Prezi

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in the manual

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

ECA Pontos de Vista - Fotografia e Desenvolvimento Humano

No description
by André Bueno on 6 May 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of ECA Pontos de Vista - Fotografia e Desenvolvimento Humano

(cc) photo by Metro Centric on Flickr (cc) photo by Franco Folini on Flickr (cc) photo by jimmyharris on Flickr (cc) photo by Metro Centric on Flickr Foto: ANDRÉ BUENO Foto: ANDRÉ BUENO Foto: ANDRÉ BUENO Foto: André Bueno Foto: ANDRÉ BUENO Foto: ANDRÉ BUENO Foto: ANDRÉ BUENO FOTOGRAFIA PARA O DESENVOLVIMENTO HUMANO FOTOGRAFIA E EDUCOMUNICAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO HUMANO CEDECA INTERLAGOS ONG fundada em 1999 e pertencente a Associação Nacional do Centros de Defesa da Criança e Adolescente (ANCED).

CEDECA
Centro de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente PONTO DE CULTURA Algumas ações em quanto Centro de Defesa e Ponto de Cultura
•Publicação da cartilha “Violência Domestica não é roupa suja que se lava em casa” – 2007

•Organização de Roda de Conversa de adolescentes e jovens com o Secretario de Direitos Humanos Paulo Vanuchi no Cedeca, 2009.

Comunicação no CEDECA Interlagos •Fonte de Informações para mídia em temáticas referentes à situação da criança e do adolescente

•Instrumento de comunicação para defesa, organização coletiva e mobilização popular

•Comunicação Institucional

•Departamento de Comunicação •Publicação própria da Pesquisa “Segurança Publica para qual publico?: a trajetória de adolescentes autores de ato infracional: da abordagem à delegacia”, 2006. •Participação na elaboração do Plano Municipal de Enfrentamento à violência sexual contra crianças e adolescentes – Comite
Municipal de São Paulo, 2007/2008. •Participação no 3º Congresso Mundial de Enfrentamento da Exploração Sexual, Rio de Janeiro, 2008. André Bueno UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE COMUNICAÇÕES E ARTES DEPARTAMENTO DE COMUNICAÇÕES E ARTES Trabalho apresentado junto ao Departamento de Comunicação e Artes daEscola de Comunicação e Artes da USP como requisito parcial para obtenção do título de especialista em nível de especialização em
Gestão da Comunicação: Políticas, Educação e Cultura
Orientadora Profa. Dra. Maria Cristina Castilho Costa
São Paulo
2012 "Se eu pudesse contar a história em palavras, não precisaria carregar uma câmera" Lewis Hine Pesquisa Teórica Estudos Culturais da Comunicação ( A escola Crítica de Frankfurt) Estudos sobre Linguagens Educomunicação (Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo CCA da USP (ECA/USP) Educação Popular e Terceiro Setor A Fotografia como elemento transformador da realidade e do sujeito (Filme Cidade de DEUS e Janela da Alma) A fotografia como meio de comunicação para o conhecimento 1- Entender e qualificar os efeitos dos projetos fotográficos realizados no CEDECA Interlagos (2009) e em outras instituições de Paraisópolis e Grajaú (2007-2012) quanto ao impacto sobre seu o público jovem, em suas formas de expressão, compreensão da sociedade, na construção de suas imagens de mundo e em seu desenvolvimento humano.


2- Levantar ideias de projetos que possibilite o desenvolvimento de um programa de encontros fotográficos e o início de um grupo de estudos em comunicação no CEDECA, tendo o campo da Educomunicação como referência para o desenvolvimento de uma proposta que: Pesquisa Qualitativa Público
1- Jovens participantes dos projetos de Fotográficos realizados no CEDECA Interlagos (2009) e em outras instituições de Paraisópolis e Grajaú (SP) entre 2006-2012 Objetivos (Projeto Um Olhar, Retratos Um Click para Educação e Projeto D'Olho) - Promova o desenvolvimento humano;

-Contribua para o crescimento interior do jovem e favoreça o
processo de fortalecimento de sua identidade;

-Ofereça aos participantes ferramentas para transformação e
ressignificação de suas vidas;

