecção ou processos irritativos nessas estruturas geralmente se somam e causa encefaléias atrás dos olhos ou no caso de uma infecção do seio frontal, nas superfícieis da testa e do couro cabeludo.
REFERENCIAS

HARRISON, T. R. Medicina Interna. – Ed. 16. Rio de Janeiro: McGraw-hillnInteramericana do Brasil Ltda., 2006.

GUYTON, Tratado de Fisiologia Médica. – Ed. 12. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011.




Provocada pela infecção do herpesvírus que infecta um gânglio da raiz dorsal, causando dor no segmento suprido pelo gânglio.
Síndrome de Brown-Séquard

ALGUMAS ANORMALIDADES DA DOR
HIPERALGESIA
Algumas vias para dor podem ganhar uma sensibilidade excessiva, e esta hipersensibilidade é conhecida como hiperalgesia. Que podem ser provocadas pela sensibilização dos receptores para dor, ou facilitação da transmissão sensorial.
HERPES ZOSTER
Full transcript