Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Mídia Eletrônica - Linguagem cinematográfica

No description
by

Clara Teixeira

on 17 September 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Mídia Eletrônica - Linguagem cinematográfica

Linguagem cinematográfica
Profa. Clara Teixeira
"Argumento é o percurso da ação, resumo contendo as principais indicações da história, localização, personagens. É a defesa do desenrolar da história."

Jorge Machado (org.)
Vocabulário do Roteirista
"Roteiro: Texto que desenvolve um argumento e que indica como deve realizar-se qualquer tipo de obra audiovisual."

Diccionário del Guión Audiovisual
É uma importante ferramenta para visualização de roteiros. Ela foi desenvolvida para filmes de animação mas teve sua utilização expandida para todo o tipo de produção audiovisual.
Planos
O plano cinematográfico diz respeito à proporção que os personagens (objetos ou pessoas) são enquadrados. O tipo de plano escolhido pode influenciar os espectadores e/ou ressaltar emoções do vídeo.
Grande Plano Geral (GPG)
Acontece quando a área do quadro é preenchida pelo ambiente.

Uso:
Quando o ambiente é o elemento primordial.
Quando o sujeito é um elemento dominado pela situação geográfica.
Quando a localização geográfica é importante.
Quando o personagem está envolvido, ou pressionado pelo ambiente.
Pode enfatizar a dominação do ambiente sobre o homem ou, simbolicamente, a solidão.
Plano Geral (PG)
O plano geral apresenta um ângulo de visão menor que o GPG.

Uso:
Para mostrar a posição dos personagens em cena.
Para localizar o espaço da ação.
Plano Conjunto (PC)
O plano conjunto apresenta um grupo pessoas no cenário.

Uso:
Para apresentar personagens.
Quando é necessário reconhecer os atores e a sua movimentação em cena.
Plano Inteiro (PI)
Acontece quando apresenta um personagem de corpo inteiro

Uso:
Apresentação de personagem
Destaque de um personagem perante os outros
Plano Americano (PA)
Acontece quando o personagem é enquadrado dos joelhos para cima.

Uso:
Quando a ação e o sujeito devem ser privilegiados.
Quando o espectador precisa ter uma melhor percepeção dos detalhes como posição de mãos e cabeça.
Plano Médio (PM)
Acontece quando o personagem é enquadrado da cintura para cima.

Uso:
Quando o sujeito deve ser privilegiado.
Quando o espectador precisa se sentir próximo ao personagem.
Primeiro Plano (PP) ou Close-up
Acontece quando o personagem é mostrado das axilas para cima.

Uso:
Quando é preciso destacar semblante e fisionomia do ator.
Quando o diretor quer registrar a emoção pelas expressões faciais.
Quando o sujeito precisa ser isolado do ambiente.
Quando a atenção do espectador precisar ser direcionada.
Super Close
Acontece quando a aproximação é ainda maior que no Close.

Uso:
Quando deseja gerar impacto e aproximação.
Quando o espaço de contexto é completamente esquecido e o intuito é ressaltar mais uma vez expressões.
Quando a cena for extremamente intimista e dramática.
Plano Detalhe (PD)
Acontece quando uma parte do corpo do personagem é isolada ou quando um objeto específico é enquadrado em destaque.

Uso:
Quando um detalhe precisa ser indicado
Quando o diretor quiser causar impacto pela aproximação
Tipos de Planos
Quanto à duração
Dura menos de um segundo, correspondendo quase a um piscar de olhos.
Plano relâmpago
É um plano tão longo que corresponde a uma sequência inteira do filme.
Plano sequência


Em vários artigos escritos para a revista Cahiers du Cinéma a partir de 1951, Bazin defendeu a ideia de que o plano-sequência e a profundidade de campo seriam os grandes instrumentos do realismo cinematográfico, evitando a fragmentação do real que ocorreria através da montagem e respeitando a realidade e a liberdade do espectador.
Quanto ao ângulo
Quanto ao movimento
Panorâmica (PAN)
Travelling (TRAV)
Zoom
Plongê
Contra-plongê
Teoria de André Bazin
Posições de câmera
(do francês plongée, "mergulhado")
Acontece quando o objeto é filmado de cima para baixo.

