Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Reencarnação - Planejamento reencarnatório e União da alma ao corpo

Estudo do ESDE - Tomo I - Módulo VI - Roteiros 3 e 4. Realizado na CEE (Comunidade Espírita Esperança)
by

Adão Salles

on 16 June 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Reencarnação - Planejamento reencarnatório e União da alma ao corpo

Planejamento Reencarnatório
união da alma ao corpo
Os Espíritos sabem a época em que reencarnarão?
Planejamento
Todos os Espírtos se preocupam com a sua reencarnação?
O Espírito pode prolongar indefinidamente o estado em que se encontra e assim não querer reencarnar?
O Espírito pode escolher o corpo em que deve encarnar ou somente o gênero de vida?
No estado errante, e antes de começar nova existência corpórea, o Espírito tem consciência e previsão das coisas que lhe vão acontecer durante a vida?
Planejamento
Todas as tribulações que experimentamos na vida foram previstas e escolhidas por nós?
Como pode o Espírito que, em sua origem, é simples e ignorante escolher uma existência com conhecimento de causa e ser responsável por essa escolha?
Centro de Planejamento
de Reencarnações da
Colônia Nosso Lar
Pavilhão de Desenhos
Projeto de reencarnação de Silvério
Projeto de reencarnação de Anacleta
Outro projeto
de reencarnação
Missionários da luz - Cap. 12
André Luiz
Em que momento a alma se une ao corpo?
A união começa na concepção, mas só se completa no momento do nascimento. Desde o instante da concepção, o Espírito se liga ao corpo por um laço fluídico até o instante em que a criança vê a luz. (LE - 344)
Este laço se estreita cada vez mais, à medida que o corpo se vai desenvolvendo. Desde esse momento, o Espírito sente uma perturbação que cresce sempre; ao aproximar-se do nascimento, o Espírito perde a consciência de si. A partir do momento em que a criança começa a respirar; a união é então completa e definitiva. (O que é Espiritismo)
Sob a influência do princípio vito-material do gérmen, o perispírito se une, molécula a molécula, ao corpo em formação. (A Gênese - item 18)
A plena integração do espírito encarnante nos elementos físicos, ocorre aos 07 anos (Missionários da luz)
União da alma ao corpo
Milhares de reencarnações se dão apenas pelo magnetismo, sem interferência de orientadores. Basta o magnetismo (atração) dos pais aliados ao forte desejo do espírito.
(Entre o Céu e a Terra)
Existem natimortos que nunca tiveram um espírito designado. (LE - 356)
União da alma ao corpo
União da alma ao corpo
União da alma ao corpo
Toda criança que sobrevive ao nascimento necessariamente tem um espírito ligado ao corpo. (LE - 357)
André Luiz e seu instrutor Alexandre chegam à casa de Adelino-Raquel. Herculano, que trouxe Segismundo, para a aproximação com o casal, esperava-os na entrada da casa.
Alexandre, André Luiz e Herculano se aproximam de Segismundo, o qual se encontrava visivelmente abatido. O casal Adelino-Raquel tomava a refeição da tarde com seu filho primogênito.
reencarnação de segismundo
Alexandre, André Luiz e Herculano se aproximam da mesa e percebem que Adelino está aflito e de pouca conversa com a esposa. O pensamento envenenado dele destruía a substância da hereditariedade.
Alexandre aproxima-se e dá um passe no pequeno Joãozinho para desperta-lhe o interesse sobre a conversa dos pais, para que, com suas perguntas pueris, consiga desfazer o mal-estar, melhorar a atitude de Adelino e o clima de relacionamento do casal.
Profundamente, comovido com a atitude interessada do filho e o diálogo amoroso da esposa, Adelino despede-se com uma delicadeza não habitual e promete voltar, à noite, mais cedo para orar juntos ao deitar.
Antes de dormir, conforme prometido, o casal segue, com grande atenção, a oração proferida, com emotividade infantil, pelo pequenino João. O clima de preparação para aproximação de Segismundo com Adelino melhora .
Adormecidos, Raquel e Adelino abandonam seus corpos físicos. Raquel vai ao encontro de sua avó materna, enquanto Adelino vagueava no quarto angustiado e espantadiço.
