Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Moradores de Rua

No description
by

Andressa Sager

on 30 May 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Moradores de Rua

Onde essa população se concentra?
CENSO DO IBGE
Situação precária de vida
No Brasil há cerca de 192 milhões de habitantes, segundo o CENSO do IBGE. Entre 0,6% à 1% são população de rua.


É uma variação que calcula novos moradores de rua e os que deixam de morar na rua. Em números, há até 1,8 milhões de moradores de rua em todo o território brasileiro.
A situação precária de vida desta população, pressupõe uma análise de saúde-doença de forma diferenciada, e isso é importante para a formulação de ações pelos serviços de saúde. A sobrevivência dessas pessoas na rua dependem de esforço físico diário. "[...] o 'trabalho' aparece em forma de ganhos esporádicos, ou nenhuma realização de atividade; a violência urbana quotidianamente vivenciada, a perda de vínculos familiares, entre outros, são fatores de grande importância na concepção do adoecer, no cuidado, e conseqüentemente, no acesso a serviços adequados." (JUNIOR et. al, 1998, p. 51)
5 de junho de 2014
O que são?
Classificação

Pesquisas
Segundo uma pesquisa coordenada pela Secretaria Municipal da Família e do Bem-Estar Social da prefeitura do Município de São Paulo constatou que nas principais regiões da área central havia cerca de 4 mil moradores de rua. Esta população era constituída por homens brancos, entre 30 e 39 anos, oriundos da região sudeste, primeiro grau incompleto.

A quantidade de moradores de rua vem crescendo a cada ano, homens cada vez mais jovens, brancos, negros e indígenas tem se tornado “figurinhas carimbadas” nas praças, semáforos, barzinhos pedindo esmola ou até dinheiro para compra de remédio para algum ente querido.
Moradores de Rua
São pessoas que, por vários motivos, perdem tudo o que tem e passam a viver na rua. O número desses indivíduos tem crescido a cada dia. A perda de emprego, a dificuldade de inserção no mercado de trabalho, são uns dos principais fatores que gera este problema.
Predominantemente, nos centros das cidades, pois há maior fluxo de comércio e de pessoas e, por esse motivo, conseguem mais alimentos e dinheiro. À noite, esses lugares ficam praticamente vazios e tornam-se abrigos para os moradores de rua.
Alguns autores têm buscado construir uma definição mais apropriada à realidade
brasileira, caracterizando-se como população de rua aquelas pessoas que utilizam o
espaço público da rua como local de moradia e sobrevivência (VIEIRA et al., 1992;
VIEIRA, 1992).
Características
Essa população caracteriza-se como grupo heterogêneo, pois "na rua misturam-se trabalhadores, cujas fontes de sobrevivência se originam dela própria, como é o caso dos catadores de papel, lavadores e guardadores de carro; outros cujas fontes de sobrevivência não lhes permitem o pagamento de moradia, como
trabalhadores da construção civil, vigilantes e ajudantes em geral, bem como aqueles que vivem da mendicância e da contravenção, no limite do desinteresse pela atividade socialmente considerada produtiva." (CONDEIXA, 1995:112)

Justificativas para estarem na rua

As justificativas para estarem nas ruas não são muito diversas e são, muitas vezes, parecidas.
São os desentendimentos familiares, desemprego, problemas de saúde, doenças mentais, uso de drogas lícitas (como o álcool) e ilícitas.
Quanto à Declaração Universal de Direitos Humanos
Toda pessoa que mora na rua tem direito à vida com saúde, trabalho, educação, segurança, moradia, assistência social e lazer.

Em 1948, esses direitos foram reconhecidos por vários países, na Declaração Universal de Direitos Humanos.
Essa Declaração afirma que:

"Todas as pessoas nascem livres e iguais, ou seja, “ninguém é melhor que ninguém”. Todos nós formamos uma única família, a comunidade humana: negro ou branco, homem ou mulher, rico ou pobre, nascido em qualquer lugar do mundo e membro de qualquer religião. Assim, todos nós temos direito à liberdade e à segurança pessoal."
É importante, então, que a população de rua se organize com o objetivo de lutar por esses direitos e conquistar políticas públicas. Elas são o caminho para a realização de ações governamentais que ajudem na garantia dos direitos de todas as pessoas em situação de rua. Atualmente, está em processo de elaboração a Política Nacional para a População em Situação de Rua.
Universidade do Vale do Rio dos Sinos
Andressa Sager Jorge
Carolinne Caneppelle
Daniela Senger
Nádia Martins Flores da Silva
Paula Tamires da Silva
Simone Weber

Disciplina: Saúde na América Latina
São Leopoldo, 2014
Full transcript