Prezi

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in the manual

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Demanda, Oferta e Equilíbrio de Mercado (Parte 1).

Prof. Mario Bastos
by Andressa Raveli on 22 November 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Demanda, Oferta e Equilíbrio de Mercado (Parte 1).

Demanda, Oferta e Equilíbrio de Mercado (Parte 1).
Prof. Mario Bastos Introdução A evolução do estudo da teoria microeconômica teve início basicamente como análise de demanda de bens e serviços, cujos fundamentos estão alicerçados no conceito subjetivo de utilidade. A utilidade representa o grau de satisfação que os consumidores atribuem aos bens e serviços que podem adquirir no mercado. A teoria do valor-utilidade contrapõe-se a chamada teoria do valor-trabalho, desenvolvida pelos economistas clássicos (Malthus, Adam Smith, Ricardo e Marx). A teoria do valor-utilidade pressupõe que o valor de um bem se forma por sua demanda , isto é, pela satisfação que o bem representa para o consumidor. Ela é portanto, subjetiva e considera que o valor nasce da relação do homem com os objetos. Representa a chamada visão utilitarista em que prepondera a soberania do consumidor, pilar do capitalismo. A teoria do valor-trabalho considera que o valor de um bem se forma do lado da oferta, por meio dos custos do trabalho incorporados ao bem. Os custos de produção eram representados basicamente pelo fator mão de obra, em que a terra era praticamente gratuita e o capital pouco significativo. Pela teoria do valor-trabalho, o valor do bem surge da relação social entre homens, dependendo do tempo produtivo que eles incorporam na produção de mercadorias. Nesse sentido, a teoria valor-trabalho é objetiva. A teoria do valor-utilidade veio complementar a teoria do valor-trabalho, pois não era mais possível predizer o comportamento dos preços dos bens apenas com base nos custos da mão de obra(ou mesmo custos em geral) sem considerar o lado da demanda (padrão de gostos, hábitos, renda, e outros, dos consumidores). A teoria do valor-utilidade permitiu distinguir o valor de uso do valor de troca de um bem. O valor de uso é a utilidade que ele representa para o consumidor. O valor de troca se forma pelo preço no mercado, pelo encontro da oferta e da demanda do bem. Utilidade total e utilidade marginal Tem-se que a utilidade total tende a aumentar quanto maior a quantidade consumida do bem ou serviço. Entretanto a utilidade marginal, que é a satisfação adicional obtida pelo consumo de mais de uma unidade do bem, é decrescente, porque o consumidor vai perdendo a capacidade de percepção da utilidade proporcionada por mais uma unidade do bem, chegando a saturação. Demanda de mercado Conceito- A demanda ou procura pode ser definida como a quantidade de certo bem ou serviço que os consumidores desejam adquirir em determinado período de tempo. Relação entre quantidade procurada e preço do bem: Lei Geral da demanda. Há uma relação inversamente proporcional entre a quantidade procurada e o preço do bem, chamada lei da demanda. Essa relação quantidade procurada/preço do bem pode ser representada por uma escala de procura(tabela 3.1), curva de procura ou função demanda. A curva de procura inclina-se de cima para baixo, no sentido da esquerda para a direita, refletindo o fato de que a quantidade procurada de determinado produto varia inversamente com relação a seu preço. Lei Geral da demanda. Matematicamente, a relação entre a quantidade demandada e o preço de um bem ou serviço pode ser expressa pela chamada função demanda ou equação demanda.
Qd=f(P)
Qd= Quantidade procurada de determinado bem ou serviço num período de tempo.
P= Preço do bem ou serviço. A expressão Qd=f(P) significa que a quantidade demandada Qd é uma função f do preço P, isto é, depende do preço P. A curva e demanda é negativamente inclinada devido ao efeito conjunto de dois fatores: o efeito substituição e o efeito renda. Se o preço de um bem aumenta , a queda da quantidade demandada será provocada por esses dois efeitos somados. Efeito substituição: se um bem X possui um bem substituto Y, ou seja, outro bem similar que satisfaça a mesma necessidade, quando o preço do bem X aumenta, o consumidor passa a adquirir o bem substituto, reduzindo assim a demanda do bem X. Ex. (caixa de fósforos x isqueiro). Efeito renda: quando aumenta o preço de um bem X, tudo o mais constante(renda do consumidor e preços de outros bens estando constantes), o consumidor perde poder aquisitivo, e a demanda por esse produto diminui. Assim, embora seu salário monetário não tenha sofrido nenhuma alteração, seu salário “real”, em termos de poder de compra foi corroído. Outras variáveis que afetam a demanda de um bem. Efetivamente, a procura de uma mercadoria não é influenciada apenas pelo seu preço. Existe uma série de outras variáveis que afetam a procura. Para a maioria os produtos, a procura será também afetada pela renda dos consumidores, pelo preço dos bens substituídos, pelo preço dos bens complementares e pelas preferências ou hábitos dos consumidores. Se a renda dos consumidores aumenta e a demanda do produto também, temos um bem normal. Existe também uma classe de bens que são chamados bens inferiores, cuja demanda varia em sentido inverso às variações da renda ; por exemplo, se o consumidor ficar mais rico, diminuirá o consumo de carne de segunda e aumentará o consumo da carne de primeira. A demanda de um bem ou serviço também pode ser influenciada pelos preços de outros bens e serviços. Quando há uma relação direta entre o preço de um bem e quantidade de outro, eles são chamados de bens substitutos ou