Prezi

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in the manual

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

PAES, Marilena leite. Arquivo: teoria e prática. 3. ed. rev.

No description
by Giciara Oliveira on 6 November 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of PAES, Marilena leite. Arquivo: teoria e prática. 3. ed. rev.

PAES, Marilena leite. Arquivo: teoria e prática. 3. ed. rev. e ampl. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2004. 228 p.

PAULA, Rosália Paraíso Matta de. Como elaborar a Tabela de Temporalidade Documental: racionalização de custos de armazenagem e administração de arquivos empresarial. São Paulo: CENADEM, 1995. 89 p.

ROUSSEAU, Jean Yves; COUTURE, Carol. Os fundamentos da disciplina arquivística. Lisboa: Dom Quixote, 1998.

SALOMON, Delcio Vieira. Como fazer uma monografia. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

SANTOS, Silvana Aparecida Silva dos; SANTOS, Vilma Moreira dos. UFMG: o projeto piloto da organização de arquivos da Faculdade de Farmácia. In: VENÂNCIO, Renato; NASCIMENTO, Adalson, (org.). Universidades e arquivos: gestão, ensino e pesquisa. Belo Horizonte: Escola de Ciência da Informação da UFMG, 2012. 224 p.

SCHELLENBERG, Theodore Roosevelt. Arquivos modernos: princípios e técnicas. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2006. 388 p.
 
SEFFRIN, Cássia; et al. Gestão de documentos em arquivos universitários: estudo de caso no arquivo central da FAED-UDESC. 2002. Disponível em: <http://www.udesc.br/arquivos/id_submenu/619/faed_congresso.pdf> Acesso em: 20 ago. 2013.
 
SILVA, A. M. da; et al. Arquivística: teoria e prática de uma ciência da informação. 2. ed. Porto: Edições Afrontamento, 2002. V.1.
 
SOUZA, Kátia Isabelli Melo de. Aquivista, visibilidade profissional: formação associativismo e mercado de trabalho. Brasília: Starprint, 2011.

TOUTAIN, Lidia Maria Batista Brandão; SILVA, Rubens Ribeiro Gonçalves da. (org.)
Universidade Federal da Bahia do Século XIX ao Século XXI. Salvador, EDUFBA, 2010 – memorial - v.1. 620 p. Disponível em: <https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ri/5293/1/Ufba%20do%20sec%20XIX%20ao%20sec%20XXI_RI.pdf> Acesso em: 15 ago. 2013
 
VENÂNCIO, Renato. Arquivos universitários no Brasil: esboço de uma cronologia. In: VENÂNCIO, Renato; NASCIMENTO, Adalson (org.). Universidades & arquivos: gestão, ensino e pesquisa. Belo Horizonte: Escola de Ciência da Informação da UFMG, 2012.


FERNANDES, Francisco; LUFT, Celso Pedro; GUIMARÃES, F. Marques. Dicionário brasileiro Globo. 42 ed. São Paulo: Globo, 1996.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Novo Aurélio Séc. XXI: dicionário da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999.
GOMES, Henriette Ferreira; LOSE, Alícia Duhá. Documentos científicos: orientações para elaboração e apresentação de trabalhos acadêmicos. Salvador: São Bento, 2007.
 
LUBISCO, Nídia; VIEIRA, Sônia; SANTANA, Isnaia. Manual de estilo acadêmico: monografia, dissertações e teses. 4. ed. Salvador: EDUFBA, 2008. Disponível em: <http://www.ppgorgsistem.ics.ufba.br/arquivos/Estilo_Academico_Manual.pdf>. Acesso em: 15 ago. 2013.
 
LUFT, Celso Pedro. Minidicionário LUFT. 20 ed. 5. Imp. São Paulo: Ática, 2001.
 
MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de metodologia científica. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

MATOS, Maria Tereza Navarro de Brito. Memória institucional e gestão universitária – o caso da Universidade Federal da Bahia. 2005, cadernos EAD 2. Disponível em: <https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ri/2958/1/CBAD205Matos.pdf> Acesso em: 15 ago. 2013.

MORENO, Nádina Aparecida. Gestão de documentos: trajetória histórica. In: BARTALO, Linete. Gestão em arquivologia: abordagens múltiplas. Londrina: EDUEL. 2008. 188 p.
 
OHIRA, Maria; DAVOK, Delsi; SCHENKEL, Marília. Proposta para criação do sistema de arquivos da Universidade do Estado de Santa Catarina: trajetória, desafios e perspectivas. João Pessoa, 2008. p. 143-154, v.18, n.2. Disponível em: <http://www.ies.ufpb.br/ojs/index.php/ies/article/view/1391/2127>. Acesso em: 20 ago. 2013.
 
OLIVEIRA, Elizabete M. L. Baptista de; ARAÚJO, Maria Hieda P. de; PAES, Marilena Leite. Temporalidade de Documentos: critérios e tabela. Rio de Janeiro: FGV, 1996. 150 p.

PÁDUA, Elisabete Matallo Marchesini de. Metodologia da pesquisa: abordagem teórico-prática. 11. ed. ver. e atual. Campinas, São Paulo: Papirus, 2004. (Coleção Magistério: Formação e Trabalho Pedagógico).


A pesquisa interdisciplinar (Arquivologia e Administração), através das práticas de Gestão Benchmarking e Gestão da Informação, possibilitou:

Agregar conhecimento;
Sugerir modelo de coleta de documentos fiscais mais eficiente e eficaz;
Quantitativo - maior arrecadação;
Qualitativo - mais solidariedade.

CONCLUSÃO

Quadro 1 – Arrecadação do ASFA no período de 5 anos.

