Prezi

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in the manual

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Análise Situação Clínica 2 - Base em PBL + Modelo Sunrise (Leininger)

ASE III - 3º Ano, 2º Semestre
by Filipa Aleixo on 19 June 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Análise Situação Clínica 2 - Base em PBL + Modelo Sunrise (Leininger)

República de Moçambique
Espanha
ANÁLISE DA SITUAÇÃO CLÍNICA 2
COM BASE NO MÉTODO DE APRENDIZAGEM PROBLEM BASED LEARNING
E NO MODELO TEÓRICO “SUNRISE” DE MADELEINE LEININGER

Maputo
Madrid
Portugal
Lisboa
DISCENTES:
Ana Lucília Nunes, 3338
Filipa Aleixo, 4646
Sofia Patrício, 2782
Susana Sampaio, 3773

REGENTE:
Prof.ª Amélia Valadas
DOCENTE:
Prof.ª Sónia Marques Colaço

LISBOA
JUNHO 2013


Curso de Licenciatura em Enfermagem 2010-2014
Análise de Situações em Enfermagem III
3º Ano, 2º Semestre
2012-2013

Escola Superior de Enfermagem de Lisboa
Sumário
1.
Introdução
2.
Apresentação da situação em análise:
2.1.
Situação Clínica 2 – Reformulada
3.
Teoria da Diversidade e da Universalidade do Cuidar Cultural
4.
O Modelo Teórico “Sunrise” de Madeleine Leininger
5.
Comparação entre o Modelo Teórico “Sunrise” de Madeleine Leininger e o Processo de Enfermagem
6.
Aplicação do Modelo Teórico “Sunrise” de Madeleine Leininger:
6.1.
Visão de Mundo:
6.1.1.
Genograma
6.1.2.
Identificação e Informações Gerais e Cultura
6.1.3.
Identificação dos problemas e levantamentos de hipóteses explicativas
6.1.4.
Levantamento de Conceitos relacionados com o Problema
6.1.5.
Mapa Conceptual
7.
Diagnóstico de Enfermagem
8.
Decisões e Acções do Cuidar em Enfermagem

8.
Considerações Finais
9.
Referências Bibliográficas

Introdução
O presente trabalho, solicitado no âmbito da Unidade Curricular de
Análise de Situações de Enfermagem III
, é parte integrante da avaliação final desta mesma UC, e encontra-se assente numa situação clínica hipotética, fornecida pela docente.

Este trabalho consiste na análise da situação fornecida através da reflexão da utilização do método de aprendizagem
PBL (Problem Based Learning)
, tendo como base o modelo teórico de
Madeleine Leininger
, o
Modelo "Sunrise"
, que dá ênfase à dimensão cultural.
Identificar os conceitos-chave e os problemas presentes na situação clínica apresentada;

Delinear intervenções que se adeqúem de forma individualizada e personalizada a responder a esses mesmos problemas;

Aprofundar os conhecimentos relacionados com a Teoria da Diversidade e Universalidade do Cuidar Cultural e o Modelo "Sunrise" de Madeleine Leininger;

Interligar os contributos da Teoria de Leininger e relacioná-los com a situação em causa.
Apresentação da situação clínica em análise
Situação Clínica 2
O Sr. Vasco Pereira tem 47 anos e está desempregado há um ano. Trabalhava como comercial numa empresa conceituada de venda de camiões. Com a actual crise, as vendas decresceram e a empresa foi à falência. Como tem muita experiencia profissional no ramo das vendas, é uma pessoa com um contacto muito fácil e está com vontade de ir para Moçambique, onde viveu em criança, para criar uma empresa do mesmo ramo. Fala alemão, francês e inglês e considera que o seu conhecimento nestas línguas é sempre uma boa referência. Quando a empresa faliu ficou muito deprimido e, segundo a mulher, dizia «a vida assim não vale nada e é melhor morrer». Neste momento está apenas a enviar currículos e irá durante as férias da Páscoa a Moçambique observar o mercado. Está muito entusiasmado com esta perspectiva de viagem de trabalho.
A sua mulher Paula é professora do ensino básico. Têm um filho adolescente que está no 8º ano e uma filha do primeiro casamento que estava grávida e cujo bebé nasceu hoje. A filha irá viver para a casa da mãe durante os primeiros tempos, pois reside em Madrid, embora o bebé tenha nascido em Lisboa. Foi ao centro de saúde saber qual o apoio com que poderia contar, pois a criança nasceu em Portugal e o genro é espanhol.
Na semana passada, o filho chegou a casa bêbado e consta que alguns dos seus amigos fumam charros. Quando falou com o marido este desvalorizou este episódio pois considera que faz parte do desenvolvimento, «todos os jovens bebem uns copos». Por tudo isto voltou ao centro de saúde a pedir ajuda.
Por estes motivos esta senhora não se quer afastar dos filhos, embora esteja muito preocupada com a situação do marido que pensa estar muito instável.

Apresentação da situação clínica em análise
Situação Clínica 2 - Reformulada
Têm um filho adolescente
, João Pereira, de 14 anos,
que está no 8º ano
(por ter reprovado)
e, uma filha do primeiro casamento,
Clara Santos Ortiz, de 25 anos,
que estava grávida, e cuja bebé
, chamada Mercedes,
nasceu hoje, em Lisboa,
no Hospital Professor Doutor Fernando da Fonseca, às 38 semanas e 1 dia de gestação, sem malformações aparentes.
A filha, que reside em Madrid
, ficou desempregada aos 3 meses de gestação. O seu marido, Juan Ortiz, de 28 anos de idade, é empregado de mesa num navio de cruzeiro, presentemente, o Queen Mary 2, pelo que actualmente não tem disponibilidade para permanecer em casa devido a questões relacionadas com o seu trabalho, pelo que não irá conseguir proporcionar o apoio necessário nesta fase importante da vida do casal.
Desta forma, decidiu ir
viver para a casa da mãe durante os primeiros
3 meses de vida da filha,


destacando-se o facto de manter uma boa relação com todos os elementos desta família reconstituída (mãe, padrasto e meio-irmão). A mãe demonstra-se bastante entusiasmada com a estadia da sua filha em sua casa e o nascimento da neta, contudo acrescenta que sente a filha triste pela ausência do marido, denota que está a comer menos e que esta lhe verbalizou que se sente insegura em cuidar da sua filha durante estes primeiros tempos sem o marido. Para além disso afirma que a filha receia «estar a dar demasiado trabalho, especialmente face ao momento frágil que atravessamos», por outro lado a sensação de estar de novo em Portugal também é «estranha».
Finalidade:
Auxiliar a compreensão de como os componentes da teoria influenciam o estado de saúde e o atendimento proporcionado às colectividades de uma cultura.


