Prezi

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in the manual

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Mediação de conflitos: um olhar reflexivo sobre as atuais pr

No description
by amanda oiliveira on 26 November 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Mediação de conflitos: um olhar reflexivo sobre as atuais pr

Mediação de conflitos: um olhar reflexivo sobre as atuais práticas na escola
Resumo
A prática da mediação sempre esteve presente nas relações humanas, a exemplo de situações nas quais a intervenção de um terceiro auxilia na resolução de determinada questão, cujos interesses dos envolvidos são igualmente respeitados. Deste modo, o presente estudo busca compreender como se dá na prática o processo de mediação na escola, seus aspectos positivos e negativos e ainda como os resultados deste influenciam nas relações entre os alunos.
A motivação
O interesse em conhecer mais sobre este tema se deu pela observação frequente de registros em livros de atas e advertências, resultantes dos conflitos entre alunos da instituição observada em diversos níveis escolares. Deste modo, ouvir os depoimentos da equipe que realiza este trabalho dentro da instituição torna-se fundamental para identificar o que vem ocorrendo atualmente com relação à mediação de conflitos nas escolas.
Sobre o conceito
Sobre o conceito de conflito é possível afirmar que este é:
-Um processo interacional
- que se dá entre duas ou mais partes
- em que predominam as relações antagônicas
- nas quais as pessoas intervêm como seres totais com suas ações, pensamentos, afetos e discursos
-que algumas vezes, mas não necessariamente, podem ser conflitivos agressivos
- que se caracteriza por ser um processo co-construído pelas partes
- e que pode ser conduzido por elas ou por um terceiro.
(SUARES
apud
Fiorelli 2008 p. 8) .Trata-se de uma prática oriunda das ciências jurídicas, que busca solucionar os impasses através do diálogo.
A escola apresenta-se como local privilegiado de socialização sendo, portanto, o lugar onde emergem sentimentos, afetos e emoções que aliadas às particularidades de cada ser humano podem resultar em conflitos. A esse respeito Ortega (2002 p. 143) afirma que:
"O conflito emerge em toda situação social em que se compartilham espaços, atividades, normas e sistemas de poder e a escola obrigatória é um deles. Um conflito não é necessariamente um fenômeno da violência, embora, em muitas ocasiões, quando não abordado de forma adequada, pode chegar a deteriorar o clima de convivência pacífica e gerar uma violência multiforme na qual é difícil reconhecer a origem e a natureza do problema".

Negar a existência de um conflito ou de uma situação problema, não auxilia na sua resolução, ao contrário, pode contribuir para um desenlace violento ou negativo. Diferente de quando lidamos com o conflito de forma pacífica, compreendemos como sendo um modo de existir dentro de uma sociedade permeada pelas diferenças. Dentre os aspectos positivos dos conflitos, podemos destacar que estes:
• Estimulam a criticidade e a criatividade;
• Desenvolvem a capacidade de tomar decisões;
• Proporcionam diferentes modos de encarar situações;
• Promovem o autoconhecimento;
• Qualificam as relações interpessoais;
• Auxilia no respeito às diferenças

Os métodos heterocompositivos são assim denominados, pois, a solução para o conflito fica a cargo de um terceiro, ficando este responsável por determinar como as partes devem ou não agir, tomamos como exemplo o poder judiciário, no qual as partes não entram em consenso (tornando-se “adversarial”), ficando as decisões a cargo de um árbitro ou juiz que irá interpretar e decidir o que acredita ser melhor para ambos.
Para compreender como ocorre a mediação e resolução dos conflitos na escola, foram realizadas inserções na direção da escola, nas quais buscou-se identificar as estratégias utilizadas pela equipe. Foram utilizados para desenvolver este trabalho questionários semiestruturados, observações de reuniões entre equipe de professores, orientação educacional e conselho tutelar, observação de pré-conselho de classe, além de conversas informais com orientadora e supervisora educacional. Durante as primeiras inserções na direção da escola, foi possível perceber alguns conflitos motivados por disputas de materiais, espaços para realização de jogos e desavenças ligadas a disputas afetivas entre adolescentes.

Considerações finais
Durante a realização deste trabalho, inicialmente foram trazidos alguns conceitos que permeiam o tema mediação de conflitos, bem como a fundamentação teórica de autores cujos trabalhos apresentam destaque dentro desta temática. Posteriormente, foi necessário conhecer a realidade da instituição escolar para então discorrer sobre a forma que a mesma desenvolve seu trabalho acerca da mediação.

