Prezi

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in the manual

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Linha do tempo: Teorias da Comunicação

No description
by Andressa Mota on 2 October 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Linha do tempo: Teorias da Comunicação

Linha do tempo Paradigma Funcionalista Pragmaático
1919
Escola Americana Positivista
1920
Abordagem Sistêmica
1933
Hipótese do Uso e das Gratificações
1940
Teoria da Agenda
1970
Escola de Palo Alto
1940
Teoria das Influências Seletivas
1948
Estudo dos Efeitos em Longo Prazo
1947
Funcionalismo
1930
Pesquisa em comunicação de massa
1930
Escola de Chicago
Centro Universitário de Patos de Minas - UNIPAM
Teorias da Comunicação - Publicidade e Propaganda

Autores: William I. Thomas,Florian Znanienicki,Robert Ezra Park,Louis Wirth, Ernest Buguess, Everett Hughes, Robert McKenzie e Charles Hoton Cooley.

Base teórica: Sociologia e empirismo.

Ideias: Associação as teorias neoclássicas da formação de preços e o liberalismo econômico. A escola de Chicago cria uma tese que entende que a sociedade apenas pode ser estudada, a partir dos processos de interação entre as pessoas, sendo constituído simbolicamente pela comunicação, o que se convencionou a chamar de interacionismo simbólico. Comunicação usada de forma científica, com base empírica. Indivíduo como ator social: o ser humano é o resultado dos processos de interação simbólicos desenvolvidos pela sociedade, e a própria sociedade é um produto da comunicação. Princípios da competição, adaptação e assimilação. Cidade: laboratório social.

Local: Universidade de Chicago-EUA.

Método: Qualitativa.
Autores: Paul Lazarsfeld , Kurt Lewin, Harold Lasswell, Carl Holand

Base teórica: Psicologia, Sociologia e Ciências Sociais

Ideias: Devido à preocupação com os efeitos ou resultados dos novos meios de comunicação, realizam pesquisas:
Primeira fase: Pesquisa em Comunicação de Massa (Mass Comunication Research) é centrada em pesquisas comerciais;
Segunda fase: consolidação da Pesquisa em Comunicação nas universidades americanas e é marcada por uma preocupação mais ampla da comunicação dentro do processo social na qual está inserida, essa vertente também é chamada de corrente funcionalista.
Terceira fase: denominada por Wolf de Estudo dos Efeitos em Longo Prazo, é marcada pela influência das escolas de jornalismo e pelos primeiros doutores direcionados especificamente para essa área.

Local: EUA

Método: quantitativa e qualitativa.
Autores: De Fleur , Ball-Rokeach, Lasswell, Mattelart, Watson, Gustave Le Bon, Ivan Pavlov

Base teórica: Psicologia

Ideias: O uso da comunicação para persuadir e controlar a massa. Amplitude do canal, o que caracteriza a comunicação de massa é o fato de ela atingir um público anônimo, heterogêneo e fisicamente disperso.
Agulha Hipodérmica: teoria da bala mágica: período entre as duas grandes guerras. Entende que o público é diretamente atingido pela mensagem. As mensagens da mídia são recebidas de maneira uniforme pela audiência, com respostas imediatas e diretas. Uma teoria relativamente simples e coerente com a imagem da sociedade de massa que era a herança intelectual do século XIX.

Local: EUA

Método: pesquisas quantitativas e qualitativas.
Autores: Harold Lassawell, Defleur, Paul Lazarsfeld, Robert Merton

Base teórica: Psicologia, Sociologia, Ciências Sociais e Biologia.

Ideias: Funções da comunicação, visando ao equilíbrio: vigilância do meio ou manutenção do modelo e o controle das tensões, relações de resposta ao meio, integração ou a adaptação ao ambiente social, transmissão da herança social e cultural.
Os meios de comunicação de massa constituem um conjunto de instruções cujo trabalho é essencial para a manutenção da ordem social.

Local: EUA

Método: Qualitativa, Quantitativa e Administrativa.
Autores: Ludwing Von Bertalanffy, De Fleur, Abraham Moles, David Easton, Karl K. Deutsc.

Base teórica: Economia, Sociologia, Antropologia, Contabilidade, Administração.

Ideias: Conjunto social está para sistema orgânico. Busca estudar um determinado objeto observando-o de várias maneiras. Feedback e análise das estruturas sociais.

Local: Estados Unidos da América

Método: Qualitativa, quantitativa e administrativa.
Autores: Blumler e Katz.

Base teórica: Teoria funcionalista e as Ciências Sociais.