Uso:
Quando o objeto ou o personagem deve ser visto de um ângulo superior.
Quando o personagem se sentir diminuido ou impotente para reagir.
A câmera é colocada abaixo do objeto

Uso:
Quando o espectador precise ver a cena de baixo para cima
Esta posição torna personagem ou cenário mais imponente.
Pode ser usado para destacar o ponto de vista de algum personagem.
Indicações para movimento de câmera
É o plano em que a câmera, sem se deslocar, gira sobre seu próprio eixo, horizontal ou verticalmente.
Uso:

Devem ser usadas para descrever um ambiente.
Para acompanhar o movimento de um personagem ou veículo
Para estabelecer a relação geográfica entre dois personagens ou objetos
Para mostrar a visão de um personagem
Também conhecida como TILT
É o plano em que a câmara se desloca, horizontal ou verticalmente, movimentando-se. Para isso é utilizado algum tipo de veículo (carrinho), sobre rodas ou sobre trilhos, ou câmara na mão ou ainda algum tipo de estabilizador.
Uso:
Assim como a panorâmica, o travelling pode ser usado para descrever o ambiente, para acompanhar o movimento de um personagem, veículo ou objeto ou para estabelece a relação espacial entre dois personagens ou objetos.
Entretanto o travelling pode ser usado ainda para aproximação, afastamento ou de contorno. Objetivos que não podem ser atingidos por um movimento de panorâmica.
Movimento de lente que aproxima ou distancia o objeto, alterando também a profundidade de campo (distancia aparente entre o fundo e o objeto). Pode ser In ou Out.
Uso:
Para aproximar o expectador do personagem.
Para revelar algum detalhe ou objeto.
Steady cam
Grua
Câmera subjetiva
Outros termos técnicos
Equipamento para ser acoplado ao corpo do operador de câmera, com grande estabilidade de imagem através de um sistema de molas e contra-pesos.

Uso:
Quando necessita-se de liberdade de movimentos com estabilidade
Equipamento que funciona como um guindaste, através de contrapesos que compensam o peso do equipamento de gravação.

Uso:
Quando necessita-se de elevar a câmera até grandes alturas
Quando o diretor quer causar um grande impacto com um sobrevôo através do cenário e por cima dos atores.
Camera na mão
Movimentos executados pelo operador de uma câmera ao conduzí-la diretamente com a mão, sem utilização de tripé ou outro artifício para estabilizar a câmera.

Uso:
Para causar um efeito de subjetividade
Para aumentar a participação do público com o filme
Para criar um clima de tensão
Chicote
Panorâmica muito rápida onde não se distingüe a cena quando a câmera está em movimento.

Uso:
Quando o diretor precisa mudar de um assunto para outro criando uma transição bem dinâmica entre cenas.
O chicote pode ser utilizado como plano de ligação entre cenas de briga, perseguições ou em situações onde existe a preocupação da passagem do tempo, pois sugere que tudo está acontecendo muito rápido.
Foco/desfoco
Uma imagem está em foco quando aparece em sua completa nitidez, com seus contornos bem definidos. Sendo assim, ela está em desfoco quando não pode ser vista com nitidez.

Uso:
A alternância entre foco e desfoco pode ser usada para contar uma ideia de confusão mental ou uso de drogas.
O desfoco pode ser usado para ocultar ou sugerir algum objeto ou alguma ação ao espectador.
É a câmera que simula o olhar de um personagem.

Uso:
Em casos onde deve ser evidenciada uma subjetividade na cena.
Quando deseja-se uma maior participação do que acontece na ação.
Para evidenciar este ponto de vista.
Full transcript