Modelo Teórico "Sunrise"
PORÇÃO SUPERIOR
Estrutura Social
Visão do Mundo
Contexto Ambiental
Etnohistória
PORÇÃO INFERIOR
Cuidados de Saúde
Sistemas Genéricos/Populares
Sistemas Profissionais
Cuidados de Enfermagem como ponto convergente
Apresentação da situação clínica em análise
Situação Clínica 2 - Reformulada
O Sr. Vasco Pereira
, de raça caucasiana,
tem 47 anos
e o 9º ano de escolaridade como habilitações literárias.
Está desempregado há um ano, sendo que anteriormente trabalhava como comercial numa empresa conceituada de venda de camiões. Com a actual crise, as vendas decresceram e a empresa foi à falência,
em Janeiro do ano passado.
Como tem muita experiência profissional no ramo das vendas, é uma pessoa com um contacto muito fácil e está com vontade de ir para Moçambique, onde
nasceu e
viveu em criança
até aos 8 anos
, para criar uma empresa do mesmo ramo. Fala alemão, francês e inglês e considera que o seu conhecimento nestas línguas é sempre uma boa referência. Quando a empresa faliu ficou muito deprimido e, segundo a mulher, dizia «a vida assim não vale nada e é melhor morrer».
Esta última acrescenta, ainda, ter ficado deveras preocupada com esta situação, uma vez que o marido tem como antecedentes familiares depressão por parte da mãe e da sua tia, que culminou no suicídio desta última.
Neste momento está apenas a enviar currículos e irá durante as férias da Páscoa a Moçambique observar o mercado.
Não está muito
entusiasmado com esta perspectiva de viagem de trabalho
, pois considera que «não vai dar certo».
A sua mulher Paula
Santos Pereira, de raça caucasiana e de nacionalidade portuguesa, tem 45 anos e uma Licenciatura em Educação Básica,
trabalhando, actualmente, como professora do ensino básico.
Na porção superior:
A estrutura cultural e social inclui os factores religiosos, de parentesco e sociais, políticos, económicos, educacionais, tecnológicos, bem como valores/estilos de vida culturais;

Influenciam o comportamento humano em diferentes contextos ambientais

O ambiente é influenciado e influencia as expressões, padrões e práticas de cuidar.




Deve ter-se conhecimento das condições que melhor propiciam o bem-estar, conforme as crenças, valores e modos de vida, isto é, a cultura, de cada indivíduo, família ou grupo cultural.


A visão do mundo do cuidado cultural flui para o conhecimento sobre os indivíduos, as famílias, os grupos e as instituições em diversos sistemas de atendimento de saúde:
Sistemas de cuidados genéricos;
Sistemas de cuidados profissionais.
Dá significado às expressões humanas, interpretações e interacções sociais em vários ambientes
Práticas comuns a todas as culturas e especificidades de cada uma
Para Leininger, este estudo no modelo Sunrise, é equivalente à avaliação no processo de enfermagem.
Avaliação Inicial
Diagnóstico de Enfermagem
Intervenções de Enfermagem
Resultados esperados
Avaliação Final
Objectivo:
Conciliar os dois sistemas de cuidados para que assim as decisões e acções do cuidar em enfermagem sejam congruentes com a cultura dos clientes.

A saúde holística influencia e é influenciada pela visão do mundo e pelo contexto cultural e ambiental.
Providenciar um cuidado culturalmente congruente
Modelo Sunrise
vs.
Processo de Enfermagem


Foco: Cliente Foco: Cliente


Importância da cultura para a compreensão e conhecimento do cliente
Para Leininger:

É necessário aplicar o conhecimento da visão do mundo do cuidado cultural e da estrutura social à situação do cliente
Cliente identificado como pertencendo a um determinado sistema de saúde
Sistemas de cuidados genéricos
Sistemas de cuidados profissionais
É igualmente importante, nesta fase, identificar as características que são universais ou comuns e as que são diversas ou específicas relativamente à cultura, na qual se insere o “ser pessoa”.
Para Leininger:
Planeamento e implementação das decisões e acções do cuidar em enfermagem:
Necessitam de ser culturalmente baseadas, de modo a atender às necessidades do cliente.

Os três modos de acção são:
Conservação/manutenção do cuidado cultural
- assistência ou capacitação dos clientes na manutenção da saúde, na recuperação da doença ou no enfrentamento das deficiências ou da morte.
Ajustamento/negociação do cuidado cultural
- capacitar ou assistir as formas de negociação ou ajustamento aos padrões de saúde e atendimento do cliente.
Repadronização/reestruturação do cuidado cultural
- auxiliar os clientes, tendo em conta os seus valores culturais, a modificar os seus padrões de saúde ou de vida significativos para uns mais saudáveis.
Para Leininger:

Não existe avaliação;
Deve efectuar-se o estudo das acções dos cuidados de enfermagem, visando determinar quais são as mais apropriadas para obter a cura, a saúde ou o bem-estar, tendo em conta uma determinada cultura.
(Traduzido de Leininger, 1991)
Os cuidados de enfermagem devem ter em conta a diversidade e a universalidade de culturas.

“Uma área de estudo e prática focada em comparar culturalmente o cuidado, os valores, crenças e práticas dos indivíduos ou grupos de culturas semelhantes ou diferentes, com o objectivo de proporcionar uma cultura específica e prática de enfermagem universal na promoção de saúde ou bem-estar, ou para ajudar as pessoas a enfrentar condições humanas desfavoráveis, doenças ou morte, em formas culturalmente significativas.”


Esta teoria tem significado numa sociedade que se está a tornar cada vez mais consciente da diversidade cultural dentro das suas fronteiras.