Fonte: Pesquisa do autor, janeiro de 2013

Organograma ASFA

Capítulo I – Benchmarking
1.1 –
1.2 –

Capítulo II – Gestão da Informação
2.1 –
2.2 –

Capítulo III – Valor probatório do documento
3.1 –
3.2 –


LEVANTAMENTO DE DADOS

OBJETO – DOCUMENTO FISCAL

Objetivo Geral

Identificar nas Instituições os meios de coleta de documentos fiscais para o Programa de Educação Tributária: “Sua Nota é um Show de Solidariedade”, utilizando o instrumento de Gestão Benchmarking e Gestão da Informação, visando sugerir o melhor modelo para as Instituições pesquisadas.


Objetivos Específicos

Identificar e selecionar as Instituições que arrecadam mais do que o ASFA;
Levantar os dados referente à prática de gestão (procedimentos) para coleta de documentos fiscais das Instituições compradas;
Verificar como é feito a coleta de documentos fiscais no ASFA;
Propor as Instituições pesquisadas uma metodologia para a coleta de documentos fiscais.

OBJETIVO GERAL E ESPECÍFICOS

Justificativa
Problema
Delimitação dos objetivos
Classificação da pesquisa
Levantamento de Dados
Coleta de dados
Procedimento de coleta
Procedimento de análise
Resultado e análise
Conclusão
Cronograma das atividades
Referência

ROTEIRO

Sobre o Abrigo São Francisco de Assis:

Quando, como e onde começou
Casa (cômodos: quartos, banheiro,...)
Quantos colaboradores
Quantos abrigados





CONTEXTUALIZAÇÃO

30/07/2013

REFERÊNCIAS

ALVES, Ivone. Dicionário de terminologia arquivística. Lisboa: Instituto da Biblioteca Nacional e do Livro, Organismo de Normalização Sectorial para a Informação e Documentação, 1993. 257 p.

BELLOTO, Heloisa Liberalli: Arquivos permanentes: tratamento documental. 4. ed. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2006. 320 p.

BRAGA, José Luiz. O Problema de pesquisa – como começar. Disponível em: <http://www.aec-tea.org/fabio/problema.pdf>. Acesso em: 15 ago. 2013.

BRASIL, Arquivo Nacional. Dicionário brasileiro de terminologia arquivística. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2005. 232p. Publicações Técnicas, n. 51. Disponível em <http://pt.scribd.com/doc/31171010/Dicionario-de-Terminologia-Arquivistica>. Acesso em: 27 jul. 2013.

BRASIL. Lei nº 8.159 de 8 de Janeiro de 1991. Brasília, Casa Civil. Lex: coletânea de legislação e jurisprudência, São Paulo.

CALDERON, Wilma Rodrigues. Relatos de Experiências – O processo de gestão documental e da informação arquivística no ambiente universitário. Ciência da Informação, Brasília, 2004. p.97-104, V.33, n.3. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ci/v33n3/a11v33n3.pdf>. Acesso em: 15 jul. 2013.

DESLANDES, Suely Ferreira; et al. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 1994.

 

Fonte: Google, julho/2013.

Sede - Casa nº 22 Ladeira da Lenha

Foto 1 – Abrigo São Francisco de Assis

Fluxograma Coleta cupom fiscal
(ASFA)

PROCEDIMENTO DE ANÁLISE

Os dados coletados foram analisados e representados em gráfico de pizza.


Itens analisados:

Como é feito a comunicação com os colaboradores
Como é feito a coleta dos documentos fiscais


COLETA DE DADOS

Foi aplicado um questionário (on-line) para o responsável pela coleta dos documentos fiscais nas seis Instituições.

Abrigo São Franscisco de Assis - ASFA
Centro Espírita Cavaleiro da Luz
Abrigo São Gabriel para Idosos de Deus
Asilo São Lázaro
Fundação Lar Harmonia
Associação Baiana de Apoio a Vida - ABAVI



Objetivo Exploratória e Descritiva


Método Estudo de Caso Múltiplo


Técnica Questionário on-line


Abordagem Quantitativa e qualitativa

Universo Instituições incluídas no projeto: “Sua Nota é um Show de Solidariedade”.


Amostra 06 Instituições com arrecadação superior a do ASFA

Delimitação da pesquisa Documentos fiscais

CLASSIFICAÇÃO DA PESQUISA

PET Bahia - Programa de Educação Tributária do Estado da Bahia

Quais os procedimentos de Gestão utilizados pelas Instituições que participam do projeto: “Sua Nota é um Show de Solidariedade” para coletar documentos fiscais?

PROBLEMA

JUSTIFICATIVAS

Pessoal:
Desenvolver atividades práticas
Agregar conhecimento: Benchmarking e Gestão da Informação

Arquivologia:
Ampliar a visibilidade

Com a aplicação do modelo de Gestão sugerido as Instituições terão vantagens, tais como:
Modelo de gestão
Facilitar a coleta dos documentos fiscais
Aumentar a arrecadação
Aumentar a premiação

PROCEDIMENTO DE COLETA

Encaminhamos através de e-mail os questionários, com texto explicando o motivo das perguntas e objetivo da pesquisa.



Dificuldades:


O BENCHMARKING COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO: UM ESTUDO DE CASO NO ABRIGO SÃO FRANCISCO DE ASSIS - ASFA








Salvador
2013


UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA – UFBA
INSTITUTO DE CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO – ICI
GRADUAÇÃO EM ARQUIVOLOGIA

AUTORES: GICIARA L. R. F. DE OLIVEIRA
LUCAS ROSAS SCHLEU
ORIENTADOR: Prof. Ms. SÉRGIO FRANKLIN
See the full transcript