-Torne os jovens mais sensíveis e críticos à realidade que o cerca;

-Signifique aprimoramento cognitivo;

-Possibilite construir ou ressignificar suas imagens de mundo;

-Apresente novas alternativas para expressão ou potencialize as
já existentes, proporcionando
aos participantes novas maneiras
de se relacionar, entender e se
expressar no mundo;

-Instrumentalize e capacite para defesa, organização
coletiva e mobilização popular;

-Capacite a compreender as imagens, sobretudo as midiáticas;

-Dê voz àqueles que se mantém como público passivo, estimulando o
protagonismo jovem; Participantes dos Projetos fotográficos: 20

Participantes de outras atividades culturais, outras linguagens desenvolvidas pelo CEDECA Interlagos

Total: 31 pessoas entrevistadas
Universo da Amostra
Questionários como roteiro de entrevista semiestruturada
Desenvolvida a partir de duas perspectivas diferentes para cada grupo amostral e com dois focos distintos (CEDECA e Projetos Fotográficos).

Critério para publicação: autorização do entrevistado.

Entrevista individual
3 encontros em grupo focal


Tempo médio por entrevista 20 minutos.

Gravação em MP3

Considerar demais diálogos diálogos... Instrumentos de Pesquisa Sobre o impacto da fotografia e vivências durante os projetos fotográficos Os entrevistados apontaram de maneira quase que consensual a questão da mudança do olhar e desenvolvimento de uma visão crítica sobre o mundo como os fatores que mais aprenderam durante as oficinas fotográficas.

Aspectos como conquistar um olhar que valoriza a região onde vivem, o ganho de autoconfiança e o desenvolvimento do aprendizado técnico também foram apresentados
como fatores importantes. Dentre os 20 entrevistados, somente 1 relatou que atualmente não percebe a influência quanto a forma de ver o mundo após tempos depois de ter participado das oficinas.

Os demais afirmaram que ainda hoje notam mudanças nesse sentido ao observarem o cotidiano em geral, disseram ter passado a notar mais detalhes no dia dia-a-dia, além de perceberem que agora enquadram o mundo em cenas, em imagens, fotos, luzes e sombras. Praticamente todos os participantes (19 deles) afirmaram sentir uma influência positiva em suas formas de expressão após a participação...

Grande parte afirmaram ter passado a expressar melhor seus sentimentos, a se comunicar com outras pessoas de forma mais eficiente, a adotar a fotografia como meio de expressão artística e curiosamente, uma parte significativa dos entrevistados relatou ter uma influência sobre sua forma de expressão escrita, além da fotográfica. Há um um consenso quanto a assumir que o aprendizado vivenciado durante as atividades envolvendo fotografia foi positivo a ponto de todos os entrevistados afirmarem que aconselhariam outras pessoas a participarem da mesma experiência. Dentre os entrevistados, 8 deles sugeriram
que esse tipo de trabalho continuasse voltado
ao público adolescente, outros 8 disseram que ele deveria
ser realizado para um público sem restrição etária e os demais
apontaram a necessidade de se desenvolver um projeto com crianças.
A construção de vivências e para o desenvolvimento individual.
A possibilidade de conhecer novas pessoas e novos lugares, ser uma opção favorável para a distração e relaxamento.
Promover o desenvolvimento humano a partir do desenvolvimento de um senso crítico e do contato com
a realidade.
Amadurecimento do olhar e para a construção de um ponto de vista sobre o mundo.
Uma possibilidade para contar histórias e construir vivências a partir de imagens.
Contribuir para a formação do caráter.
Um novo meio de comunicação.
Fomentar o desenvolvimento de outras linguagens como
a escrita, por exemplo. O trabalho desenvolvido com fotografia foi interpretado pela maior parte dos participantes como um caminho para: Após terem participado das oficinas fotográficas, praticamente todos entrevistados passaram a perceber mudanças em sua maneira de ver e enquadrar o mundo.

