Prezi

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in the manual

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

"Ilhas Afortunadas", in Mensagem, de Fernando Pessoa

No description
by Joana Silva on 11 December 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of "Ilhas Afortunadas", in Mensagem, de Fernando Pessoa

in Mensagem, de Fernando Pessoa "Ilhas Afortunadas" Estrutura tripartida da obra «Pax in Excelsis» Que voz vem no som das ondas
Que não é a voz do mar?
E a voz de alguém que nos fala,
Mas que, se escutarmos, cala,
Por ter havido escutar.

E só se, meio dormindo,
Sem saber de ouvir ouvimos
Que ela nos diz a esperança
A que, como uma criança
Dormente, a dormir sorrimos.

São ilhas afortunadas
São terras sem ter lugar,
Onde o Rei mora esperando.
Mas, se vamos despertando
Cala a voz, e há só o mar. Mensagem «Benedictus Dominus Deus Noster que dedit Nolis Signum» "O Brasão" "Mar Português" "O Encoberto" Sebastianismo Subpartes:

Os Símbolos
Os Avisos
Os Tempos Que voz vem no som das ondas
Que não é a voz do mar?
É a voz de alguém que nos fala,
Mas que, se escutarmos, cala,
Por ter havido escutar.

E só se, meio dormindo,
Sem saber de ouvir ouvimos
Que ela nos diz a esperança
A que, como uma criança
Dormente, a dormir sorrimos.

São ilhas afortunadas
São terras sem ter lugar,
Onde o Rei mora esperando.
Mas, se vamos despertando
Cala a voz, e há só o mar. "Ilhas Afortunadas" Conclusão "Ilha dos Amores" vs
"Ilhas Afortunadas" Os Lusíadas vs Mensagem Luís Camões vs Fernando Pessoa Variedade estrófica, rimática e métrica Que/ voz/ vem/ no/ som/ das/ on/das a - verso solto ou branco
Que/ não/ é/ a/ voz/ do/ mar? b
E a/ voz/ de al/guém/ que/ nos/ fa/la, c
Mas/ que/, se es/cu/tar/mos/, ca/la, c
Por/ ter/ ha/vi/do es/cu/tar/. b

E/ só/ se/, meio/ dor/min/do, a - verso solto ou branco
Sem/ sa/ber/ de ou/vir/ ou/vi/mos b
Que e/la/ nos/ diz/ a es/pe/ran/ça c
A/ que/, co/mo u/ma/ cri/an/ça c
Dor/men/te, a/ dor/mir/ sor/ri/mos. b

São/ i/lhas/ a/for/tu/na/das a - verso solto ou branco
São/ ter/ras/ sem/ ter/ lu/gar, b
On/de o/ Rei/ mo/ra es/pe/ran/do. c
Mas/, se/ va/mos/ des/per/tan/do c
Ca/la a/ voz/, e/ há/ só o/ mar. b Análise estilística do poema variedade estrófica, rimática e métrica;
linguagem/recursos estilísticos. Que voz vem no som das ondas
Que não é a voz do mar? - paradoxo
É a voz de alguém que nos fala, - metáfora
Mas que, se escutarmos, cala, - antítese
Por ter havido escutar.

E só se, meio dormindo,
Sem saber de ouvir ouvimos - antítese
Que ela nos diz a esperança
A que, como uma criança - metáfora
Dormente, a dormir sorrimos.

São ilhas afortunadas
São terras sem ter lugar,
Onde o Rei mora esperando. - metáfora alusiva
Mas, se vamos despertando
Cala a voz, e há só o mar. Linguagem / recursos estilísticos "Ilhas Afortunadas" - metáfora "O Encoberto" Quinto Império
See the full transcript