Prezi

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in the manual

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Cinésica - comunicação não verbal

No description
by Guilherme Arruda on 14 September 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Cinésica - comunicação não verbal

CINÉSICA
Inclui todas as formas de comunicação que não envolvam as palavras expressas (SANTAELLA, 1987). Ela envolve todos os órgãos do sentido e ocorre na interação pessoa-pessoa mesmo que não haja verbalização de palavra alguma (HALL, 1986). Comunicação não verbal De modo especial, a comunicação não-verbal qualifica a interação humana, imprimindo sentimentos, emoções, qualidades e um contexto que permite ao indivíduo não somente perceber e compreender o que significam as palavras, mas também compreender os sentimentos do interlocutor (RAMOS e BORTAGARAI, 2011). Mesmo o silêncio é significativo e pode transmitir inúmeras mensagens em determinado contexto (ARAÚJO, SILVA e PUGGINA, 2007).

A linguagem não verbal reflete com alto grau de acurácia pensamentos e sentimentos não pronunciados verbalmente, além de sentimentos e desejos inconscientes. Nos anos 70, o estudo prolongado de filmes levou Ray Birdwhistell, o pioneiro na tentativa de compreensão da linguagem do corpo (cinésica), considerando sua contextualização em seu meio social e cultural (SILVA, 2002).
Conclui que grande parte da comunicação humana se passa num nível abaixo da consciência, nível em que a relevância das palavras é apenas indireta. Acredita que somente uns 35% do significado social de qualquer conversa corresponde as palavras pronunciadas (DAVIS, 1979). Cinésica O dicionário Houaiss, define cinésica como “parte da semiótica que estuda os movimentos e processos corporais que formam um código de comunicação extralingüística, entre os quais o enrubescimento facial, o menear de ombros, os movimentos de olhos etc.”. Em outras palavras, cinésica é o estudo da linguagem corporal. Nenhum movimento ou expressão corporal é destituído de significado no contexto em que se apresenta;
A postura e os movimentos corporais são culturalmente determinados;
A atividade corporal visível, assim como a atividade fonética audível, influencia o comportamento dos outros membros de um grupo;
As atividades corporais visíveis encerram significados socialmente reconhecidos e válidos. Pressupostos da Cinésica Esses pressupostos nos fazem entender que “sabemos” o que o outro pode estar querendo dizer com seus gestos, suas posturas corporais e seus movimentos, assim como sabemos que determinados ambientes sociais esperam um comportamento específico dos envolvidos. Principais estudiosos Paul Ekman
Expressões Universais Ernest Haggar e Kenneth Isaacs
Microexpressões Eckhard Hess
Pupilometria David Efron
Estilos Gestuais Kendom
Movimento corporal e discurso Ray Birdwhistell Edmilson de Oliveira
Guilherme Oliveira de Arruda
Marília A. Ferreira Papa
Palmiane R. R. Borges Estudo realizado por SILVA (1989) investigou a percepção das enfermeiras a respeito da comunicação, na interação com os pacientes e a percepção sobre a comunicação não verbal dos mesmos. Observou-se que a percepção das enfermeiras, a respeito da comunicação na interação com os pacientes, é voltada para a comunicação verbal. Estudos mostram... Notou-se ainda que a comunicação é entendida principalmente de forma verbal, pois usaram no seu discurso os seguintes termos para explicá-la: “falar mais”, “conversa”, “linguagem”, “perguntas”, “contar”, que direcionam o seu entendimento para o tipo de comunicação verbal (SILVA, 1989). O número de sinais não verbais percebidos por elas atingiu a média de 2,5 sinais por consulta de enfermagem em relação à média de 43 sinais não verbais por consulta, percebidos pela pesquisadora (SILVA, 1989). Fatores externos ou socioculturais;
Fatores psicológicos e hábitos.
Por exemplo:
Pessoas de países diferentes provavelmente irão interpretar gestos e sinais de forma diferente, já que estes ganham significado dentro de um determinado contexto cultural e social. Há alguns fatores importantes para a compreensão da Cinésica:

Ao ficar em pé, mantenha os pés apoiados de forma que o peso do corpo seja distribuído de forma equivalente. Os joelhos nunca devem estar totalmente travados, mas levemente flexionados.