Ideias: As pessoas buscam, selecionam ou utilizam os meios de comunicação e os seus conteúdos para atenderem às suas necessidades e desejos. A conduta ou ação das pessoas é resultante do alivio das tensões Os motivos que levam as pessoas a escolherem esses conteúdos podem ser psicológicos, sociais, ambientais, conjunturais e motivacionais, direcionado a um alvo. As mídias competem com outras formas de comunicação pela seleção, atenção e uso com o intuito de ser uma alternativa funcional para a gratificação das necessidades ou desejos e essas outras formas são capazes de satisfazer e gratificar esses mesmos motivos.
Princípios:
1- A audiência é concebida como ativa.
2- Depende da audiência relacionar a escolha dos mass media, com a satisfação da necessidade.
3- Os mass media competem com outras fontes de satisfação das necessidades.
4- Muitos dos objetivos da utilização dos mass media podem conhecer-se através de dados fornecidos pelos destinatários.
5- Devem suspender-se os juízos de valor acerca do significado cultural das comunicações de mass media.
Portanto, o receptor é ativo; os motivos dependem de variáveis psicológicas, sociais, ambientais e conjunturais, exposição aos meios é um ato intencional e não casual.

Local: Escola Americana, localizada nos EUA.

Método: Qualitativo.
Autores: Gregory Bateson, Eduard T. Hall e Paul Watzlawick, Nobert Weiner

Base teórica: Antropologia, Matemática, Sociologia, Linguística, Psiquiatria.

Ideias: Propõem estudo do comportamento humano, em seus vários níveis de complexidade. A comunicação é um processo permanente. O sentido é determinado pelos relacionamentos sociais e subjetivos. Usaram, então, a metáfora de uma orquestra para entender a comunicação. Para eles, a comunicação é um processo essencialmente circular no qual os indivíduos participam a todo momento como sujeitos de cultura através dos seus gestos, da sua visão de mundo e até do seu silêncio.

A principal crítica: modelo matemático, pelo fato de este não considerar a comunicação como interação e desprezar os contextos sociais de produção, circulação e recepção da informação, além de não considerar o papel ativo dos emissores e receptores das mensagens.

Local: Califórnia

Método: Qualitativo.
Autores: Frasor Bond, Kurt Lewin, Galtung, Rudge.

Base teórica: Ciências Sociais, Biologia e Jornalismo

Ideias: Os meios de comunicação não alteram diretamente as ideias e ações de uma sociedade, mas afetam essas ideias e ações. Características dos meios: acumulação, consonância, onipresença e relevância. Estudo sobre os emissores e sobre os produtores de noticias.
Newsmaking: Diz a respeito do jornalista como construtor e reprodutor da realidade, saendo que o modo com que é reproduzida a notícia pesa em seu resultado. Abandona a ideia da teoria do espelho no jornalismo.
Gatekeeper: É quem define o que será noticiado, utiliza se como a filtragem da notícia,o desenvolvimento do que será publicado na seleção do material jornalístico.
Estudo da lógica dos processos de produção da comunicação de massa: o processo de organização que se dá na construção de mensagens.
Noticiabilidade: é o conjunto de critérios que são chamados de Valores-notícia, que tem como função determinar quais fatos devem ser noticiados.

Local: Escola Americana

Método: Qualitativo, Quantitativo e Administrativo
Autores: Maxwell McCombs, Donald Shaw, Walter Lippmann

Base teórica: Filosofia Positivista

Ideias: Os meios de comunicação de massa não querem persuadir, mas apresentam ao público uma lista daquilo sobre o que é necessário para ter uma opinião, não o que pensar, mas sobre o que pensar. Postulado: a ordem do dia dos temas, assuntos e problemas; a hierarquia de importância e de prioridade dos elementos dispostos na ordem do dia. Portanto, a teoria da agenda toma como ideia um impacto direto, mas não imediato das mídias a respeito das decisões de um público em determinada data. Exemplo: a política partidária, que desenvolve campanha com o objetivo de influenciar os eleitores quanto a qual candidato votar.

Local: EUA

Método: Qualitativo, Quantitativo e Administrativo.
Autores: Defleur, Ball Roklach, Harold Lasswell, Paul Lazarsfeld, Berelson e McPhere.

Base teórica: Psicologia, Sociologia.

Ideias: Teoria das diferenças individuais: estuda as diferenças de comportamentos entre os indivíduos.
Teoria das diferenças sociais: estuda os indivíduos que possuem características comuns, mais que se dividem em categorias sociais.
Teoria da aprendizagem social ou dos relacionamentos sociais: estuda os efeitos da comunicação de massa no publico local, sob variáveis independentes, como extensão e repetição.
Abordagem Empírica Experimental: revisão do processo mecanicista de estímulo-resposta. Causaprocessos psicológicos intervenientes efeito/resposta.
Questão chave é a persuasão.Três efeitos; ativação, reforço e conversão.
Modelo de Harold Lasswell: quem diz o que, por meio de que canal, para quem, com que efeito.
Líderes de opinião.

Local: Estados Unidos

Método: Pesquisa Empírica (qualitativa) e quantitativa.
See the full transcript