Os conceitos, significados e padrões do cuidar cultural, bem como as formas culturais do cuidar são diferentes (diversidade) e semelhantes (no sentido das comunidades ou universalidades) entre todas as culturas do mundo.
Teoria da Diversidade e Universalidade do Cuidar Cultural
Referências Bibliográficas
Referências Bibliográficas
Considerações Finais
Aplicação do Modelo Teórico “Sunrise”
Visão do Mundo - Identificação e Informações Gerais
Sr. Vasco Pereira
Sexo: masculino;
Raça: caucasiana;
Idade: 47 anos;
Nacionalidade: moçambicana (veio para Portugal em criança);
Habilitações literárias: 9º ano de escolaridade, estando, actualmente, desempregado há 1 ano (trabalhava como comercial numa empresa conceituada de venda de camiões);
Fala português, alemão, francês e inglês.
Agregado familiar: cônjuge (Sra. Paula), filho (João), e, mais recentemente, enteada (Sra. Clara);
Residência: Massamá, Lisboa, Portugal;
Antecedentes pessoais: um episódio depressivo, acompanhado de ideação suicida, imediatamente após a falência da empresa onde trabalhava.
Antecedentes familiares: depressão por parte da mãe e da sua tia, culminando no suicídio desta última.
Aplicação do Modelo Teórico “Sunrise”
Visão do Mundo - Identificação e Informações Gerais
Sra. Paula Santos Pereira
Sexo: feminino;
Raça: caucasiana;
Idade: 45 anos;
Nacionalidade: portuguesa;
Habilitações literárias: Licenciatura em Educação Básica, exercendo-a como profissão actual;
Agregado familiar: cônjuge (Sr. Vasco), filho (João), e, mais recentemente, filha (Sra. Clara);
Residência: Massamá, Lisboa, Portugal.
Aplicação do Modelo Teórico “Sunrise”
Visão do Mundo - Identificação e Informações Gerais
João Pereira
Sexo: masculino;
Raça: caucasiana;
Idade: 14 anos;
Nacionalidade: portuguesa;
Habilitações literárias: frequenta o 8º ano (pela 2ª vez) ;
Agregado familiar: pais e, mais recentemente, meia-irmã (Sra. Clara);
Residência: Massamá, Lisboa, Portugal.
Aplicação do Modelo Teórico “Sunrise”
Visão do Mundo - Identificação e Informações Gerais
Sra. Clara Santos Ortiz
Sexo: feminino;
Raça: caucasiana;
Idade: 25 anos;
Nacionalidade: portuguesa;
Profissão: desempregada desde os 3 meses de gestação;
Agregado familiar (Espanha): cônjuge (Sr. Juan);
Agregado familiar (Portugal): padrasto, mãe, meio-irmão e, mais recentemente, filha (Mercedes);
Residência: Madrid, Espanha/Massamá, Lisboa, Portugal.
Aplicação do Modelo Teórico “Sunrise”
Visão do Mundo - Identificação e Informações Gerais
Sr. Juan Ortiz
Sexo: masculino;
Raça: caucasiana;
Idade: 28 anos;
Nacionalidade: espanhola;
Profissão: empregado de mesa num navio de cruzeiros;
Agregado familiar (Espanha): cônjuge (Sra. Clara);
Residência: Madrid, Espanha.
Aplicação do Modelo Teórico “Sunrise”
Visão do Mundo - Identificação e Informações Gerais
Mercedes Ortiz
Sexo: feminino;
Raça: caucasiana;
Idade: 0 dias;
Nacionalidade: portuguesa;
Nasceu a 12 de Junho de 2013, no Hospital Professor Doutor Fernando da Fonseca, às 38 semanas e 1 dia de gestação, sem malformações aparentes;
Residência: Massamá, Lisboa, Portugal.
Finalidade
Desenvolver o pensamento crítico/analítico, a partir da utilização do método de Aprendizagem Baseado em Problemas (PBL - Problem Based Learning),

Encontrar e usar os recursos de aprendizagem, aquisição de competências promotoras do crescimento pessoal e profissional, com o intuito de nos capacitar para a tomada de decisões e julgamento profissional.
Introdução
Leitura e análise da
situação
clínica fornecida;
Identificação e ponderação dos
problemas
considerados como relevantes, bem como o levantamento de
hipóteses

explicativas
dos problemas encontrados (causas e consequências);
Identificação dos
conceitos
de modo a constituírem-se como fundamento das hipóteses explicativas;
Realização de
mapas conceptuais individuais
e do
mapa conceptual geral
;
Reconstrução da
situação
em estudo;
Formulação das
linhas de intervenção de enfermagem
;
Revisão da Teoria da Diversidade e da Universalidade do Cuidar Cultural de Madeleine Leininger.
Etapas do Trabalho
Introdução
Objectivos
Introdução
República de Moçambique
Cultura Moçambicana
A
diversidade linguística
de Moçambique é uma das suas principais características culturais, assim como os
ritmos moçambicanos
, nomeadamente a
música vocal moçambicana
.
Língua oficial: língua portuguesa, contudo são faladas várias línguas indígenas;
Antiga colónia e província ultramarina de Portugal (independente desde 25 de Junho de 1975 pós-guerra).
Manteve uma cultura indígena baseada na
agricultura de pequena escala
, apesar da influência dos comerciantes do litoral islâmico e colonizadores europeus.
No que respeita à educação, após a independência, o governo colocou uma alta prioridade à educação em expansão, o que reduziu a taxa de
analfabetismo
de cerca de dois terços da população.
Portugal
Cultura Portuguesa
Espanha
Cultura Espanhola
Aplicação do Modelo Teórico “Sunrise”
Visão do Mundo - Genograma
Aplicação do Modelo Teórico “Sunrise”
Visão do Mundo - Identificação dos problemas e levantamentos de hipóteses explicativas
Sr. Vasco Pereira

Depressão:

Causas: desemprego (desde Janeiro do ano passado);

Consequências: isolamento, desinteresse, alteração dos papéis familiares, suicídio.
Aplicação do Modelo Teórico “Sunrise”
Visão do Mundo - Identificação dos problemas e levantamentos de hipóteses explicativas
Sra. Paula Santos Pereira

Ansiedade:

Causas: situação de saúde do marido, comportamento do filho, situação da filha , possível emigração do marido (que pode levar à separação da família);

Consequências: depressão, esgotamento emocional, alteração dos papéis familiares.
Aplicação do Modelo Teórico “Sunrise”
Visão do Mundo - Identificação dos problemas e levantamentos de hipóteses explicativas
João Pereira

Abuso de Álcool:

Causas: fase de desenvolvimento (adolescência); idade; género masculino (maior probabilidade de participar em condutas que envolvem o risco); influência do grupo de amigos/pares; contextos sociais não estruturados (festas, discotecas e bares); escola (maior disposição a grupos de pares desviantes); raça caucasiana; atitude permissiva por parte dos pais

Consequências: alterações a nível do apetite; perturbações do sono; cefaleias; aumento da probabilidade de efectuar padrões de consumo de alto risco (bingedrinking); aumento da propensão para o consumo de drogas (principalmente de haxixe); ruptura familiar; desinibição social; maior probabilidade de apresentar comportamentos violentos e negligentes; menor desempenho escolar
Aplicação do Modelo Teórico “Sunrise”
Visão do Mundo - Identificação dos problemas e levantamentos de hipóteses explicativas
Sra. Clara Santos Ortiz

Instabilidade Familiar

Causas: ausência do marido (está actualmente na Noruega, em trabalho); transição familiar; saída de sua casa (Espanha) para casa da sua mãe (Portugal); maternidade.