Sente de forma ereta, mas relaxada (sem escorregar ou parecer desleixado).Tente manter os pés inteiramente apoiados ao chão, as costas completamente apoiadas no encosto da cadeira e joelhos em ângulo de 90°. •ADLER, Ronald B.; TOWNE, Neil. Comunicação interpessoal. 9. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2002.
•ALONSO, R. Aparência importa? Sim. 2012. http://www.ritaalonso.com.br/?cat=26.
•ARAÚJO, M.M.T, SILVA, M.J.P, PUGGINA, A.C.G. A comunicação não-verbal enquanto fator iatrogênico. Rev. Esc. Enferm. USP. v.41, n.3, p.419-425, 2007.
•DAVIS, F. A comunicação não-verbal. São Paulo: Summus, 1979.
•HALL, E. T. A dimensão oculta. Lisboa: Relógio D'água, 1986.
•MAYER, V. F., MARIANO, S. R. H.. Linguagem corporale não-verbal, 2007. Disponível em: http://www.scribd.com/doc/13460326/Aula-5-Linguagem-corporal-e-nao-verbal
•PEASE, Al.PEASE, B. Desvendando os segredos da linguagem corporal. Rio de Janeiro: Sextante, 2005.
•SANTAELLA, L. O que é semiótica. São Paulo: Brasiliense, 1987.
•SILVA, M. J. P. A percepção das enfermeiras sobre a comunicação não verbal dos pacientes. São Paulo, 1989. p.113. Dissertação (Mestrado) - Escola de Enfermagem, Universidade de São Paulo.
•SILVA, M.J.P. Comunicação tem remédio: a comunicação nas relações interpessoais em saúde. 3 ed. São Paulo: Loyola; 2002. Referências
Se for capaz de observar e interpretar parte desses sinais, você terá maior chance de saber o que os outros sentem e pensam, além de ter a chance de conhecer-se melhor (MAYER; MARIANO, 2007). Lições para uma vida toda… Não tenha medo de ocupar o seu espaço.
Por exemplo, sentar-se de forma confortável é um sinal de autoconfiança. Relaxe seus ombros. Ombros travados e levantados expressam tensão e nervosismo.
Não fique tocando o rosto ou o cabelo.
Use as mãos para descrever as situações.
Use a técnica do espelho: Realize movimento que a pessoa está realizando.
Acene com a cabeça. Acenar de vez em quando é um sinal de que você está ouvindo com atenção.

Incline-se em direção a pessoa.

Sorria naturalmente.

Mantenha a cabeça erguida. Não cruze braços e pernas. Isto pode ser interpretado como uma posição defensiva ou de cautela.

Mantenha contato visual, mas não encare. Não fazer contato visual pode ser um sinal de insegurança. Se você está falando com várias pessoas, procure ter contato visual com todas elas para criar um bom vínculo. No entanto, contato visual em excesso pode causar desconforto na outra pessoa. Demonstre naturalidade e autoconfiança! A respiração é mais rápida – pequenas e rápidas golfadas de ar, alternadas com suspiros longos e profundos.

A aparência geral da pessoa é diferente de alguma forma, por exemplo: aparecimento de áreas vermelhas na face ou no pescoço

A transpiração aumenta.

Pode haver mudança brusca de humor.

A pessoa usa humor ou sarcasmo para mascarar o assunto incômodo. Mentira A pessoa evita o contato visual, ou faz muitos movimentos rápidos com os olhos (piscar com maior freqüência ou piscar muito rapidamente).

Geralmente mãos ou dedos estão na frente da boca, ou a pessoa coça o nariz quando fala.

O corpo inclina-se para trás, ou há movimentos corporais incomuns; corpo tende a se retrair ao contar uma mentira, encolhendo braços, pernas –ocupando “pouco espaço”. Mentira Suor frio

Palidez

Boca seca (pessoa molha os lábios constantemente ou tosse, limpando a garganta)

Falta de contato visual

Olhos úmidos

Lábios trêmulos Medo, ansiedade, nervosismo Os gestos são curtos (tímidos), mãos e braços próximos ao corpo.

Expressões faciais são mínimas.

O corpo mantém-se distante da outra pessoa.

Braços estão cruzados na frente do corpo.