concorrentes . Por exemplo, um aumento no preço da carne deve elevar a demanda de peixe, tudo o mais constante. Quando há uma relação inversa entre o preço de um bem e a demanda de outro, eles são chamados de bens complementares(ex. automóveis x gasolina). A demanda de um bem ou serviço também sofre a influência dos hábitos e preferências dos consumidores. Os gastos em publicidade e propaganda objetivam justamente aumentar a procura de bens e serviços influenciando preferências e hábitos. Resumindo as principais variáveis que afetam a demanda de determinado bem ou serviço : Demanda do bem X= f(preço de X, preços dos bens substitutos do bem X, preço dos bens complementares ao bem X, renda dos consumidores, preferências dos consumidores) Distinção entre demanda e quantidade de demandada. Demanda entende-se toda a escala ou curva que relaciona os possíveis preços a determinadas quantidades. Por quantidade demandada devemos compreender um ponto específico da curva relacionando um preço a uma quantidade. ( Fig. 3.2) (Fig. 3.3) Dessa forma, movimentos da quantidade demandada ocorrem ao longo da própria curva, devido a mudança do preço do bem. Quando a curva de procura se desloca(em virtude de variações da renda ou de outras variáveis, que não o preço do bem)temos uma mudança na demanda (e não na quantidade demandada) Oferta de mercado Conceituar oferta como várias quantidades que os produtores desejam oferecer ao mercado em determinado período de tempo. Da mesma maneira que a demanda, a oferta depende de vários fatores; dentre eles, de seu próprio preço, do preço(custo)dos fatores de produção e de metas ou objetivos dos empresários. Diferentemente da função demanda, a função oferta mostra uma correlação direta entre quantidade ofertada e nível de preços, chamada lei geral da oferta. (Fig. 3.4) Matematicamente, a função ou equação da oferta é dada pela expressão:
Qo=f(P) , em que
Qo= quantidade ofertada de um bem ou serviço, num período;
P= preço do serviço do bem.
A relação direta entre a quantidade ofertada de um bem e o preço desse bem deve-se ao fato de que, um aumento do preço de mercado estimula as empresas a elevar a produção; novas empresas serão atraídas, aumentando a quantidade ofertada do produto. Além do preço do bem, a oferta de um bem ou serviço é afetada pelos custos dos fatores de produção(matérias-primas, salários, preço da terra), por alterações tecnológicas e pelo aumento do número de empresas no mercado A relação entre a oferta e o custo dos fatores de produção seja inversamente proporcional. Por ex. um aumento dos salários ou do custo das matérias-primas deve provocar, uma retração da oferta do produto. A relação entre a oferta e nível de conhecimento tecnológico é diretamente proporcional, dado que melhorias tecnológicas promovem melhorias da produtividade no uso dos fatores de produção e, portanto, aumento da oferta. Da mesma forma, há uma relação direta entre a oferta de um bem ou serviço e o número de empresas ofertantes do produto no setor. Resumindo:
Oferta do bem X=f (preço de X, custos dos fatores de produção, nível de conhecimento tecnológico, número de empresas no mercado) Oferta e quantidade ofertada A oferta refere-se à escala(ou toda a curva), enquanto a quantidade ofertada diz respeito a um ponto específico da curva de oferta. Assim, um aumento no preço do bem provoca um aumento da quantidade ofertada(movimento ao longo da curva, Fig. 3.5) enquanto uma alteração nas outras variáveis(como nos custos de produção ou no nível tecnológico) desloca a oferta(isto é, curva de oferta)
Por ex. um aumento no custo das matérias primas provoca uma queda na oferta, mantido o mesmo preço, as empresas são obrigadas a diminuir a produção. Equilíbrio de mercado A lei da oferta e da procura: tendência ao equilíbrio.
A interação das curvas de demanda e de oferta determina o preço e a quantidade de equilíbrio de um bem ou serviço em um dado mercado(Tab. 3.3),(Fig. 3.6).
Na intersecção das curvas de oferta e demanda, teremos o preço e a quantidade de equilíbrio, isto é, o preço e a quantidade que atendem às aspirações dos consumidores e dos produtores simultanemente. A lei da oferta e da procura: tendência ao equilíbrio. Se a quantidade ofertada se encontrar abaixo de equilíbrio, teremos uma situação de escassez do produto. Haverá uma competição entre os consumidores, pois as quantidades procuradas serão maiores que as ofertadas. Analogamente, se a quantidade ofertada se encontrar acima do ponto de equilíbrio E, haverá um excesso ou excedente de produção, um acúmulo de estoques não programado do produto, o que provocará uma competição entre os produtores, conduzindo a uma redução dos preços, até que atinja o ponto de equilíbrio E. Deslocamento das curvas de demanda e oferta. Existem fatores que podem provocar deslocamento das curvas de oferta e demanda, com evidentes mudanças do ponto de equilíbrio (Fig.3.7). Se por hipótese, os consumidores obtêm aumento de renda real (aumento de poder aquisitivo)a demanda do bem X, aos mesmos preços anteriores, será maior. Isso significa um deslocamento da curva de demanda para a direita. Assim, ao preço teremos inicialmente um excesso de demanda, que provocará um aumento de preços até que o excesso de demanda acabe. Um deslocamento da curva de oferta afetará a quantidade de mercado e o preço de equilíbrio. Suponha, para exemplificar, que haja uma diminuição dos preços das matérias-primas usadas na produção do bem X. Consequentemente, curva de oferta do bem X se deslocará para a direita, e, por raciocínio análogo ao anterior, o preço de equilíbrio se tornará menor e a quantidade maior.
See the full transcript