Consequências: menor suporte social; nova mudança e adaptação a uma nova rotina; alteração dos papéis familiares; maior fragilidade emocional; aumento do stress; risco de depressão; maiores responsabilidades financeiras; impacto negativo nos cuidados prestados à filha.
Aplicação do Modelo Teórico “Sunrise”
Visão do Mundo - Levantamento de Conceitos relacionados com o Problema
Depressão
Suicídio
Ansiedade
Instabilidade Familiar
Stress
Família
Sr. Vasco Pereira
Diagnóstico:
Desesperança relacionado com desemprego manifestado por isolamento, desinteresse, verbalizações “não vai dar certo”, "já não presto para nada".
Decisões e Acções do Cuidar em Enfermagem:
Escutar activamente o Sr. Vasco e transmitir interesse pelo que o Sr. Vasco diz;
Remover o Sr. Vasco dos estímulos externos;
Avaliar o tipo de humor;
Encorajar a expressão de sentimentos;
Apoiar os mecanismos de coping existentes;
Encorajar a formação de um sistema de apoio, mobilizando a família;
Auxiliar o Sr. Vasco a identificar, reconhecer e valorizar os seus pontos fortes e aspectos positivos;
Encorajar actividades construtivas (ex.: terapia ocupacional, …);
Observar e ouvir atentamente para indícios de intenção suicida (é importante registar estes dados);
Vigiar padrão de sono;
Desenvolver uma relação terapêutica com contactos constantes e de aceitação;
Auxiliar o Sr. Vasco a identificar áreas da sua vida que controla e que não controla.
Suporte Social
Transição para a Parentalidade e Maternidade
Cultura
Abuso de Álcool
Aplicação do Modelo Teórico “Sunrise”
Visão do Mundo
Mapa Conceptual
Modelo Teórico "Sunrise"
Modelo Teórico "Sunrise"
Modelo Teórico "Sunrise"
Lowdermilk e Perry (2006); Osborne (2012); Balaji (2007); Townsend (2009); Hockenberry e Wilson (2011)

Aplicação do Modelo Teórico “Sunrise”
Visão do Mundo - Identificação dos problemas e levantamentos de hipóteses explicativas
Sra. Clara Santos Ortiz

Défice de Suporte Social

Causas: ausência do marido (está actualmente na Noruega, em trabalho);

Consequências: aumento do stress, depressão e ansiedade; diminuição do bem-estar psicológico.
Lowdermilk e Perry (2006); Osborne (2012); Balaji (2007); Townsend (2009); Hockenberry e Wilson (2011)

Mendes e Lopes (2007); Foltran et al (2011); Wang et al (2009); Meeus (2009)


Instabilidade Familiar
Podem desencadear privação material, depressão materna e stress parental
Alterações que ocorrem ao nível do suporte social
Osborne (2012)
Stress
Para Lazarus e Folkman o stress é a relação particular (…) dinâmica e bidireccional entre a pessoa e o meio que é avaliada como afectando o bem-estar porque excede os recursos adaptativos pessoais, isto é, para a qual o indivíduo não possui respostas prontamente disponíveis.
Selye afirma que o stress é a resposta não específica do organismo a qualquer exigência de adaptação.
Pacheco (2008)
Família
Grupo de indivíduos que estão ligados por fortes laços emocionais, sentimentos de pertença e uma paixão pelo envolvimento na vida uns dos outros...
... constitui uma rede de suporte social para os seus elementos.
Townsend (2002); Lowdermilk e Perry (2006)
Suporte Social
Provisão de recursos (emocionais e instrumentais) assegurados pelos membros da
rede social
.
Conjunto de indivíduos ou grupo que estabelecem uma relação (familiar, de amizade, etc.)
Objectivo:
proporcionar formas de suporte específico, de forma cuidada em equipamentos e serviços para colmatar as situações de desinserção familiar e comunitária, exigindo, consequentemente, uma influência recíproca entre o indivíduo e as suas redes sociais de apoio.
Integração social
- incorporação de um indivíduo numa comunidade social, onde fica envolvido numa ampla variedade de relações sociais.
Implica
Balaji (2007); Santos e Cardoso (2010); Bem e Wagner (2006)

Transição para a Parentalidade e Maternidade
Transição para a parentalidade
- Momento de confusão e desequilíbrio, assim como de satisfação, para as mães e respectivos companheiros.

Maternidade
- processo a longo prazo que ultrapassa a gravidez, sendo que requer que, mais do que desejar ter um filho se deseje ser mãe. É considerado um papel social.
Nascimento de uma criança como unificador familiar e geracional
Permite aproximar a rotina diária da família nuclear da das famílias de origem
A mulher procura saber junto da sua
mãe
a forma de se comportar e de se preparar para a chegada do novo elemento da família
Principal modelo de comportamento materno para a mulher
Hockenberry e Wilson (2011); Perucchi e Beirão (2007); Canavarro (2001)

Abuso de Álcool
Padrão de uso compulsivo de álcool, sendo que tem consequências para o indivíduo, contudo não consiste numa dependência física, a qual, contrariamente, é caracterizada por um uso inadequado desta substância, conduzindo à incapacidade de cortar ou parar a sua utilização.

Na adolescência a ingestão de álcool é menos estigmatizado do que o consumo de outras substâncias, podendo, efectivamente, facilitar a “entrada no ambiente das festas”.
Neeb (2000); Mendes e Lopes (2007)

Cultura
“Os Valores, crenças, normas e modos de vida de um determinado grupo aprendidos, compartilhados e transmitidos e que orientam o seu pensamento, as suas decisões e as suas acções de uma maneira padronizada”.
Depressão
Distúrbio de saúde mental comum que é manifestado no humor deprimido, perda de interesse ou prazer, sentimentos de culpa ou baixa auto-estima, distúrbios do sono ou apetite, baixo consumo de energia e baixa concentração.

Principal causa de incapacidade a nível mundial (afecta 121 milhões de pessoas).

A base causal não é consensual.

A depressão “(…) pode apresentar os níveis de leve, moderado e grave, com ou sem aspectos psicóticos”:
Quando leve interfere na qualidade de vida e desempenho dos indivíduos.
Quando grave pode levar à incapacitação e ao
suicídio
.
FU & Parahoo (2008); Stuart & Laraia (2001); WHO (2007)
Com este trabalho tentámos perceber as necessidades de todos os intervenientes da situação em questão, em todos os níveis, ao identificar os problemas mais pertinentes, ou seja, os de resolução prioritária e os que devem ser foco das decisões e acção do cuidar em enfermagem.

Esta priorização de decisões e acções, advém de uma análise aprofundada de todas as dimensões dos clientes, dos seus recursos e do contexto ambiental em que se encontram inseridos, ou seja, uma abordagem holística dos mesmos. Foi, também, essencial relacionar todas estas características da pessoa e para isso, constituiu-se como extremamente importante o recurso ao mapa de conceitos, para desta forma conseguir individualizar os cuidados de enfermagem.

Além disso, é de salientar que o papel do enfermeiro não se restringe somente ao domínio técnico e à execução de procedimentos (sistema de cuidados profissionais), mas também atender ao Outro enquanto ser cultural, isto é, com significados e expressões culturalmente específicos em relação ao cuidado e à saúde, pelo que deve ser considerado o sistema de cuidados genéricos, por forma a prestar um cuidado culturalmente congruente, visando um atendimento de saúde significativo, benéfico e satisfatório, promotor de bem-estar.