Os olhos evitam contato, a cabeça está baixa. Atitude defensiva
A pessoa tenta ganhar mais tempo na elaboração de uma resposta, por exemplo, pedindo que o interlocutor repita a pergunta feita.

As pupilas de quem está mentindo podem dilatar.

A pessoa sorri menos que o habitual

Há mudanças na voz, alterações no tom, gaguejos, travas no diálogo com o uso excessivo de pausas e comentários como “hmmm”, “hã” ou “você sabe”; limpeza da garganta ou engolir em seco. Mentira Variações na velocidade da fala

Erros na fala

Tremor na voz

Alta pulsação (visível por tremor nas veias do pescoço ou nos membros)

Tensão muscular

Respiração profunda ou entrecortada Medo, ansiedade, nervosismo Pescoço e/ou face vermelho ou corado.

Mostrar e ranger os dentes.

Mãos cerradas.

Inclinar-se para frente ou invadir o espaço corporal do interlocutor.

Gestos agressivo. Raiva Os olhos desviam-se por um momento, mas o contato visual firme é retomado na hora da resposta.

O dedo acaricia o queixo.

A cabeça inclina-se, com os olhos fixando o alto. Reflexão Dois segundos. O tempo que você leva para dizer bom-dia a um headhunter é exatamente o tempo de que ele precisa para formar a primeira impressão sobre você.
Os dados são de uma pesquisa da Universidade Harvard .
Sua aparência é tão importante quanto a sua formação e experiência profissional.
Se o visual não agradar, pode dizer adeus àquele cargo que você tanto deseja. Porque ele jamais será seu (ALONSO, 2012). Aparência Desviar os olhos: Desejo de evitar o contato. Virar-se diretamente para alguém sinaliza seu interesse pela pessoa........ POSTURA TENSA Tristeza: olhos Surpresa

Medo

Raiva

Felicidade

Tristeza

Emoções diferentes aparecem mais claramente em partes diferentes do rosto (ADLER; TOWNE, 2002). Expressão facial: Sentimentos que estão presentes em todas as culturas:
O quadro apresenta uma mulher com uma expressão tímida e introspectiva. Seu olhar cria uma empatia quase irresistível e nos segue pelo recinto. Dizem que seu sorriso misterioso pode mudar de acordo com o humor de quem o observa: triste, sedutor, entediado ou satisfeito (Mayer; Mariano, 2007). O sorriso misterioso da Monalisa: Expressão facial.

Movimentos do corpo e gestos (pernas, braços, mãos, cabeça e dorso).

Postura.

Contato visual.

Aparência.



A linguagem corporal inclui: Homens e mulheres usam a linguagem corporal de forma adequada ao seu papel social.

A expressão corporal é fortemente ligada ao estado psicológico do indivíduo e reflete sentimentos e interesses pessoais de forma consciente ou inconsciente.

Além disso, alguns gestos estão relacionados a hábitos pessoais. Baixar os olhos significa que a pessoa cedeu.

Em algumas ordens religiosas, por exemplo, os membros subordinados devem manter os olhos baixos quando falam com um superior.

As pupilas dos olhos também comunicam: Tornam-se maiores na proporção do seu grau de interesse por um objeto.
Dominação ou Submissão. Fitar alguém nos olhos é, em geral, um sinal de envolvimento.
Fugir do olhar : desprezo
Também pode ser interpretado como ameaça. Contato visual Desconhecimento: dar de ombros.

Desconforto: Apertar ou manipular freqüentemente alguma parte do corpo.

A ausência de gestos também pode significar algo: Tristeza; Desinteresse; Desânimo ou tédio. O CORPO FALA... .... enquanto ficar de lado sinaliza um desejo de evitar o envolvimento ou de manter a conversa POSTURA RELAXADA Movimentos do corpo, gestos e posturas: Medo: Nos olhos.

Dor: Expressa-se na região frontal e parte inferior da face.
Raiva: Manifesta-se mais na parte inferior da face, nas sobrancelhas e na testa. Felicidade e surpresa aparecem mais nos olhos e na parte inferior do rosto.
Uma pessoa é capaz de fazer e reconhecer cerca de 250 mil expressões faciais por dia (PEASE, 2005). CURIOSIDADE Exercitando a percepção... Grupo Cinésica 2012
palmirezende@hotmail.com
See the full transcript