Passaram a conseguir descrever seus olhares antes e depois da experiência com a fotografia. Algumas características associadas aos olhares
anteriores à fotografia e posteriores, classificando-os
e atribuindo-lhes sentidos apoiado em depoimento de vários
entrevistados. Assim notamos olhares de antes e depois da fotografia
segundo depoimento dos próprios entrevistados: "Fechado"
"inexistente"
"vazio"
"preconceituoso"
"quadrado"
"olhar em preto e branco"
"olhar turvo"
"uma visão sem olhar" Olhares Antes da fotografia Olhares Depois da Fotografia "Olhar panorâmico"
"questionador"
"nítido"
"olhar novo"
"criativo"
"distinto"
"colorido"
"olhar ampliado"
"crítico" Considerações Finais Foto: André Bueno Após anos de realização dos Projetos fotográficos foi possível observar que os impactos foram positivos e ainda prevalecem nos participantes após tempos de suas participações nas atividades.

Os entrevistados destacam como aprendizado mais importante e que extrapola os conhecimentos técnicos adquiridos, a questão do desenvolvimento do olhar e formação de uma visão crítica sobre o mundo.

Demonstra-se o potencial de projetos fotográficos, educativos e de comunicação que extrapolem os objetivos técnicos instrumentais e priorizem as relações humanas e estimulem o olhar sobre a sociedade. Os participantes passaram a experimentar e enquadrar seu cotidiano de modo mais lúdico, detalhado e fotográfico.

Seus olhares se ressignificaram e suas visões se expandiram em vários aspectos com relação à fotografia e à sociedade.

Foi possível verificar que os participantes, além de se comunicarem por fotos e perceberem seu cotidiano mediado por instrumentos fotográficos, passaram também a reconstruir as imagens de si próprios.

Os projetos fotográficos além de sugerir um difícil mas possível caminho profissional, estimulam o desenvolvimento de cidadãos com olhares menos ingênuos e mais conscientes de seus direitos e deveres. Espera-se com este projeto de pesquisa e proposta interventiva a seguir, contribuir para que o CEDECA Interlagos fortaleça ainda mais suas ações, despertando nesta organização um olhar mais atento para as interrelações entre comunicação e educação em favor do desenvolvimento humano, da defesa de direitos das crianças e dos adolescentes e do estimulo ao desenvolvimento de um olhar mais crítico.


ENCONTROS FOTOGRÁFICOS
Programa Formação Técnica e Diálogos Humanos :
Estabelecer parcerias com profissionais de diversas áreas (Foto, Vídeo,
Edição de Imagens, Design, Áudio, Artes Plásticas, Projetos
Sustentáveis, etc), com objetivo de desenvolver encontros para capacitação técnica baseadas em diálogos para a vida, para a sustentabilidade, para
a expressão, para a comunicação e para o mundo do trabalho;





Propostas de Intervenção Foto: André Bueno PONTOS DE VISTA
Fotografia e Desenvolvimento Humano Histórico e pré-projeto de pesquisa Mestrado André Bueno Resultados PONTOS DE VISTA
Fotografia
Documental
Desenvolvimento Humano Objetivo
- Gerar discussão sobre a fotografia documental e des. humano na atualidade e aprofundamento teórico sobre fotografia documental

- Entender / analisar A Organização das imagens documentais e uso (distribuição) para o des. humano, para a defesa de direitos...

- Discutir relações entre Pontos de Vista, Fotografia Documental e desenvolvimento Humano a partir da aproximação e ótica de fotógrafos experientes, bem como sobre os leitores (cidadãos fotografados ou simplesmente leitores tocados pelas imagens)
Definir fotógrafos : Miguel Chikaoka (Pará)
Douglas Mansour
???

" O que não é mostrado é tão ou mais importante" (Philippe Dubois)


(...) " o fotógrafo, enfim, não é capaz de um registro organizado da história; apenas consegue roubar o olhar dos que não vêem o que se passa" (...) (BUCCI, E)

"A vidência dos fotógrafos não consiste em ver, mas em estar lá" (Barthes, R)

Eu busco uma fotografia forte, intensa e mais do que bem composta, pois
sinto que a força do meu trabalho, de minhas imagens vem do " instante", dos instantes que também perduram...nem sempre em fotos. Só assim hoje acredito desenvolver o meu ponto de vista, o meu olhar e a minha fotografia
See the full transcript