Neste sentido, torna-se, portanto, importante considerar a cultura nas decisões e acções do cuidar em enfermagem, sendo que, também, Leininger enfatiza a importância da mesma para a prestação de cuidados de enfermagem culturalmente congruentes com cada pessoa, tendo em conta a sua teoria da Universalidade e Diversidade do Cuidar Cultural.
Suicídio
O suicídio “(…) divide-se em categorias de ameaça de suicídio, tentativa de suicídio e suicídio consumado”.

O trauma pode resultar em depressão e esta, por sua vez, está fortemente ligada ao suicídio, nomeadamente ao seu aumento.

Factores predisponentes:
Diagnóstico psiquiátrico:
transtornos do humor, alcoolismo, entre outros;
Traços da personalidade:
impulsividade, agressividade e hostilidade, falta de esperança, baixa auto-estima, entre outros;
Meio psicossocial:
estado civil (separado, divorciado, viúvo), viver sozinho, desemprego recente, entre outros.;
História familiar:
de comportamentos suicidas, transtorno do humor, alcoolismo ou ambos;
Factores bioquímicos:
grande associação entre o suicídio e um baixo nível de serotonina.
Stuart & Laraia (2001); Krysinska et al (2009)
Forma como as pessoas vêem o mundo ou o universo e como isso condiciona as suas vidas.
Aplicação do Modelo Teórico “Sunrise”
Decisões e Acções do Cuidar em Enfermagem
Ansiedade
“Um sentimento vago e receoso de desconforto ou receio acompanhado por uma resposta automático (…) um sentimento de apreensão causado por antecipação do perigo (…) um sinal de alerta que avisa de perigo iminente e permite ao individuo tomar medidas para lidar com a ameaça”
George (2000, p.571)
“Os valores, as crenças, os modos de vida padronizados aprendidos que auxiliam, sustentam, facilitam ou capacitam outro individuo ou grupo a manter o seu bem-estar, saúde, melhorar a sua condição humana e o seu modo de vida ao lidar com a doença, a deficiência ou a morte”.
Welch (2004, p. 571)
NANDA Internacional (2007, p.9)
ANSIEDADE PSÍQUICA
- humor ansioso, tensões, medos, insónia, disfunção intelectual e um humor depressivo.
ANSIEDADE SOMÁTICA
– sintomas musculares, sensoriais, cardiovasculares, respiratórios, gastrointestinais, génito-urinários e neurovegetativos.
Os enfermeiros podem ajudar os clientes com perturbações da ansiedade a adquirir insight e aumentar a própria consciência em relação à sua doença.
Townsend (2011)
Língua oficial: língua portuguesa;
Localizada na costa oriental do Sul de África;
Localizado no Sudoeste da Europa;
Representada nos arquipélagos (regiões autónomas) dos Açores e da Madeira.
Os portugueses dão uma importância fulcral ao
papel da família
, são tradicionais e conservadores.
Portugueses retratados
povo melancólico
e isso é bastante visível num dos seus maiores patrimónios, o
Fado
.
Estado laico, as famílias portuguesas são marcadamente influenciadas pela
religião católica
.
Localizada no Sudoeste da Europa e faz fronteira com Portugal, Andorra e França;
Língua oficial: castelhano
Línguas co-oficiais: Catalão, Valenciano, Galego, Basco e Aranês.
A
família
é considerada o pilar da estrutura social e a religião desempenha um papel fundamental na vida dos espanhóis, especialmente a
religião católica
.
O povo espanhol é conservador, religioso e leva bastante a sério as tradições culturais.
Apresentação da situação clínica em análise
Situação Clínica 2 - Reformulada
Face ao exposto, a Sra. Paula, procurou saber na Unidade de Saúde Familiar da sua área de residência, Massamá, (USF Mactamã)
qual o apoio com que poderia contar, pois a criança nasceu em Portugal e o genro é espanhol.
No presente dia, a Sra. Paula desloca-se ao seu centro de saúde, para uma consulta de Planeamento Familiar e Saúde Reprodutiva, na qual refere que, na semana passada, o filho chegou,
pela primeira vez,
a casa bêbado e consta que alguns dos seus amigos fumam charros,
pelo que esta última julga que este comportamento é derivado da influência dos mesmos, «desde a altura em que começou a sair para festas à noite»
. Quando falou com o marido este desvalorizou este episódio pois considera que faz parte do desenvolvimento, «todos os jovens bebem uns copos».
Na consulta, acrescenta, ainda, que tem dificuldades em dormir, nomeadamente insónia inicial, fadiga, palpitações e sentimento de impotência.
Apesar de tudo,
não se quer afastar dos filhos, embora esteja muito preocupada com a situação do marido que pensa estar muito instável,
pois este isola-se muito e referiu ter perdido o interesse em ir para Moçambique, verbalizando «já não presto para nada».