Adelino se apavora ao ver Segismundo. Alexandre interfere lançando raios magnéticos tranqüilizadores sobre ele e, em seguida, convence Adelino de que Segismundo não lhe deseja mais nenhum mal e que está em busca de seu perdão e acolhimento paternal.
Comovido com as explicações de Alexandre, Adelino aceita o pedido de perdão de Segismundo, seu algoz em vida pretérita, dissipando, nesse momento, as pesadas nuvens de ódio que enodoava seu perispírito e escondia sua condição de espírito elevado e nobre.
Satisfeitos com o trabalho da noite, Herculano e Alexandre (frente) e André Luiz e Segismundo (atrás) deixam a casa de Adelino-Raquel, para retornar na semana seguinte para iniciar os trabalhos da reencarnação (união da alma).
André Luiz e Alexandre chegam à casa de Adelino-Raquel na véspera da ligação do espírito Segismundo com a matéria orgânica. Lá encontraram Herculano e Segismundo, em companhia de Espíritos Construtores, que iam cooperar na sua formação fetal.
O ambiente familiar continuava cercado de afeição. Alexandre examina os mapas cromossômicos planejados de Adelino, com a assistência de Espíritos Construtores.
Ante a iminência da reencarnação, Segismundo torna-se extenuado e abatido. Sentia-se fraco e incapacitado e receava a idéia de novos fracassos no retorno à carne. Com o incentivo dos amigos, ele se sentia mais confortado, principalmente ante a promessa deles de que a colaboração continuaria mesmo após encarnado.
Antes de iniciar o processo de reencarnação, Segismundo, de olhar triste e vagueante, aguardava aflito, em uma pequena câmara de repouso, em seu futuro lar, o momento crucial de sua redução perispiritual.
O Espíritos Construtores iniciam o processo de magnetização do corpo perispiritual de Segismundo. Durante esse processo, a medida em que sua forma perispiritual era reduzida, ele ia perdendo a lucidez e parecia cada vez menos consciente.
Alexandre deposita Segismundo nos braços daquela que fora, quando encarnada, a avó materna de Raquel para que ela seja a portadora da entrega de Segismundo à sua neta.
Ante uma assembléia de espíritos, Alexandre anuncia o momento sublime de entrega de Segismundo à sua futura mãe, sob o olhar vigilante de Adelino. O aposento conjugal estava cheio de flores de luz com o propósito de adornar os caminhos do recomeço de Segismundo.
Após a prece de Adelino e sob os influxos de energias sublimes de Espíritos superiores, Raquel recebe o espírito de Segismundo dos braços de sua avó materna.
Adelino se aproxima da esposa e lhe abraça ternamente. Segismundo, em sua “forma infantil”, ligava-se fortemente à Raquel, tornando-se alma de sua alma e, logo, seria carne de sua carne.
Naquela noite, após a união genésica de Adelino e Raquel, Alexandre analisa a corrida dos espermatozóides em direção ao óvulo e, após verificar as disposições cromossômicas dos milhões de espermatozóides, Alexandre, com seu potencial magnético, sintoniza aquele mais apto para a organização do corpo planejado de Segismundo.
O espermatozóide magnetizado, ao dispor de energia adicional sobre os demais, chega primeiro ao alvo, rompe a cutícula e penetra no óvulo, gastando pouco mais de quatro minutos para alcançar seu núcleo.
Sob o influxo magnético dos Construtores Espirituais, a forma reduzida de Segismundo é ajustada ao útero materno, terminando, assim, a operação inicial de ligação do processo reencarnatório.
Eles a pressentem, como o cego sente o fogo de que se aproxima. (LE - 330)
Há os que não pensam nela de modo algum, que nem mesmo a compreendem. (LE - 331)
Indefinidamente, não. Cedo ou tarde, ele sente a necessidade de progredir (LE - 333)
Pode também escolher o corpo, pois as imperfeições deste representam provas que o auxiliarão a progredir. (LE - 335)
Ele próprio escolhe o gênero de provas que deseja sofrer. (LE - 258)
Todas não é bem o termo (...) Escolhestes apenas o gênero das provações; os detalhes são consequência da posição em que vos achais e das próprias ações. (LE - 259)
Deus lhe supre a inexperiência, traçando-lhe o caminho que deve seguir, como fazes com uma criança, desde o berço. (LE - 262)
Full transcript