Ficou evidente a partir da análise dos questionários, e das inserções na escola a importância do trabalho realizado pela equipe diretiva, destacando o trabalho da orientação pedagógica que atua diretamente com os alunos e suas famílias fazendo o intercâmbio para solucionar os conflitos na escola. Contudo, pode-se concluir que a realidade na escola pesquisada busca, através do diálogo e da mediação qualificar as relações entre os estudantes, buscando transmitir-lhes valores importantes para sua formação cidadã, visando a construção de uma sociedade justa para todos.
Referências
• ARRUDA, Marina Patrício de A prática da mediação em busca de um mediador de emoções. Pelotas: Seiva 2004.
• Apostila do curso básico de capacitação em mediação. Instituto Mediare: Rio de Janeiro, 1988.
• CECCON, Claúdia (ET al.) Conflitos na escola: modos de transformar: dicas para refletir e exemplos de como lidar. São Paulo: CECIP: Imprensa oficial do Estado de São Paulo, 2009.
• FIORELLI, José Osmir ET al. Mediação e Solução de Conflitos: Teoria e Prática. São Paulo: Atlas, 2008.
• GRINSPUN, Mirian P. Sabrosa. Zippin (org). A Orientação Educacional: Conflito de Paradigmas e Alternativas para a escola. São Paulo: Cortez, 2002.
• ORTEGA, Rosário et al. Estratégias educativas para prevenção das violências; tradução de Joaquim Ozório – Brasília: UNESCO, UCB, 2002.
• PRANIS, Kay Processos circulares; São Paulo: Palas Athena, 2010
• http://www.dicio.com.br/mediacao/ Acesso em 25/09/2013

Aspectos positivos dos conflitos

Dentro dos processos de mediação, existem métodos que podem ser classificados de diversas formas, a exemplo dos adversariais e cooperativos e autocompositivos e heterocompositivos. Nos métodos autocompositivos destacam-se os processos circulares, nos quais as partes buscam uma solução sem a decisão ou determinação direta de um terceiro, destaca Pranis: “Os círculos objetivam criar um espaço onde os participantes se sentem seguros para serem totalmente autênticos e fiéis a si mesmos” (2010 p. 26).
Métodos tradicionais e alterantivos de solucionar conflitos
A mediação na Escola
A orientadora educacional faz o papel de mediadora e atenua os confrontos na busca na solução do problema através do diálogo, buscando estabelecer a manutenção da comunicação entre as partes, mudando o enfoque de confrontação para um outro, de solução. Percebe-se quão desafiadora é esta tarefa dentro da escola, pois, o desafio da neutralidade do profissional se destaca quando este percebe uma postura em desacordo por parte de algum dos mediandos, como por exemplo, a efetiva falta de vontade de solucionar o conflito. Por parte dos estudantes envolvidos em conflitos, foi possível identificar que a maioria se vale do apoio oferecido pela escola, pois buscam a profissional orientadora ou outra profissional da equipe diretiva (com quem tenha mais afinidade), para auxiliar na resolução de seus problemas.
Considerações finais
Durante a realização deste trabalho, inicialmente foram trazidos alguns conceitos que permeiam o tema mediação de conflitos, bem como a fundamentação teórica de autores cujos trabalhos apresentam destaque dentro desta temática. Posteriormente, foi necessário conhecer a realidade da instituição escolar para então discorrer sobre a forma que a mesma desenvolve seu trabalho acerca da mediação. Ficou evidente a partir da análise dos questionários, e das inserções na escola a importância do trabalho realizado pela equipe diretiva, destacando o trabalho da orientação pedagógica que atua diretamente com os alunos e suas famílias fazendo o intercâmbio para solucionar os conflitos na escola. Contudo, pode-se concluir que a realidade na escola pesquisada busca, através do diálogo e da mediação qualificar as relações entre os estudantes, buscando transmitir-lhes valores importantes para sua formação cidadã, visando a construção de uma sociedade justa para todos.
Referências
• ARRUDA, Marina Patrício de A prática da mediação em busca de um mediador de emoções. Pelotas: Seiva 2004.
• Apostila do curso básico de capacitação em mediação. Instituto Mediare: Rio de Janeiro, 1988.
• CECCON, Claúdia (ET al.) Conflitos na escola: modos de transformar: dicas para refletir e exemplos de como lidar. São Paulo: CECIP: Imprensa oficial do Estado de São Paulo, 2009.
• FIORELLI, José Osmir ET al. Mediação e Solução de Conflitos: Teoria e Prática. São Paulo: Atlas, 2008.
• GRINSPUN, Mirian P. Sabrosa. Zippin (org). A Orientação Educacional: Conflito de Paradigmas e Alternativas para a escola. São Paulo: Cortez, 2002.
• ORTEGA, Rosário et al. Estratégias educativas para prevenção das violências; tradução de Joaquim Ozório – Brasília: UNESCO, UCB, 2002.
• PRANIS, Kay Processos circulares; São Paulo: Palas Athena, 2010
• http://www.dicio.com.br/mediacao/ Acesso em 25/09/2013
See the full transcript