Aplicação do Modelo Teórico “Sunrise”
Decisões e Acções do Cuidar em Enfermagem
Sr. Vasco Pereira
Diagnóstico:
Risco de Suicido relacionado com depressão e verbalização "a vida assim não vale nada e é melhor morrer".
Decisões e Acções do Cuidar em Enfermagem:
Escutar activamente o Sr. Vasco e transmitir interesse pelo que o Sr. Vasco diz;
Remover o Sr. Vasco dos estímulos externos;
Perguntar directamente ao Sr. Vasco: “Já pensou magoar-se ou ferir-se de alguma forma?”. Em caso afirmativo, “O que pensa fazer? Tem os meios para colocar em prática esse plano?”;
Criar um ambiente seguro para o Sr. Vasco: remover todos os objectos potencialmente prejudiciais do acesso do cliente;
Formular um contracto verbal ou escrito de curta duração no sentido do Sr. Vasco não se ferir;
Encorajar o cliente a expressar os seus sentimentos, inclusive de raiva. Proporcionar descargas para a hostilidade se necessário;
Focalizar os pontos positivos e as conquistas e minimizar os insucessos;
Encorajar o Sr. Vasco a reconhecer áreas de mudança e auxiliar nessa tentativa.
Aplicação do Modelo Teórico “Sunrise”
Decisões e Acções do Cuidar em Enfermagem
Sr. Paula Santos Pereira
Diagnóstico:
Ansiedade relacionada com instabilidade familiar, manifestado por dificuldades em dormir, fadiga, palpitações e sentimento de impotência.
Decisões e Acções do Cuidar em Enfermagem:
Avaliar nível de ansiedade da Sra. Paula, através de instrumentos de avaliação (Escala de Ansiedade de Hamilton), bem como, as consequências desta ansiedade;
Procurar compreender a perspectiva da Sra. Paula em relação á situação vivida;
Encorajar a verbalização de sentimentos, percepções e medos, numa atmosfera de tranquilidade, proporcionando um sentimento de segurança à Sr.ª Paula;
Ajudar a Sra. Paula a identificar as situações precipitadoras de ansiedade, para que no futuro as identifique e utilize recursos para gerir estas;
Utilizar técnicas de comunicação terapêutica (empatia, confiança, escuta ativa, apoio emocional, disponibilidade) com a Sra.Paula, de modo a estabelecer uma relação terapêutica satisfatória;
Treinar com a Sra. Paula capacidade para a própria encontrar alternativas para o seu bem-estar (“auto-sugestão), estabelecendo pequenos objectivos pessoais;
Explicar a importância de se realizar atividades de lazer;
Estimular a adoção de medidas de conforto e relaxamento antes de dormir.
Aplicação do Modelo Teórico “Sunrise”
Decisões e Acções do Cuidar em Enfermagem
João Pereira
Diagnóstico:
Comportamento de Saúde Propenso a Risco relacionado com fase de desenvolvimento (adolescência) e pressão por parte do grupo de amigos/pares manifestado por ter chegado a casa bêbado e verbalização, por parte da mãe, da influência dos amigos no seu comportamento.
Decisões e Acções do Cuidar em Enfermagem:
Falar individualmente com o João, com o intuito de existir uma maior abertura por parte do mesmo, em expor o seu padrão de consumo de álcool (por exemplo, se esta foi ou não a primeira vez e que quantidade de álcool costuma ingerir), bem como possíveis causas de tal comportamento;
Tentar compreender na sua perspectiva aquilo que o incita a ingerir álcool, a fim de sabermos as intervenções mais pertinentes a serem efectuadas e que, consequentemente, possam minimizar os factores de risco do consumo;
Tentar perceber se o João tem consciência dos riscos associados ao consumo de álcool, e reforça-los, de modo a que ele compreenda as consequências do seu comportamento, bem como para evitar uma nova situação de abuso de álcool;
Encorajar o João a examinar o seu próprio comportamento, a fim de este último ter consciência dos riscos associados ao consumo de álcool, compreendendo, assim, a necessidade de modificar o seu comportamento.
Auxiliar o João a identificar estratégias que possam minimizar o seu consumo de álcool (por exemplo, diminuição da presença em festas).
Aplicação do Modelo Teórico “Sunrise”
Decisões e Acções do Cuidar em Enfermagem
Sra. Clara Santos Ortiz
Diagnóstico:
Stress por Mudança relacionado com ausência do marido, saída de sua casa (Espanha) para casa da sua mãe (Portugal), transição para o papel de mãe (maternidade) manifestado por tristeza, falta de apetite, verbalização de se “sentir insegura em cuidar da sua filha durante estes primeiros tempos sem o marido”, de que “receia estar a dar demasiado trabalho, especialmente face ao momento frágil” que a família atravessa, e sensação de estranheza face ao regresso a Portugal.
Decisões e Acções do Cuidar em Enfermagem:
Ausência do marido:
Encorajar a expressão de sentimentos face à ausência do seu marido, a fim de esta última tomar consciência dos mesmos e compreender a influência que estes têm nesta fase importante da sua vida. Simultaneamente é, também, transmitida a sensação de valorização para com a pessoa e a sua situação. Desta forma é, ainda importante que o enfermeiro demonstre disponibilidade e efectue escuta activa.
Questionar sobre a forma como comunica habitualmente com o marido durante a sua ausência, a fim de verificar o grau de comunicação existente entre ambos;
Promover e incitar a comunicação entre ambos;
Questionar a Sra. Clara sobre actividades de lazer que goste e incentivar a sua realização, na medida em que irá promover a sua distracção e, consequentemente, diminuir o seu sentimento de tristeza associado à ausência do marido;
Valorizar recursos positivos da pessoa, nomeadamente o facto de ter o apoio e a presença da sua mãe, pelo que não está só.
Aplicação do Modelo Teórico “Sunrise”
Decisões e Acções do Cuidar em Enfermagem
Sra. Clara Santos Ortiz
Diagnóstico:
Stress por Mudança relacionado com ausência do marido, saída de sua casa (Espanha) para casa da sua mãe (Portugal), transição para o papel de mãe (maternidade) manifestado por tristeza, falta de apetite, verbalização de se “sentir insegura em cuidar da sua filha durante estes primeiros tempos sem o marido”, de que “receia estar a dar demasiado trabalho, especialmente face ao momento frágil” que a família atravessa, e sensação de estranheza face ao regresso a Portugal.
Decisões e Acções do Cuidar em Enfermagem:
Saída de sua casa (Espanha) para casa da sua mãe (Portugal):
Incentivar a Sra. Clara a falar com a sua mãe sobre os seus receios e preocupações face à sua mudança temporária de residência, de modo a que a Sra. Clara ter consciência da percepção da sua mãe, no que diz respeito à sua estadia, e que, simultaneamente a tranquilize;
Tentar compreender aquilo que a perturba face à mudança de país. No fundo, tentar perceber aquilo que define como “estranheza”;
Incitar a que a Sra. Clara mantenha contacto com os amigos de Espanha, a fim de manter contacto/ligação com este país. Por outro lado seria, também, importante que estabelecesse contacto com os amigos que deixou em Portugal, na medida em que estes poderiam aumentar a sua sensação de familiaridade com o país, e consequentemente, diminuir a sensação de “estranheza”. Além disso, esta sensação também poderia ser obtida através do cumprimento de algumas práticas que anteriormente realizava (como por exemplo, passear pelo parque perto da sua casa);
Investigar com a Sra. Clara métodos anteriormente para lidar com problemas da vida, ou seja, identificar pontos fortes (como por exemplo a mudança de Portugal para Espanha, aquando do seu casamento).
Aplicação do Modelo Teórico “Sunrise”
Decisões e Acções do Cuidar em Enfermagem
Sra. Clara Santos Ortiz
Diagnóstico:
Stress por Mudança relacionado com ausência do marido, saída de sua casa (Espanha) para casa da sua mãe (Portugal), transição para o papel de mãe (maternidade) manifestado por tristeza, falta de apetite, verbalização de se “sentir insegura em cuidar da sua filha durante estes primeiros tempos sem o marido”, de que “receia estar a dar demasiado trabalho, especialmente face ao momento frágil” que a família atravessa, e sensação de estranheza face ao regresso a Portugal.
Decisões e Acções do Cuidar em Enfermagem:
Transição para o papel de mãe (maternidade):
Incentivar a que a Sra. Clara fale com a sua mãe, a fim de esta última poder partilhar as suas experiências relacionadas com o processo de maternidade;
Incitar a que a Sra. Clara envie uma fotografia da Mercedes para o Sr. Juan. O processo de maternidade envolve o realinhamento de papéis, logo o envolvimento de ambos os progenitores nesta nova etapa. Desta forma, ao enviar a fotografia da bebé ao pai, vai dá-la a conhecer e, portanto, estimular o envolvimento do mesmo, nomeadamente o vínculo;
Fornecer informações relativas ao suporte social:
Recursos disponíveis na USF Mactamã:
Diagnóstico Precoce - Teste do Pezinho:
Referir que o teste do pezinho deve ser realizado entre o 3º e o 6º dia de nascimento;
Referir que para a realização do teste do pezinho, não é necessário deslocar-se à Unidade de Saúde Familiar, pois há a possibilidade do enfermeiro se deslocar ao domicílio, para que o bebé não tenha que sair de casa, local onde está mais protegido;
Aplicação do Modelo Teórico “Sunrise”
Decisões e Acções do Cuidar em Enfermagem
Sra. Clara Santos Ortiz
Diagnóstico:
Stress por Mudança relacionado com ausência do marido, saída de sua casa (Espanha) para casa da sua mãe (Portugal), transição para o papel de mãe (maternidade) manifestado por tristeza, falta de apetite, verbalização de se “sentir insegura em cuidar da sua filha durante estes primeiros tempos sem o marido”, de que “receia estar a dar demasiado trabalho, especialmente face ao momento frágil” que a família atravessa, e sensação de estranheza face ao regresso a Portugal.
Decisões e Acções do Cuidar em Enfermagem:
Transição para o papel de mãe (maternidade):
(cont.)
Consultas Vigilância Saúde Infantil:
Referir que a Mercedes poderá ser acompanhada nas consultas de vigilância infantil da USF que se realizarão ao primeiro, segundo, quarto mês (tendo em conta o tempo de permanência desta em Portugal), não existindo diferença entre os períodos de vigilância entre Portugal e Espanha;
Plano de Vacinação:
Referir que a Mercedes poderá realizar o seu esquema vacinal de acordo com o
Plano de Vacinação Português
, durante o período de tempo que permanecerá no mesmo, sendo que, quando se mudar para Espanha, realizará o seu esquema vacinal de acordo com o
Plano de Vacinação Espanhol
.
Aplicação do Modelo Teórico “Sunrise”
Decisões e Acções do Cuidar em Enfermagem
Plano de Vacinação
Português
Espanhol
Sra. Clara Santos Ortiz
Diagnóstico:
Stress por Mudança relacionado com ausência do marido, saída de sua casa (Espanha) para casa da sua mãe (Portugal), transição para o papel de mãe (maternidade) manifestado por tristeza, falta de apetite, verbalização de se “sentir insegura em cuidar da sua filha durante estes primeiros tempos sem o marido”, de que “receia estar a dar demasiado trabalho, especialmente face ao momento frágil” que a família atravessa, e sensação de estranheza face ao regresso a Portugal.
Decisões e Acções do Cuidar em Enfermagem:
Transição para o papel de mãe (maternidade):
(cont.)
Consulta de Planeamento Familiar/Saúde da Mulher:
Referir que a Sra. Clara poderá usufruir de consultas de planeamento familiar e de saúde da mulher, na Unidade de Saúde Familiar de Mactamã.
Aplicação do Modelo Teórico “Sunrise”
Decisões e Acções do Cuidar em Enfermagem
American Psychiatric Association (2006). Manual de Diagnóstico e Estatística das Perturbações Mentais, Revisão de Texto. 4ªed.. Lisboa: CLIMEPSI EDITORES. ISBN 972-796-020-2
Assembleia da República (2004) – Constituição da República de Moçambique. Acedido em 09/06/2013. Disponível em http://www.mozambique.mz/pdf/constituicao.pdf
ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE MEDICINA DA ADICÇÃO (1992). Definição de Alcoolismo e outros dados sumários sobre a doença dependência química. Lisboa: Associação Portuguesa de Medicina da Adicção
BALAJI, Alexandra B. et al (2007). Social Support Networks and Maternal Mental Health and Well-Being. Journal of Women’s Health. Vol.16, nº.10. (2007). p. 1386-1396
BEM, Laura A.; WAGNER, Adriana (2006) – Reflexões sobre a construção da parentalidade e o uso de estratégias educativas em famílias de baixo nível socioeconómico. Psicologia em Estudo (em linha). Vol.11, nº1. p.63-71
BOBAK, Irene M.; LOWDERMILK, Deitra Leonard; JENSEN, Margaret Duncan (1999). Enfermagem na Maternidade. 4ª ed. Loures: Lusociência. ISBN: 972-8383-09-6
BULECHEK, Gloria M.; BUTCHER, Howard K.; DOCHTERMAN, Joanne McCloskey (2010) – Classificação das Intervenções de Enfermagem (NIC). 5ª ed. São Paulo: Elsevier, ISBN: 978-85-352-344-8
CANAVARRO, Maria (2001) – Psicologia da Gravidez e da Maternidade. Coimbra: Quarteto Editora. ISBN 972-8535-77-5
CARPENTINO-MOYET, Lynda Juall (2004) – Diagnósticos de Enfermagem: Aplicação à prática clínica. 10ª ed. Santana: ARTMED, ISBN: 0-7817-4354-0
CRUZ, Marla Gabriela Pereira (2009) – O impacto do desemprego nos níveis da depressão, auto-estima e desânimo-aprendido - estudo comparativo numa amostra de empregados e desempregados. Acedido a 09/06/2013. Disponível em: http://bdigital.ufp.pt/handle/10284/1549
Documentos disponibilizados pela Enfermeira Isabel Almeida, enfermeira especialista de saúde materna, da Unidade de Saúde Familiar Mactamã

El programa de salud infantil (PSI) (2012), disponível em http://sescam.jccm.es/web1/profesionales/AtencionPrimaria/PROGRAMA_DE_SALUD_INFANTIL_CLM.pdf
FOLTRAN, Francesca e tal (2011). Effect of Alcohol consumption in prenatal life, childhood, and adolescence on child development. Nutrition Reviews (em linha). Vol. 69, nº11 (Setembro, 2009) p.642-659. Acedido em 15/02/2013. Disponível em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22029831
FU, Chou-Mei; PARAHOO, Kader (2008). Causes of Depression: perceptions among people recovering from depression. Journal of Advanced Nursing 65(1), 101–109
GEORGE, Julia B. (2000) – Teorias de Enfermagem: Os Fundamentos à Prática Profissional. 4ªed. Porto Alegre: Artes Médicas. ISBN 85-7307-587-2
http://censos.ine.pt/. Acedido em 09/06/2013.
http://mozambique.smetoolkit.org/mozambique/pt/content/pt/8785/A-diversidade-cultural-de-Mo%C3%A7ambique. Acedido em 09/06/2013.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Cultura_da_Espanha. Acedido em 09/06/2013.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Espanha. Acedido em 09/06/2013.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Portugal. Acedido em 09/06/2013.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Religi%C3%A3o_na_Espanha. Acedido em 09/06/2013.
http://vida1.planetavida.org/paises/mocambique/o-pais/historia-e-cultura-de-mocambique/. Acedido em 09/06/2013.
http://www.diagnosticoprecoce.org/info.htm . Acedido em 09/06/2013.
http://www.everyculture.com/Europe/Portuguese.html. Acedido em 09/06/2013.
http://www.everyculture.com/Europe/Spaniards.html. Acedido em 09/06/2013.
http://www.everyculture.com/Ma-Ni/Mozambique.html#b. Acedido em 09/06/2013.
http://www.kwintessential.co.uk/resources/global-etiquette/spain-country-profile.html. Acedido em 09/06/2013.
http://www.msc.es/ciudadanos/proteccionSalud/infancia/vacunaciones/programa/vacunaciones.htm. Acedido em 07/06/2013.
http://www.msc.es/ciudadanos/proteccionSalud/vacunaciones/docs/CalendarioVacunacionmar2013.pdf. Acedido em 07/06/2013.
http://www.mz.one.un.org/por/Mocambique. Acedido em 09/06/2013.
http://www.portugal-live.net/. Acedido em 09/06/2013.

Referências Bibliográficas
http://www.qm2.org.uk/itinerary.html. Acedido a 28/05/2013.
http://www.state.gov/outofdate/bgn/mozambique/191089.htm. Acedido em 09/06/2013.
http://www.un.int/portugal/flagexplanationport.htm. Acedido em 09/06/2013.
KAPLAN, Harold I.; SADOCK, Benjamin J.; GREBB, Jack A. (2003). Compêndio de Psiquiatria: Ciências do Comportamento e Psiquiatria Clínica. 7ª ed. Porto Alegre: Artmed
KRYSINSKA, Karolina; LESTER, David; MARTIN, Graham (2009). Suicidal Behavior After a Traumatic Event. Journal of Trauma Nursing 16(2)
LEININGER, Madeleine M. (1991). Culture care and diversity and universality: a theory of nursing. Boston: Jones and Bartlett Pubs, ISBN: 0-7637-1825-4
LOWDERMILK, Deitra Leonard; PERRY, Shannon E. (2008) – Enfermagem na Maternidade. 7ª ed. Loures: Lusodidacta, ISBN 978-989-8075-16-1
MEEUS, Wim et al (2009) – Identification and Prediction of Drinking Trajectories in Early and Mid – Adolescence. Journal of Clinical Child & Adolescent Psychology (em linha). Vol. 38, nº3 (2009) p. 329-341. Acedido em 15/02/2013. Disponível em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/19437294
MENDES, Vera; LOPES, Paulo (2007). Hábitos de consumo de álcool em adolescentes. Revista Toxicodependências - Edição IDT (em linha). Vol.13, nº2 (2011) p. 25-40. Acedido em 15/02/2013. Disponível em: http://www.idt.pt/PT/RevistaToxicodependencias/Artigos%20Ficheiros/2007/2/2007_02_TXT3.pdf
NEEB, Kathy (2000) – Fundamentos de Enfermagem de Saúde Mental. Loures: Lusociência. ISBN 972- 8383-14-2
OSBORNE, Cynthia; BERGER, Lawrence M.; MAGNUSON, Katerine (2012). Family Structure Transitions and Changes in Maternal Resources and Well-being. [em linha]. (4 de Janeiro de 2012) p. 23-47. Acedido em: 15/02/2013
PACHECO, Susana (2008) – Stress e Mecanismos de Coping nos Estudantes de Enfermagem. Referência. Coimbra. Nº7 (II série). P.89-95
PERUCCHI, Juliana; BEIRÃO, Alina M. (2007) – Novos arranjos familiares: paternidade, parentalidade e relações de género sobre o olhar de mulheres de chefes de família. Psicologia Clínica (em linha). Vol. 19, nº2. p.57-69
Programa Nacional de Saúde Reprodutiva 2008. Acedido a 09/006/2013. Disponível em http://www.spdc.pt/files/publicacoes/11230_2.pdf
Programa Nacional de Vacinação 2012. Acedido a 09/06/2013. Disponível em http://www.dgs.pt/upload/membro.id/ficheiros/i016935.pdf

Referências Bibliográficas
SANTOS, Ana; CARDOSO, Ana (2010) – A qualidade de vida e o suporte social da grávida. Revista da Associação Portuguesa dos Enfermeiros Obstetras (em linha). Nº11. p.26-31.
Saúde Infantil e Juvenil: Programa-tipo de Actuação 2012, disponível em http://www.dgs.pt/upload/membro.id/ficheiros/i008188.pdf
SOBCZAK, Janet Ambrogne (2009). Managing high-acuity-depressed adults in primary care. Journal of the American Academy of Nurse Practitioners 21
STUART, Gail W.; LARAIA, Michele T. (2001). Enfermagem Psiquiátrica: Princípio e Prática. 6ª ed. Porto Alegre: Artmed. ISBN: 0-8151-2603-4
TOMEY, A; ALLIGOOD, M (2004) – Teóricas de Enfermagem e Sua Obra. 5ª ed. Loures: Lusociência
TOWNSEND, Mary C. (2002). Enfermagem Psiquiátrica: Conceitos de Cuidados. 3ª ed.. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan
TOWNSEND. Mary C. (2011). Enfermagem em Saúde Mental e Psiquiátrica – Conceitos de Cuidado na Prática Baseada na Evidência. 6ª ed. Loures: Lusociência. ISBN: 978-972-8930-61-5
VILELA, Lara; MACHO, Patrícia; ALMEIDA, Gaspar (2010) – Consumo de álcool em adolescentes e psicopatologia associada. Revista Toxicodependências - Edição IDT (em linha). Vol.17, nº1 (2011) p. 43-52. Acedido em 15/02/2013. Disponível em: http://www.idt.pt/PT/RevistaToxicodependencias/Artigos%20Ficheiros/2011/1/artigo4_Toxico1_2011.pdf
WANG, Jing e tal (2009) – Socio- Demographic Variability in Adolescent Substance Use: Mediation by Parents and Peers. Prevention Science (em linha). Vol. 10 (Julho, 2009) p. 387-396. Acedido em 15/02/2013. Disponível em: http://connection.ebscohost.com/c/articles/45110165/socio-demographic-variability-adolescent-substance-use-mediation-by-parents-peers
WELCH, Alice Z. – Madeleine Leininger: Cuidar Cultural: Teoria da Diversidade e Universalidade. in TOMEY, Ann Marreiner; ALLIGOOD, Martha Ralle – Teóricas de Enfermagem e a sua obra (Modelos e Teorias de Enfermagem. 5ªed. Loures: Lusociência. 2004. ISBN 972-8383-74-6

Townsend (2009)

Cruz (2009)
See the full transcript